Siga nossas redes

Economia

Inflação dos EUA é moderada em julho; gastos do consumidor desaceleram

Escassez de veículos conteve um aumento nas despesas com serviços presenciais, sustentando visões de que o crescimento econômico será moderado no 3º tri.

Publicado

em

por

Reuters
inflação: preços ao consumidor EUA - shopping King of Prussia
Shopping King of Prussia, Pensilvânia, EUA 08/12/2018. REUTERS/Mark Makela/File Photo

Os gastos do consumidor dos Estados Unidos desaceleraram em julho, uma vez que a escassez de veículos conteve um aumento nas despesas com serviços presenciais, sustentando visões de que o crescimento econômico será moderado no terceiro trimestre em meio a um ressurgimento das infecções por Covid-19.

Os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, aumentaram 0,3% no mês passado, informou o Departamento do Comércio nesta sexta-feira. Os dados de junho foram revisados para cima para mostrar alta de 1,1%, em vez de 1,0%, conforme divulgado anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters projetavam 0,3% de avanço nos gastos do consumidor. A demanda está voltando para serviços como viagens e lazer, mas os gastos não têm sido suficientes para compensar a queda de bens, cujas compras também estão sendo impactadas pela escassez, principalmente de veículos.

O governo dos EUA informou na quinta-feira que os gastos do consumidor subiram 11,9% em taxa anualizada no segundo trimestre, um avanço robusto, respondendo por grande parte do ritmo de crescimento de 6,6% da economia, o que elevou o nível do Produto Interno Bruto acima do seu pico no quarto trimestre de 2019.

A inflação dos EUA continuou subindo em julho, estimulada pelas constantes restrições de oferta e pela trajetória da economia em direção à normalidade após a turbulência causada pela pandemia.

Há sinais, no entanto, de que a inflação atingiu seu pico ou está perto de atingir.

O índice de inflação PCE, excluindo os componentes voláteis de alimentos e energia, subiu 0,3% em julho, após avançar 0,5% em junho. Nos 12 meses até julho, o chamado núcleo do PCE avançou 3,6%, após alta semelhante em junho.

O núcleo do PCE é a medida de inflação preferida para a meta flexível de 2% do Federal Reserve.

O discurso amplamente aguardado do chair do Fed, Jerome Powell, na conferência econômica de Jackson Hole, nesta sexta-feira, será observado por investidores em busca de pistas sobre quando o banco central dos EUA começará a reduzir seus US$ 120 bilhões em compras mensais de títulos.

Powell afirmou que a inflação alta , que está afetando os gastos, será transitória.

Veja também

Ganhe dinheiro com as variações cambiais enquanto seu patrimônio fica protegido. Invista em Dólar!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!