Siga nossas redes

Geral

5 fatos para hoje: ata da reunião do Fed, Petrobras e OVNIs nos EUA

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos anunciou que vai criar um novo grupo para investigar a presença de OVNIs no espaço aéreo do país.

Publicado

em

Placa de estacionamento para OVNIs em Nevada (EUA) 19/09/2019 REUTERS/Jim Urquhart

1- Por inflação, vários dirigentes do Fed veem necessidade de antecipar alta de juros

Vários dirigentes presentes na última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed) levantaram a possibilidade da entidade elevar sua taxa de juros mais cedo do que o previsto, caso a inflação continue acima dos níveis consistentes com os objetivos do banco central, revela a ata do encontro realizado em 2 e 3 de novembro e divulgada nesta quarta-feira, 24.

Ao mesmo tempo, por causa da “contínua incerteza sobre desenvolvimentos em cadeias de abastecimento, logística de produção e o curso do vírus, vários participantes sublinharam que a atitude paciente em relação aos dados recebidos permaneceu apropriada para permitir uma avaliação cuidadosa da evolução do tema”, diz o documento, que ressalta que os dirigentes não hesitariam em tomar medidas para enfrentar as pressões inflacionárias que apresentem riscos aos objetivos de estabilidade de preços e emprego no longo prazo.

2- Petrobras avalia diversificar para reduzir dependência de combustíveis fósseis

Pela primeira vez, o Plano Estratégico da Petrobras – divulgado nesta quarta-feira (24) para o período 2022-2026 – trouxe a possibilidade de a estatal diversificar seus negócios para reduzir a dependência dos combustíveis fósseis, mas sem alocar Capex nem detalhar as possíveis iniciativas.

O movimento vem sendo feito pelas suas concorrentes no mundo todo, investindo em usinas eólicas em terra e mar, e também em usinas solares, mas a estatal brasileira tem priorizado a descarbonização dos seus produtos para reduzir emissões de gases efeito estufa (GEE).

No novo Plano, a companhia diz que está avançando na análise de possíveis novos negócios, que sejam rentáveis, e para isso criou uma governança de aprovação, priorizando negócios relacionados ao segmento de energia ou de novos produtos que não estejam previstos no Plano.

De concreto, a empresa manteve o compromisso de descarbonizar suas operações e anunciou investimento de US$ 1,8 bilhão, com destaque para a separação de gás carbônico (CO2), sistemas de detecção de metano, projetos nas refinarias para reduzir emissões, entre outros.

3- Pentágono vai formar novo grupo para investigar OVNIs

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos anunciou no final da terça-feira que vai criar um novo grupo para investigar informações sobre a presença de objetos voadores não identificados (OVNIs) em espaço aéreo restrito.

A formação do novo grupo ocorre depois que o governo norte-americano divulgou relatório em junho que cita 144 observações as quais faltam dados suficientes para se determinar a natureza dos OVNIs registrados.

O novo grupo será chamado de Grupo de Identificação de Objetos Voadores e Gestão Sincronizada e será supervisionado por representantes militares e de inteligência dos EUA.

A sub-secretária de defesa, Kathleen Hicks, afirmou em comunicado separado que a presença de fenômenos aéreos não identificados em espaço aéreo restrito representa potencial risco de segurança de voo e cria preocupações sobre a segurança nacional dos EUA.

O novo grupo, que vai suceder a Força Tarefa para Fenômenos Aéreos Não Identificados da Marinha dos EUA, vai trabalhar em detecção, identificação, descrição e mitigação de quaisquer ameaças associadas, afirmou o Pentágono.

Os militares norte-americanos há décadas têm minimizado observações de OVNIs, apesar de tais registros serem registrados desde antes da década de 1940.

4- STF decide que ICMS maior que 17% em telecomunicações é inconstitucional

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a cobrança de alíquota de ICMS superior a 17% sobre serviços de telecomunicações é inconstitucional, informou a corte nesta quarta-feira.

A decisão também inclui serviços de fornecimento de energia elétrica e foi tomada em caso com repercussão geral movido pela Lojas Americanas contra decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina que confirmou lei estadual de 1996 que enquadrou ambos os serviços como produtos supérfluos, prevendo a alíquota de 25% para o ICMS, afirmou o STF em comunicado à imprensa.

Na semana passada o STF já havia formado maioria contra o entendimento do TJ de Santa Catarina.

O STF afirmou que o julgamento será retomado em sessão virtual a partir da sexta-feira, para a definição da modulação da decisão.

Em comunicado, o Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda, Finanças, Receita e Tributação dos Estados e Distrito Federal (Comsefaz) afirmou que a redução das alíquotas do ICMS como resultado do julgamento “significará uma perda de 27 bilhões de reais por ano para os entes”.

Energia elétrica e comunicações são os setores que mais trazem arrecadação aos entes, juntamente com combustíveis, pontuou o Comsefaz.

Segundo a entidade, caso uma modulação da decisão não seja adotada pelo STF, “todos os Planos Plurianuais (PPAs) aprovados em 2020, com vigência a partir deste ano, e válidos até 2024, restarão inviabilizados em suas diretrizes, objetivos e metas”.

O Comsefaz ainda afirmou que o impacto da decisão “é catastrófico” não só para os Estados e Distrito Federal, mas também para os municípios, que recebem parte da receita do ICMS arrecadado.

5- Campos Neto diz que é importante perseguir meta de inflação, mas ressalta limitações

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quarta-feira que a autoridade monetária entende que é muito importante perseguir a meta de inflação, mas compreendendo as limitações colocadas por uma crise quase sem precedentes.

Com a fala, Campos Neto relativizou a viabilidade do cumprimento do objetivo para 2022 num momento em que ele é visto com cada vez mais desconfiança pelo mercado, em contraste com a postura assumida pelo BC logo após a última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em outubro, quando a mensagem era de que ainda via convergência à meta de inflação do ano que vem com o ritmo de aperto monetário adotado.

Em conferência promovida pelo Bank of America, Campos Neto disse nesta tarde que o BC começa a ver desancoragem nas expectativas de inflação à frente, com um nível de desancoragem para 2022 que tem ganhado terreno nas últimas semanas.

No boletim Focus mais recente, a estimativa para a inflação em 2022 subiu a 4,96%, ante meta central de 3,5%, com margem de 1,5 ponto para mais ou para menos.

Segundo Campos Neto, o BC tem sido transparente sobre como vê as pressões inflacionárias e sobre como está agindo.

“Achamos que é muito importante perseguir a meta de inflação, entendendo as limitações de uma crise que tem quase nenhum precedente, mas entendendo que a disseminação através das cadeias de preços tem sido muito mais intensa do que antecipávamos”, afirmou.

Veja também

  • Ações de inclusão racial no capital aberto ainda são raras; elas funcionam?
  • Com salto de 3.800%, cresce número de investidores de BDRs de ETFs
  • Por que o Brasil está subindo juros mais rápido se inflação afeta o mundo todo?
  • Ações de shoppings subindo e de supermercados caindo: o que mudou?
  • Culpa do PIX? Empresas de maquininhas perdem R$ 160 bi na bolsa
  • De morador de comunidade no Rio a diretor de um dos maiores bancos do mundo

Invista sem precisar pagar Imposto de Renda! Invista em CRI e CRA!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!