Siga nossas redes

Finanças

Lucro da Petrobras cai 47,7% no 4º tri, mas sobe 1.400% em 2021

Conselho aprovou dividendos complementares de R$ 2,861 por ação; medida vai passar por assembleia.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

petroleo - Enauta
Vista aérea da plataforma da Petrobras P-50, no Rio de Janeiro 21/04/2006 REUTERS/Bruno Domingos

A petroleira Petrobras (PETR4 e PETR3) informou na noite desta quarta-feira (23) que registrou lucro líquido de R$ 31,5 bilhões no quarto trimestre de 2021, o que representa queda de 47,4% ante o valor de R$ 59,9 bilhões reportados no mesmo período de 2020. No acumulado de 2021, entretanto, os ganhos avançaram 1.400% ante o ano de 2020, para R$ 106 bilhões.

A receita de vendas cresceu 79%, para R$ 134,191 bilhões, no comparativo entre os trimestres. No ano, o avanço foi de 66,4%, para R$ 452,069 bilhões, devido “à alta de 77% do preço do Brent em reais e ao aumento da demanda no mercado interno, principalmente em razão da retomada econômica após o auge da pandemia da covida‐19 em 2020″, enfatizou a empresa em relatório.

A estatal também destacou o aumento nas vendas de gás natural e energia elétrica, “tendo em vista o aumento do despacho termoelétrico em 2021 e a recuperação da demanda do segmento industrial”.

Em termos da composição da receita no mercado interno, o diesel e a gasolina continuaram sendo os principais produtos, respondendo juntos por 72% da receita nacional de vendas de derivados de petróleo no quarto trimestre.

A Petrobras também afirmou o atingimento da meta de dívida bruta de US$ 60 bilhões, com antecedência de 15 meses, resultando em uma relação de dívida líquida e lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) de 1,1 vez.

O Ebitda ajustado somou R$ 62,9 bilhões entre outubro e dezembro, alta de 33,8% na comparação com o mesmo intervalo de 2021.

Dividendos

A Petrobras informou ainda que seu Conselho de Administração autorizou o encaminhamento para a Assembleia Geral de Acionistas, prevista para 13 de abril de 2022, a proposta de distribuição de dividendos complementares equivalentes a R$ 2,861 bruto por ação preferencial e ordinária em circulação.

Ao considerar as antecipações realizadas em agosto e dezembro de 2021, a remuneração aos acionistas total proposta para o exercício social de 2021 é equivalente a R$ 7,773 por ação ordinária e preferencial.

A companhia informou que o dividendo proposto está alinhado à Política de Remuneração aos Acionistas, que prevê que, em caso de endividamento bruto inferior a US$ 65 bilhões, a Petrobras poderá distribuir aos seus acionistas 60% da diferença entre o fluxo de caixa operacional e as aquisições de ativos imobilizados e intangíveis (investimentos).

“Tendo em vista a redução da dívida para US$ 58,7 bilhões, foi possível aplicar a fórmula de maneira integral já no ano de 2021.O dividendo proposto é compatível com a sustentabilidade financeira da companhia e está alinhado ao compromisso de geração de valor para os acionistas e para a sociedade”, esclareceu empresa em nota.

De acordo com a proposta, os dividendos complementares serão pagos em maio.

Veja também: Petrobras não quer manter retorno parado no caixa, diz diretor sobre dividendos

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.