Siga nossas redes

Negócios

Casino faz acordo de reestruturação de dívida liderado por bilionário tcheco

Rede francesa vai receber investimento de 1,2 bilhão de euros.

Publicado

em

por

Tempo médio de leitura: 4 minutos

O francês Casino, controlador do GPA (PCAR3) no Brasil, anunciou nesta sexta-feira (28) acordo de reestruturação de dívida com credores liderados pelo bilionário tcheco Daniel Kretinsky, mas suas ações caíram 11%, uma vez que os acionistas serão “massivamente diluídos”.

O acordo prevê injeção de 1,2 bilhão de euros em dinheiro novo no Casino e a dívida de 6,4 bilhões será reestruturada. Um consórcio liderado por Kretinsky acabará ficando com entre 50,4% e 53% das ações do Casino.

O sexto maior varejista da França ficou à beira da inadimplência depois de anos de acordos de aquisições de empresas financiados por dívidas e recentes perdas de participação de mercado para grupos rivais.

Na semana passada, a diretoria do Casino aprovou negociações com o consórcio liderado pela empresa de Kretinsky, a EPGC, juntamente com o maior credor do Casino, a Attestor, e o segundo maior acionista, a Fimalac. O consórcio foi formado para resolver as diferenças entre os credores com relação a uma solução para a dívida.

O acordo põe fim ao reinado de 30 anos do presidente-executivo e acionista controlador do Casino, Jean-Charles Naouri, 74 anos, que controla o Casino por meio de sua holding Rallye.

“Os acionistas do Casino serão massivamente diluídos e a Rallye perderá o controle do Casino”, disse o grupo. As ações da Rallye caíram 20%.

Dos 1,2 bilhão de euros em novas ações, 925 milhões serão reservados para o consórcio e 275 milhões de euros para os credores e acionistas existentes, por ordem de antiguidade, de acordo com a apresentação da oferta do Casino.

O analista da Bryan Garnier, Clement Genelot, argumentou que o Casino precisa de 2,5 bilhões a 3 bilhões de euros de dinheiro novo para se recuperar, muito mais do que o acordo oferece.

Em uma declaração conjunta, Kretinsky disse que havia chegado o momento de fazer com que o Casino volte a “avançar e crescer”.

Casino shares are down 61% in the past 12 months. Crédito: Bloomberg

Kretinsky, 47 anos, ex-advogado de um banco de investimentos que construiu um dos maiores grupos de energia da Europa, vem adquirindo ativos no varejo, na mídia e em outros setores, comprando participações na varejista francesa Fnac-Darty, na rede de supermercados britânica Sainsbury’s e na mercearia alemã Metro, bem como no jornal francês Le Monde.

O consórcio tem como objetivo finalizar um acordo de vinculante em setembro e concluir toda a reestruturação no primeiro trimestre de 2024.

O Casino também informou que obteve acordo dos credores de uma linha de crédito rotativo para renunciarem ao direito de exigirem pagamento em caso de inadimplência.

O acordo converterá 4,9 bilhões de euros de dívida em ações, o que, juntamente com os 1,2 bilhão de dinheiro novo, reduzirá o endividamento do grupo em 6,1 bilhões de euros, de acordo com uma apresentação do Casino.

Novo plano de negócios

Na sexta-feira, o Casino reformulou sua previsões para 2023, reduzindo meta de margem Ebitda na França para 1,4%, de 2,9%, e as vendas para 14,9 bilhões de euros, de 15,3 bilhões.

Em um momento em que o setor varejista tradicional da França está se adaptando à ascensão do comércio eletrônico e das redes de supermercados com grandes descontos, os novos proprietários do Casino planejam aumentar os gastos com marketing, melhorar o serviço nas lojas e impulsionar as ofertas de compras online, conforme plano de negócios apresentado nesta sexta-feira.

O grupo pretende “gerar sinergias entre as bandeiras, capitalizando os pontos fortes do grupo”, como a oferta de vestuário nas lojas Monoprix, que são mais sofisticadas e estão concentradas nas grandes cidades.

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.