Siga nossas redes

Finanças

Como o aumento da Selic deve impactar o custo do crédito?

Segundo a Anefac, a decisão deve ter um efeito ‘muito pequeno’ nas operações de crédito.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 2 minutos

Levantamento feito pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) mostra como a elevação da taxa básica de juros, a Selic, de 10,75% ao ano para 11,75% ao ano, anunciada na última quarta-feira pelo Banco Central, deverá afetar os custos das operações de crédito.

Para a Associação, a decisão deve ter um efeito “muito pequeno” por “existir um deslocamento muito grande entre a taxa Selic e as taxas de juros cobradas aos consumidores”. Segundo a Anefac, na média, o juro cobrado das pessoas físicas é de 113,23% ao ano, o que leva a uma diferença de 950% se comparada à Selic.

Dentre as modalidades mais caras existentes no mercado, os juros do cartão de crédito devem subir de 357% ao ano para 360% ao ano. Simulação da Anefac mostra que, na prática, significa que, se o consumidor usar o rotativo do cartão de crédito por 30 dias no valor de R$ 3.000, ele irá pagar agora um total de R$ 407,40 de juros. Levando em conta a Selic antiga de 10,75%, o valor seria de R$ 405 – uma diferença de R$ 2,40.

No caso dos juros do cheque especial, o avanço anual será de 145,46% para 147,65%. Ao usar R$ 1.000 da modalidade por um período de 20 dias, o valor dos juros passa de R$ 51,80 para R$ 52,33, se considerada a nova taxa básica de juros da economia.

Confira abaixo como devem ficar as taxas de juros praticadas pelo mercado para pessoa física

Fonte: Anefac

Faça seu dinheiro começar a render mais hoje! Vem pro Nu invest!

Anúncio Patrocinado Super Week Temporada de balanços Super Week Temporada de balanços
ANÚNCIO PATROCINADO      Conheça a carteira recomenda de dividendos

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Anúncio Patrocinado Carteira Top 10