Siga nossas redes

Finanças

Ibovespa cai aos 101 mil pontos e acumula queda de 1,53% em novembro

Desconforto do mercado piorou após CEO da farmacêutica Moderna indicar que vacinas podem ser menos eficazes contra a nova variante.

Publicado

em

bolsa covid

O Ibovespa, principal índice da B3, encerrou a terça-feira (30) em queda. O dólar subiu, em sessão marcada por preocupações internacionais sobre a variante ômicron da covid-19, após aprovação da PEC dos Precatórios na CCJ do Senado e comentários de autoridade do Banco Central.

O Ibovespa caiu 0,87%, aos 101.915 pontos, após atingir a mínima de 100.075 pontos e a máxima de 103.066 pontos. É o menor patamar do ano.

No acumulado de novembro, mês que se encerra nesta terça, o indicador recuou 1,53%. É o quinto mês seguido de queda, o que representa uma baixa de 20% no período.

O dólar subiu 0,48%, comercializado a R$ 5,6372, depois de oscilar entre R$ 5,6688 e R$ 5,5788 no dia, já no mês a queda é de 0,18%.

As fortes oscilações do dia ocorreram durante fala do diretor de Política Econômica do Banco Central, Fábio Kanczuk, que disse acreditar que a inflação é menos inercial e pode mudar muito ao longo do próximo ano, enquanto a política monetária ainda não teria tido tempo de afetar a atividade.

Enquanto isso, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta terça-feira a PEC dos Precatórios, medida considerada prioritária pelo governo do presidente Jair Bolsonaro por permitir a abertura de espaço fiscal de mais de R$ 100 bilhões e possibilitar o pagamento do novo programa social Auxílio Brasil.

A proposta altera o prazo de correção do teto de gastos pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o que abriria espaço fiscal para o pagamento de auxílio à população de 400 reais por família em 2022, ano eleitoral.

Embora esteja longe de ser notícia positiva para a credibilidade fiscal do país, a PEC passou a ser vista por investidores como dos males, o menor, já que alternativas para financiamento de benefícios sociais no ano que vem poderiam levar a descontrole total das contas públicas.

Variante ômicron

Elevando o desconforto entre os participantes do mercado global, o CEO da farmacêutica Moderna disse ao Financial Times que as vacinas disponíveis atualmente provavelmente serão menos eficazes contra a recém-detectada variante da covid-19.

“Nesta manhã, em especial, a dúvida (é) em relação à efetividade da vacina”, comentou em blog Dan Kawa, CIO da TAG Investimentos, citando “movimento clássico e coordenado de aversão a risco” nos mercados internacionais.

A descoberta da variante ômicron levou a restrições de viagens em vários países, e veio num momento de condições sanitárias já deterioradas em muitas economias importantes, especialmente no continente europeu.

Destaques da bolsa

Os papéis de Locaweb e Méliuz encerraram o pregão no topo das quedas do Ibovespa, enquanto a CCR ficou com a principal valorização do dia. Confira outros destaques.

Bolsas mundiais

Wall Street

As ações dos Estados Unidos encerram o dia em forte queda, após o CEO da Moderna afirmar que as vacinas disponíveis atualmente provavelmente serão menos eficazes contra a recém-detectada variante da covid-19:

  • O índice Dow Jones caiu 1,86%, a 34.483 pontos.
  • O S&P 500 perdeu 1,90%, a 4.567 pontos.
  • O índice de tecnologia Nasdaq recuou 1,55%, a 15.537 pontos.

Europa

As ações europeias recuaram nesta terça-feira, depois que o chair do Federal Reserve, Jerome Powell, alertou que a inflação nos Estados Unidos pode não ser transitória.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,71%, a 7.059 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,18%, a 15.100 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,81%, a 6.721 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,87%, a 25.814 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 1,78%, a 8.305 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,56%, a 5.433 pontos.

Ásia e Pacífico

As ações blue-chips da China fecharam em baixa nesta terça-feira, depois que a farmacêutica norte-americana Moderna deu novos alarmes sobre a variante ômicron, enquanto dados mostraram que o setor de serviços da segunda maior economia do mundo cresceu em ritmo ligeiramente mais lento em meio a surtos regionais de covid-19.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,63%, a 27.821 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,58%, a 23.475 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,03%, a 3.563 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,40%, a 4.832 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 2,42%, a 2.839 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,58%, a 17.427 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 2,54%, a 3.041 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,22%, a 7.256 pontos.

(*Com informações de Reuters)

Veja também

Ganhe dinheiro com as variações cambiais enquanto seu patrimônio fica protegido. Invista em Dólar!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!