Siga nossas redes

Finanças

Tesouro Direto: B3 cobra taxa de custódia dos investidores

Cobrança de 0,25% sobre o total investido acontece no primeiro dia útil do ano e no começo de julho; Tesouro Selic de até R$ 10 mil tem isenção.

Publicado

em

Tesouro Direto

Todos os investidores com dinheiro aplicado no Tesouro Direto tiveram que pagar nesta segunda-feira (4) a taxa de custódia cobrada pela B3 para manter os recursos investidos nos títulos públicos. Esta taxa incide duas vezes por ano e tem alíquota de 0,25% sobre o total investido.

A cobrança é feita sempre no primeiro dia útil do ano e também no 1º dia útil de julho. Quem aplica até R$ 10 mil em Tesouro Selic (papel que acompanha a variação da taxa básica de juros) tem isenção desta cobrança desde agosto de 2020.

O investidor precisa ter saldo na conta de sua corretora para que a B3 faça a cobrança semestralmente. Portanto, caso a conta não tenha saldo suficiente, é preciso fazer uma transferência ou resgatar algum investimento com liquidez diária (aqueles que permitem se desfazer do ativo no mesmo dia).

Os títulos do Tesouro possuem liquidez de D + 1, ou seja, o dinheiro só estará disponível no dia seguinte.

Todos os investidores cadastrados no Tesouro Direto receberam um e-mail no último dia de 2020 avisando sobre a incidência da taxa, com o título “Cobrança semestral Tesouro Direto”. Nesta mensagem, é possível saber qual valor será cobrado e em qual corretora, caso o investidor tenha recursos em mais de uma plataforma.

Veja também:

taxa de custória TD

Faça seu dinheiro começar a render mais hoje! Vem pro Nu invest!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!