Siga nossas redes

Perfis

Carlos Eduardo Brandt

Carlos Eduardo Brandt

Carlos Eduardo Brandt é considerado um dos responsáveis por criar o PIX no Brasil

Perfil de Carlos Eduardo Brandt


Nome Completo Carlos Eduardo Brandt
Local de Nascimento Brasil
Nacionalidade Brasileiro
Formação Engenharia e Direito
Ocupação Chefe de departamento adjunto Banco Central do Brasil

Biografia de Carlos Eduardo Brandt


Quem é Carlos Eduardo Brandt

  • Confira o conteúdo em áudio, se preferir!


Carlos Eduardo Brandt é um nome que tem ganhado cada vez mais destaque no cenário financeiro brasileiro. Ele é um dos responsáveis pela criação do Pix, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central que mudou a forma como as transações financeiras são feitas no Brasil. Descubra a seguir quem é Carlos Eduardo Brandt e como sua trajetória o levou até a criação do Pix.

 

Carlos Eduardo Brandt é um profissional com vasta experiência no mercado financeiro. Ele é chefe da Gerência de Gestão e Operação do Pix do Banco Central e foi o único brasileiro a figurar na lista da Bloomberg das 50 pessoas que definiram os rumos dos negócios globais em 2021.

 

Com a criação do sistema de pagamentos, ele tem contribuído significativamente para a inovação no sistema financeiro brasileiro. Sua criação, o Pix, não só revolucionou a forma como as transações financeiras são realizadas no Brasil, mas também tem o potencial de trazer ainda mais inovações no futuro.

 

Formação

Brandt possui uma formação diversificada, com graduações em engenharia e direito, com bacharelado pela Universidade de Brasília. Além disso, ele também possui pós-graduação nas áreas de finanças e direito. Sua formação acadêmica sólida e diversificada foi fundamental para a atuação no mercado financeiro, especialmente na criação e implementação do Pix.

Trajetória no mercado financeiro

Brandt tem uma carreira notável no mercado financeiro, onde é responsável por políticas e regulação de serviços de pagamentos no varejo, além de infraestrutura. Ele também contribuiu para a elaboração dos Princípios para Infraestruturas do Mercado Financeiro, publicados pelo CPMI/BIS, e atuou como gerente da Divisão de Gestão e Monitoramento do STR.

 

Sua contribuição mais significativa, no entanto, foi como um dos principais arquitetos do Pix, o sistema de pagamentos do Banco Central lançado em 2020. Por essa realização, Brandt foi reconhecido como uma das 50 pessoas mais influentes de 2021 pela Bloomberg, sendo o único representante brasileiro na lista. A lista inclui personalidades que geram impacto em diversos setores da sociedade, incluindo ciência, finanças, política, entretenimento e tecnologia.

 

Criação do Pix

A criação do Pix é um marco na história financeira do Brasil. A ideia de um sistema de pagamentos instantâneos nacional começou a ser discutida desde 2016, sob a chefia do economista Ilan Goldfajn. O Banco Central realizou um estudo apontando os benefícios e o impacto do uso de uma ferramenta de pagamentos rápidos no país, com o objetivo de criar um sistema similar ao utilizado pela startup Zelle, que lançou uma plataforma de transferências rápidas nos Estados Unidos em outubro de 2016.

 

Carlos Eduardo Brandt, como chefe da Gerência de Gestão e Operação do PIX, foi um dos principais responsáveis por trazer essa ideia à realidade. Ele liderou uma equipe de especialistas que trabalharam incansavelmente para desenvolver e implementar o PIX, garantindo que o sistema fosse seguro, eficiente e acessível a todos os brasileiros.

 

 

Quando o PIX foi criado?

O PIX foi lançado oficialmente pelo Banco Central em novembro de 2020. No entanto, o planejamento e desenvolvimento da tecnologia que deu vida ao PIX começou muito antes, em 2018, durante o governo de Michel Temer.

 

Em qual governo o PIX foi criado?

Embora o PIX tenha sido lançado durante o governo de Jair Bolsonaro, a criação e desenvolvimento do PIX ocorreu durante a presidência de Michel Temer. O lançamento da tecnologia ocorreu em novembro de 2020.

 

Os benefícios do PIX

O PIX trouxe uma série de benefícios para o sistema financeiro brasileiro. Ele permitiu a inclusão financeira de mais de 60 milhões de pessoas, facilitou a realização de transações financeiras e permitiu a transferência de fundos entre pessoas de forma mais fácil e rápida. Além disso, o PIX também permitiu a criação de novos modelos de negócios e estimulou o empreendedorismo.

O futuro do PIX

O Pix já se consolidou como um dos principais meios de pagamento no Brasil, mas isso não significa que o trabalho de Carlos Eduardo Brandt e sua equipe tenha acabado. Pelo contrário, eles continuam trabalhando para aprimorar o sistema de pagamentos instantâneo e adicionar novas funcionalidades que podem beneficiar ainda mais os usuários.

 

Brandt acredita que o PIX é um “chassi” para inovações contínuas. Ele vê o Pix como um ecossistema em constante evolução, em que novas necessidades e tecnologias surgem e são incorporadas para melhorar a experiência dos usuários. Entre as próximas inovações planejadas estão o Pix Automático, que deve endereçar a questão dos pagamentos recorrentes, e o Pix Garantido, que tem por objetivo trazer ainda mais segurança para as transações.

Pix internacional

Carlos Eduardo Brandt e sua equipe trabalhavam em 2023 para adicionar transferências internacionais ao Pix. Embora seja um desafio complexo, a implementação do Pix internacional tem o potencial de melhorar significativamente o fluxo de recursos entre o Brasil e outras jurisdições.

 

pix

Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. O meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro.