Siga nossas redes

Claudia Kodja

6 estratégias para o seu negócio em tempos de instabilidade da inflação

Veja as principais alternativas para alavancar a sua empresa em meio às turbulências da economia.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 7 minutos

A ruptura de mercados e as incertezas deverão permanecer no curto prazo, com aumento das pressões inflacionárias e avanço do processo de desglobalização, ao longo dos próximos 2 anos.

Trazendo o cenário macro para nossa realidade, empresas e negócios de todos os tamanhos deverão se concentrar cada vez mais na busca por segurança financeira, diversificação comercial e resiliência emocional.

Para auxiliar os empreendedores nestes tempos de volatilidade e incerteza, irei apresentar estratégias que podem proteger o seu negócio durante os períodos inflacionários, que são as mesmas que preservam e desenvolvem a empresa em qualquer outro período do mercado.

Vamos às estratégias conhecidas da boa administração, para pequenos, médios e grandes negócios, que observadas com o devido rigor, protegem e garantem a sua perpetuidade nos períodos de incerteza e a qualquer outro tempo do mercado.

1 – Analise as margens de contribuição e otimize a prateleira de produtos

Antes de elevar o preço dos seus produtos, confira a margem de contribuição de cada um desses itens para as receitas da sua empresa. 

Ajuste as estratégias de preços com base nas margens de contribuição sobre o resultado financeiro líquido, concentrando seus esforços de marketing nos produtos mais lucrativos e seus complementares.

Gostaria de ressaltar que nem todas as categorias e segmentos sofrem uma perda significativa de demanda em períodos de inflação alta. Por isso, é essencial estimar a tolerância da demanda, também chamada elasticidade da demanda, com relação a variações de preços antes de elevar os preços. Combinado?

2 – Otimize o giro do estoque

O desejo de todo empreendedor é manter estoques baixos e suficientes para atender seus clientes, ou seja, empreender o menor caixa possível em estoque e não deixar de atender a demanda de seus clientes.

No entanto, em épocas de inflação a gestão de estoque poderá colocá-lo um passo à frente da concorrência. Antecipar a aquisição de mercadorias com maior margem de contribuição e maior giro irá proteger seu negócio da alta de preços.

3 – Reveja seus fornecedores

A pesquisa de mercado e negociação com fornecedores deve ser uma rotina para todo o empreendedor. Oportunidades de prazos médios de pagamento, venda consignada ou preços mais vantajosos podem se tornar a sua maior vantagem competitiva e colocá-lo à frente do jogo, em qualquer período do mercado.

4 – Controle dos custos e despesas

Cédulas de real
Cédulas de real Crédito: Agência Brasil

Segundo o economista e empresário Paulo Lemann:

“Procure manter despesas e custos no nível mais baixo possível. Até por ser o único elemento de um negócio que você realmente consegue controlar.”

Por isso, não deixe de ter um registro confiável dos gastos para que você possa identificar as alternativas corretas de redução.

Através da análise dos seus custos operacionais, comerciais e despesas administrativas, você poderá realizar cortes e economias, realizando o seu trabalho de forma mais produtiva.

Separei algumas dicas para te ajudar a colocar em prática no seu negócio:

  1. Criar programas de conscientização sobre o uso de suplementos, energia e telefonia pode fazer a diferença.
  2. Lembre-se que a contratação de autônomos e terceirização de serviços bem-feita possibilita a substituição de custos fixos por custos variáveis.
  3. Verifique a possibilidade de automatização dos processos manuais.
  4. Aposte no marketing e nas vendas online.
  5. Opte por espaços compartilhados ou por trabalhar em casa, reduzindo o custo de locação.
  6. Verifique a possibilidade de um banco de horas em substituição ao pagamento de horas extras.

Outro ponto importante:  verifique os possíveis riscos legais e as limitações impostas pelos cortes e estrutura reduzida. Estratégias de corte de gastos devem ser executadas de forma precisa e com o menor ruído possível.

5 – Renegocie as dívidas e procure novas alternativas no sistema bancário

Busque um parceiro no mercado financeiro que o ajude a administrar seu fluxo de caixa e renegocie com seus credores taxas e prazos mais vantajosos para suas dívidas.

Lembre-se que os credores têm todo interesse em manter o seu fluxo de pagamentos e que o sistema financeiro brasileiro vem sofrendo um processo de abertura importante, com o aparecimento das novas fintechs de crédito.

Alguns exemplos são: Capital Empreendedor, Nexoos e Juros Baixos. Além de cinco novas linhas de crédito para empreendedores, lançadas pelo governo, sendo elas: Brasil pra Elas, Simplificação do Microcrédito e Crédito para o Empreendedor.

6 – Envolva seus funcionários, fornecedores e prestadores de serviços

Seus funcionários e colaboradores podem ver oportunidades que estão fora do seu alcance.

Uma boa estratégia é envolver toda sua equipe e a interface com o mercado externo em um processo colaborativo, onde o impacto relacionado ao aumento de preços é compreendido por todos e comunicado aos clientes de forma correta.

Como dito anteriormente, as ferramentas que irão protegê-lo ao longo dos ciclos inflacionários são rotinas que garantem o seu desenvolvimento e perpetuidade a qualquer tempo.

Por esta razão, seguem alguns sistemas gratuitos e de qualidade que podem auxiliar o controle e gestão dos seus negócios:

  1. Conta Azul (pago): está entre os melhores aplicativos de gestão, realiza controle de processos financeiros, de vendas e do estoque, atualiza os extratos e prepara relatórios de fluxo de caixa e de resultados. 
  2. Qipu (gratuito): lançado pelo Sebrae e pelo Buscapé para facilitar a administração das micro e pequenas empresas. Possui integração bancária, cadastramento de clientes, controle financeiro, fluxo de caixa, emissão de notas fiscais eletrônicas e acompanhamento das notificações das obrigações fiscais. 
  3. Quickbooks (pago): é líder mundial em gestão financeira, atende pequenas e médias empresas, com controle de gastos, de orçamento, de estoque, geração de boleto, notas fiscais e emissão de relatórios. 
  4. Omie (gratuito, para empresas com movimentação financeira de até R$ 180 mil, em doze meses): desenvolve sistemas de gestão empresarial para PMEs, oferece saldo e controle do estoque, planejamento de caixa, faturamento e cobrança de mensalidades e medição de inadimplência.

Portanto, não há mais desculpas. As novas ferramentas digitais de gestão de negócios permitem que todos tenham os registros e a análise dos negócios.

Cuide do seu negócio

Deixo duas dicas em formato de frases, a primeira é de autoria do filósofo grego Platão:

“Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida.”

E parafraseando o filósofo: não espere por uma crise para descobrir o que é importante para o seu negócio.

*Claudia Kodja, mentora da Liga dos Empreendedores da FGV, membro da Copenhagen Institute for Futures Studies e gestora executiva da Kodja Escola de Negócios.

As informações desta coluna são de inteira responsabilidade do autor e não do InvestNews e das instituições com as quais ele possui ligação. 

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.