Siga nossas redes

Negócios

Após eleição de Milei, Mercado Livre ultrapassa índices nos EUA e no Brasil

Responsável pela maior receita da empresa, Brasil não deve representar mudanças para a operação, segundo especialistas.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 7 minutos

Quase dez dias depois da eleição de Javei Milei como presidente da Argentina, após a euforia inicial, o mercado financeiro do país agora tenta entender com mais detalhes quais são os rumos da economia e das empresas locais. Nesse contexto, um dos destaques é o Mercado Livre.

Em Wall Street, a ação MELI acumula alta de mais de 29% em novembro, contra 11,18% do índice Nasdaq no mesmo período. No Brasil, o papel MELI34 já tem avanço de mais de 24%, contra 10% do Ibovespa.

Para especialistas, a varejista argentina deve se beneficiar do bom humor do mercado enquanto a força das vendas no Brasil se mantêm firmes, ainda que haja alguma incerteza em torno das relações políticas.

O resultado da eleição na Argentina tem repercutido positivamente também no mercado financeiro local, com o índice Merval já acumulando alta de mais de 40% neste mês. No caso de Mercado Livre, o otimismo é alimentado também pelo desempenho positivo na Black Friday.

Galpão logístico do Mercado Livre. São Paulo. Divulgação/REUTERS.

“O fim da disputa presidencial na Argentina trouxe um resultado positivo para os ativos de risco do país vizinho: o índice Merval chegou a subir 20% na (última) terça-feira. Ou seja, o impacto foi generalizado devido à melhora da percepção do mercado em relação ao ambiente de negócios como um todo. O discurso liberal do candidato recém-eleito agradou”, comenta Leandro Petrokas, diretor de research e sócio da Quantzed.

Outro ponto que tem sido apontado como determinante para as perspectivas de Mercado Livre é o câmbio. “O impacto negativo da desvalorização do peso argentino para o EBIT (lucro operacional) do MELI é bem relevante, por isso, a possibilidade de uma valorização da moeda argentina seria bem positiva para o ativo”, explica Caroline Sanchez, analista da LVNT Corp. 

“Desde os resultados do 2º trimestre de 2023, a empresa prevê um resultado negativo de 15% do EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) por causa da desvalorização do peso”, complementa João Lucas Tonello, analista de Investimentos da Benndorf Research. 

REUTERS/Agustin Marcarian

Uma das propostas de Milei para a área econômica é dolarizar a Argentina – algo muito difícil de ser colocado em prática, segundo especialistas, mas que já traz perspectivas de mudanças na difícil realidade cambial argentina

Sanchez pondera, porém, que ainda é cedo para prever de forma exata o que deve acontecer com os resultados da empresa diante da nova realidade econômica proposta pelo presidente eleito. “Não é possível prever com precisão os impactos no comportamento do consumidor argentino e o impacto das medidas que o Milei deve implementar na economia do país.”

Mercado Livre e Brasil 

O mercado brasileiro representa a fatia mais importante do faturamento da empresa argentina. No terceiro trimestre de 2023, a receita líquida do Mercado Livre no Brasil superou os US$ 2 bilhões – bem acima de Argentina (US$ 825 milhões), México (US$ 722) e outros países (US$ 157 milhões). 

Enquanto isso, as relações políticas entre os dois países se tornaram alvo de dúvidas. Dois dias depois da eleição de Javier Milei, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que haverá “problemas políticos na América do Sul”. 

“Vamos ter problemas políticos na América do Sul e em vez de reclamar dos problemas políticos temos que ser inteligentes e tentar resolver, tentar conversar e tentar convencer democraticamente na adversidade”, afirmou em um discurso durante a formatura de diplomatas no Itamaraty.

Antes, logo após a eleição, Lula havia elogiado a Argentina pela realização do processo eleitoral, mas não cumprimentou diretamente o vencedor. Milei, por sua vez, disse durante a campanha que não iria mais negociar com o Brasil e nem falar com Lula, a quem chamou de “ladrão”, “corrupto” e “comunista raivoso”. 

Brasília (DF), 07/11/2023 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a abertura do 6º Brasil Investment Forum (BIF 2023), no Palácio Itamaraty. O evento reúne ministros e representantes do setor empresarial para discutir as oportunidades no Brasil para investidores estrangeiros. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brasília (DF), 07/11/2023 – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante evento no Palácio Itamaraty. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Nos últimos dias, porém, o tom vem sendo amenizado. A principal conselheira de política externa de Milei, Diana Mondino, teve uma reunião com o ministro de Relações Exteriores brasileiro, Mauro Vieira, no domingo (26).

Ela convidou o presidente Lula para a posse de Milei em 10 de dezembro. “Creio que a principal mensagem é que somos países irmãos, e vamos seguir sendo”, disse Mondino a jornalistas após a reunião.

De qualquer forma, o assunto segue sendo alvo de atenção entre os especialistas. “Claro que as falas do Milei sobre a possibilidade de cortar relações com alguns países como a China e o Brasil fazem acender um sinal de alerta”, diz Sanchez, da LVNT Corp. No entanto, ela é cética quando a essa possibilidade. 

De janeiro a outubro de 2023, a Argentina representou 5,27% das vendas externas brasileiras. Com um saldo superavitário de mais de US$ 4,7 bilhões na balança comercial do Brasil no acumulado deste ano, a Argentina ocupa a 3ª posição no ranking de exportações e o 4º no de importações do país. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

Assim, mesmo com as incertezas políticas, a expectativa é de pouco impacto nas relações econômicas – e, consequentemente, para empresas como Mercado Livre.

“O que deve ocorrer é um afastamento diplomático, assim como aconteceu entre o atual presidente argentino Alberto Fernández e o ex-presidente Jair Bolsonaro, de modo que não deve trazer prejuízos comerciais. A complementaridade econômica entre os dois países indica que há um alto potencial de cooperação entre eles.”

Caroline Sanchez, Analista CNPI da LVNT Corp

Na mesma linha, Petrokas, da Quantzed, acredita que a “a operação do Mercado Livre não deve ser afetada por conta do resultado das eleições”, já que, “ainda que o presidente do Brasil não seja um aliado político de Javier Milei, não há motivos para imaginar algum tipo de retaliação ou mudança nos rumos da empresa”.

Mercado Livre
Escritórios do Mercado Livre em São Paulo (SP) 10/07/2017 REUTERS/Nacho Doce

“O Mercado Livre é um dos principais players do e-commerce no Brasil, emprega muitos colaboradores brasileiros e recolhe impostos dentro do território brasileiro normalmente”, diz ele, apontando que “os investidores devem observar o guidance da empresa, os números divulgados e os fatos relevantes, não havendo, a priori, nenhum risco para a empresa”. 

Tonello, da Benndorf, chama a atenção para o alinhamento entre a operação do Mercado Livre e as prioridades defendidas pelo novo presidente. “Milei vê a geração de lucro e diminuição de custo do Estado como solução para os problemas econômicos vividos na Argentina. Assim sendo, visto que Brasil e México são recordes do 2º trimestre da companhia, a operação não terá grandes alterações”.

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.