Siga nossas redes

Finanças

Bolsa desacelera após rumor de demissão, mas fecha em alta de 6%

Após subir mais de 8%, Ibovespa perdeu força em meio a rumores de que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, seria demitido; dólar caiu a R$ 5,29.

Publicado

em

por

InvestNews
bolsa

A bolsa brasileira teve um dia de forte alta, enquanto o dólar cedeu frente ao real, na esteira da valorização das bolsas internacionais, com indícios de que novos casos do coronavírus arrefeceram em várias partes do mundo. O Ibovespa ganhou ainda mais força após os anúncio de medidas de crédito pelo Banco Central (BC) para estimular a economia, mas desacelerou em meio a rumores da demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no fim da tarde.

O principal índice da B3, o Ibovespa, subiu 6,52%, aos 74.072 pontos, após chegar a valorizar mais de 8% mais cedo. Enquanto isso, o dólar comericial operava em queda de 0,64%, vendido a R$ 5,2918.

Destaques da Bolsa

As ações dos bancos Itaú (ITUB4) e Bradesco (BBDC4) tiveram forte alta, subindo mais de 7% e acima de 9%, respectivamente, ajudando a impulsionar os ganhos do Ibovespa.

LEIA MAIS: MP destina R$ 34 bi para financiar salários de PMEs

O Banco Central lançou uma linha especial de financiamentos para micro e pequenas empresas com recursos dos fundos constitucionais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A linha de crédito para capital de giro e investimentos terá juros subsidiados de 2,5% ao ano. A estimativa é de que cerca de R$ 6 bilhões poderão ser disponibilizados pelos bancos.

O Banco BTG Pactual anunciou o cancelamento de 10.468.200 ações ordinárias e 20.936.400 ações preferenciais classe A, tendo sido recompradas sob a forma de units (ou certificado de depósito de ações). Perto do horário de fechamento, o BTG (BPAC11) subia 14,08%.

Entre as ações mais negociadas, os papeis da Via Varejo (VVAR3) subiram ao redor de 5,3%, as ações preferenciais da Petrobras (PETR4) subiram perto de 5%, mesmo com a queda do petróleo no mercado internacional.

Projeção do PIB de 2020

Os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre a economia brasileira fizeram os economistas do mercado financeiro cortarem novamente suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020. Conforme o Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira, a expectativa para a economia este ano passou de retração de 0,48% para queda de 1,18%. Há quatro semanas, a estimativa ainda era de crescimento de 1,99% neste ano.

LEIA MAIS: Mercado prevê queda de 1,18% do PIB em 2020

Resultado primário e balança comercial

Os economistas do mercado financeiro alteraram a projeção para a balança comercial em 2020 na pesquisa Focus, de superávit comercial de US$ 35,00 bilhões para US$ 34,10 bilhões. Um mês atrás, a previsão era de US$ 36,40 bilhões. Para 2021, a estimativa de superávit foi de US$ 35,30 bilhões para US$ 35,00 bilhões. Há um mês, estava em US$ 34,00 bilhões.

Com o governo autorizado a expandir os gastos em 2020 para combater a pandemia do novo coronavírus, o Relatório de Mercado Focus trouxe hoje alteração na projeção para o resultado primário do governo em 2020. A relação entre o déficit primário e o PIB este ano foi de 1,30% para 1,65%. No caso de 2021, foi de 0,60% para 0,80%. Há um mês, os porcentuais estavam em 1,10% e 0,51%, respectivamente.

Bolsas globais em alta

As bolsas da Europa fecharam nesta segunda-feira, com consideráveis ganhos, sustentadas pela percepção de que vários países do continente estão começando a registrar desaceleração no número de novos casos de coronavírus. O índice Stoxx 600 encerrou com alta de 3,75%, a 320,58 pontos.

O noticiário sobre a pandemia seguiu concentrando a atenção de investidores. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deu entrada em um hospital dez dias após ter sido diagnosticado com a covid-19, o que inicialmente pressionou a libra frente ao dólar. Em Londres, o índice FTSE fechou com avanço de 3,08%, a 5.582,39 pontos.

As bolsas da Ásia e do Pacífico encerraram os negócios com ganhos robustos, favorecidas por sinais de que a propagação do coronavírus está desacelerando em várias partes do mundo.

O índice japonês Nikkei saltou 4,24% em Tóquio hoje, a 18.576,30 pontos, graças principalmente a ações ligadas ao comércio eletrônico e do setor automotivo, enquanto o sul-coreano Kospi subiu 3,85% em Seul, a 1.791,88 pontos, o Hang Seng se valorizou 2,21% em Hong Kong, a 23.749,12 pontos, e o Taiex registrou alta de 1,61%, a 9.818,74, ao retornar de dois dias de feriados em Taiwan.

Na China continental, os mercados de Xangai e Shenzhen não operaram nesta segunda devido a um feriado nacional.

Ontem, houve múltiplos relatos de desaceleração de mortes ou infecções por coronavírus em países europeus, como Itália, Espanha, Alemanha, França e Reino Unido, assim como no Estado de Nova York – que responde por cerca de metade dos casos nos EUA – e no Irã.

*Com Estadão Conteúdo

Compre ações através da melhor plataforma do mercado: Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente. Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente.

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.