Siga nossas redes

Finanças

Retomada econômica e bancos puxam alta de 1,39% do Ibovespa

Dólar fecha a R$ 5,38; Wall Street impulsa otimismo das bolsas americanas

Publicado

em

por

InvestNews
bolsa de valores

Cada vez mais perto da retomada econômica no mundo, o Ibovespa, principal índice da B3, fechou em alta de 1,39%, aos 88.620 pontos nesta segunda-feira (1). A bolsa de valores teve um bom desempenho puxada pelo otimismo com a reabertura de algumas economias, assim como os setores que seriam mais beneficiados.

O desempenho das bolsas americanas, mostrou que o mês de maio não foi o único bom para Wall Street e que ainda tem muita coisa boa vindo pela frente. Setores relacionados ao turismo e hotelaria dispararam nas bolsas americanas.

No Brasil, após a safra de balanços do 1TRI se encerrar parcialmente – segundo levantamento da Sabe Invest, entre as empresas listadas em bolsa apenas 231 companhias da B3 apresentaram seus balanços. Já 133 ainda não publicaram seus resultados ou adiaram estes- o bom desempenho dos 21 bancos listados ajudou na alta do Ibovespa.

Com as tensões entre EUA e China, que trilham novos capítulos da guerra comercial, o dólar fechou em alta de 0,82%, cotado a R$ 5,3843. Na máxima do dia, a moeda americana chegou a R$ 5,4132.

O dólar operou com oscilações pela manhã nesta segunda-feira (1), mas fechou o dia em alta. Os investidores ajustaram posições depois da queda do dólar ante o real de 1,83% em maio. No último pregão na semana passada, o dólar fechou em queda de 0,83%, a R$ 5,3364, acumulando baixa de 1,90% no mês de maio. Hoje, o Banco Central (BC) realizou leilão de swap tradicional para rolagem de até 12 mil contratos com vencimento em setembro de 2020 e fevereiro de 2021.

Entre as ações mais negociadas do dia subiram os bancos: Bradesco (BBDC4) e Itaú Unibanco (ITUB4) que avançaram 4,49% e 2,76%, respectivamente. Subiram também a Via Varejo (VVAR3), com alta de 8,31%, uma das companhias que se beneficiaria com a retomada econômica. E os papéis da Vale (VALE3), com alta de 0,79%. Ainda entre as mais negociadas a Petrobras (PETR4) fechou em leve queda de 0,05%.

A crise política brasileira também não da folga aos mercados, os investidores monitoram o impacto das manifestações pro e contra o governo Bolsonaro , que levaram algumas pessoas às ruas em plena pandemia.

Destaques da Bolsa

Entre os destaques positivos do dia estão as companhias que seriam beneficiadas pela reabertura econômica.

As companhias aéreas GOL (GOLL4) e AZUL (AZUL4) subiram com força acompanhando o otimismo da economia. A maior alta desta segunda-feira foi da Gol (GOLL4), que avançou 8,56%, cotada a R$ 13,06.

Entre os destaques positivos subiram também a Via Varejo (VVAR3) e os papéis do Iguatemi (IGTA3), com alta de 8,31% e 7,55%, respectivamente.

O destaque negativo do dia foi da CPFL Energia (CPFE3), que fechou em baixa de 1,64%, cotada a R$ 31,72. Caíram também as ações da Localiza (RENT3), com baixa de 2,26%. E o frigorífico Minerva (BEEF3), que recuou 2,32%.

Além do otimismo da retomada econômica, os impasses entre EUA e China estariam alarmando os investidores.

Boletim Focus

Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2020. O Relatório de Mercado Focus trouxe nesta segunda-feira que a mediana das previsões para a Selic neste ano seguiu em 2,25% ao ano. Há um mês, estava em 2,75%.

No câmbio, a mediana das expectativas no fim do ano seguiu em R$ 5,40, ante R$ 5,00 de um mês atrás. A expectativa para a economia este ano passou de retração de 5,89% para queda de 6,25%. A mediana para o IPCA neste ano foi de alta de 1,57% para 1,55%. Há um mês, estava em 1,97%.

Petróleo

Os contratos futuros de petróleo fecharam sem direção única, nesta segunda-feira (1), após uma sessão marcada pela instabilidade nos preços em meio à escalada nas tensões entre China e Estados Unidos, além da informação de que a Opep+ (Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados) estaria antecipando a próxima reunião. Além disso, Rússia e Estados Unidos conversaram sobre o acordo um corte na produção da commodity com a Opep+.

O petróleo WTI para julho fechou em queda de 0,14%, a US$ 35,44o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Já o Brent para agosto subiu 1,27%, a US$ 38,32 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

O mercado de petróleo apresentava instabilidade desde o início do dia, com a queda prevalecendo até final da manhã. Repercutiam os relatos sobre os motivos para antecipação da reunião da Opep+. Alguns participantes do mercado comentavam que integrantes do cartel não estão cumprindo as metas de redução da oferta estabelecidos em acordo anunciado em abril.

O Brent mais líquido ganhou força e inverteu sinal para positivo, após a Dow Jones Newswires noticiar, citando fontes, que a Opep+ vai realizar reunião virtual em 4 de junho, próxima quinta-feira. A organização também estaria próxima de um acordo para estender os cortes coletivos na produção da commodity até 1º de setembro.

Perto do horário de fechamento do petróleo chegou a notícia de que os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e dos Estados Unidos, Donald Trump, conversaram hoje sobre o acordo da Opep+ de corte na produção da commodity. Segundo a nota, divulgada pelo Kremlin, os dois líderes concluíram que o pacto levará à “restauração da demanda e à estabilização dos preços”.

Bolsas europeias

As bolsas da Europa também fecharam em alta hoje (1) com o foco dos investidores nos processos de reabertura econômica dos países.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganho de 1,10%, para 354,20 pontos.

Segundo a Bloomberg, a China determinou que grandes estatais interrompam a importação de produtos agrícolas de Washington. E nos EUA, os protestos continuam se espalhando, após a morte de George Floyd, um homem negro que foi asfixiado por um policial branco.

Nada disso, no entanto, foi suficiente para frear o bom humor dos investidores, que ainda repercutiram os anúncios feitos na sexta-feira pelo presidente americano, Donald Trump, sobre a China, que foram considerados positivos pelo mercado porque estavam dentro do previsto.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 1,48%, em 6.166,42 pontos. No Reino Unido, o PMI industrial de maio foi ligeiramente revisado para baixo na leitura final, a 39,4.

A bolsa de Frankfurt, por sua vez, não funcionou hoje devido a um feriado nacional na Alemanha, mas por lá também houve divulgação do PMI industrial de maio, com leve revisão para baixo, a 36,6.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 teve ganho de 1,43%, para 4.762,78 pontos. As ações da Renault subiram 6,19%, as da ArcelorMittal avançaram 4,86% e as da Airbus, 4,83%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB subiu 1,79%, a 18.523,71 pontos. Na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 avançou 1,76%, para 7.221,40 pontos. Em Lisboa, o PSI-20 fechou com ganho de 2,20%, a 4.425,86 pontos, na máxima do dia.

Turbine sua rentabilidade em renda fixa com Debêntures: invista pela Easynvest.

Anúncio Patrocinado Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente. Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente.

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.