Siga nossas redes

ESG

Nestlé vai investir R$ 5 mi em agricultura regenerativa e mais duas iniciativas

Empresa busca parceiros para viabilizar projetos que ajudem a atingir suas próprias metas em sustentabilidade.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 5 minutos

A Nestlé lançou nesta quinta-feira (7) um edital para encontrar parcerias com o objetivo de desenvolver soluções que ajudem a empresa a atingir suas metas na área de sustentabilidade. A empresa deve investir R$ 5 milhões, e prevê que os primeiros projetos sejam implementados já em 2024. A ideia é focar em agricultura regenerativa, redução de resíduos e soluções de energia renovável.

O montante faz parte dos R$ 6 bilhões que a Nestlé planeja investir no Brasil até 2025, embora não seja a totalidade destinada à área de sustentabilidade. A iniciativa tem a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que também vai destinar recursos quando houver institutos de sua rede envolvidos no projeto. Com isso, os investimentos podem somar R$ 6,25 milhões.

Fábrica de Caçapava (SP) da Nestlé (Foto: Divulgação)
Fábrica de Caçapava (SP) da Nestlé (Foto: Divulgação)

“O Senai nos ajuda com um networking gigante pelo Brasil inteiro para que a gente possa acelerar esse processo”, disse Marcelo Melchior, CEO da Nestlé Brasil, durante o lançamento do edital na sede da empresa, em São Paulo. 

Melchior comentou ainda que a empresa pode fazer coisas, mas que precisa de ajuda. “Precisamos mostrar o exemplo, o caminho para outros, porque isso não é uma área competitiva”, comentou ainda. 

Em busca da própria meta

Barbara Sapunar, diretora executiva de business transformation da Nestlé no Brasil, explica que o principal objetivo do edital é viabilizar a empresa a cumprir suas próprias metas de sustentabilidade, que incluem reduzir pela metade suas emissões de carbono até 2030, e zerar as emissões líquidas até 2050.

“Quando a gente começou a medir, vimos que dois terços da nossa emissão estão ligados à agricultura”, contou ela sobre o caminho para determinar o primeiro dos três focos dos projetos: agricultura regenerativa. “É como a gente devolve mais do que retira da natureza”, explicou Carolina Falcoski, gerente de inovação aberta da empresa. 

Evento da Nestlé em São Paulo (Foto: Karina Trevizan/InvestNews)
Evento da Nestlé em São Paulo (Foto: Karina Trevizan/InvestNews)

Pelo plano da Nestlé, 30% das principais matérias-primas utilizadas pela companhia serão produzidas por meio de agricultura regenerativa até 2025. “A gente quer seguir com os melhores produtos, mas vai ter que mudar a forma como produz o nosso alimento”, disse Sapunar.

Assim, foram escolhidos três itens para os projetos: leite, café e cacau. As metas também incluem reduzir a pegada de carbono e promover o reflorestamento. 

Outros pilares

A Nestlé também está em busca de parcerias para investir na redução de resíduos. “A gente vende um alimento que precisa chegar em segurança para o consumidor, e por isso precisa de uma embalagem”, explica Sapunar, emendando que é preciso manter a segurança e reduzir o resíduo. “Se não conseguirmos uma solução de curto prazo de material, então que a gente pense num sistema circular.”

Nesse sentido, estão no radar iniciativas para bater a meta de, até 2025, reciclar todo o plástico que a empresa coloca no mercado. Segundo a Nestlé, 98% das embalagens já são desenhadas para serem recicladas ou reutilizadas. A empresa também lançou medidas como retirar o plástico que envolvia a caixa de papelão da caixa de bombons conhecida como “Especialidades”, e deixou de usar 450 toneladas de plástico por ano. 

Por fim, o terceiro foco dos projetos será a área de energia sustentável. A empresa busca soluções para equipamentos de alto consumo, como os utilizados para torragem de café.

Agenda

A Nestlé espera receber, entre janeiro e abril de 2024, projetos de institutos de inovação e tecnologia do Senai, agências de fomento, empresas, startups e universidades. A avaliação das ideias apresentadas será feita até maio pela companhia, para na sequência fazer os investimentos e colocá-las em prática. 

“A gente sabe que tem projetos mais longos e outros mais curtos”, disse Pedro Silva, gerente de transformação digital da Nestlé, reforçando na sequência, porém, que a empresa “tem uma expectativa muito grande de já no ano que vem ter projeto implementado”. 

Fábrica da Nestlé (Foto: Divulgação)
Fábrica da Nestlé (Foto: Divulgação)

A guinada na agenda ESG faz parte do plano traçado pela companhia para expandir ainda mais sua posição no Brasil, que representa seu terceiro maior mercado no mundo. Nos próximos dois anos, a Nestlé também pretende construir uma nova unidade da Purina, marca de alimentos para animais, em Santa Catarina, entre outros projetos que, somados, resultam num crescimento de 105% nos investimentos da empresa no país na comparação com os anos anteriores. 

Nesse cenário, o CEO Marcelo Melchior aponta a importância de manter os negócios da empresa economicamente sustentáveis no país. “É uma área de como podemos transformar o nosso país, a economia e fazer as coisas de uma forma diferente. E sustentável do ponto de vista do meio ambiente, e economicamente também”, disse no evento desta quinta. 

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.