Siga nossas redes

Guia Financeiro

IPCA: o que é e como a inflação impacta seus investimentos em 10 pontos

Saiba mais sobre o IPCA, como é calculado e por que ele é considerado o índice oficial de inflação do país.

Publicado

em

IPCA, mulher no mercado com o carrinho de compras

O (IPCA) Índice de Preços ao Consumidor Amplo é um indicador que mexe diretamente com o bolso do investidor. Além de medir como está a variação do custo de vida, ele é considerado o índice da inflação oficial do país e também mexe com a taxa de juros e investimentos.

Veja abaixo 10 pontos sobre o IPCA:

O que é IPCA?

IPCA é a sigla para Índice de Preços ao Consumidor Amplo. É um dos principais índices de inflação do país, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). É conhecido ainda como o índice que mede a inflação oficial do país. 

Ele busca medir a variação de preços para os consumidores de forma bem abrangente. O objetivo é acompanhar a inflação dos produtos e serviços mais consumidos pelas famílias que vivem em áreas urbanas do país. 

Como o IPCA é calculado?

A pesquisa monitora os itens mais consumidos pelas famílias que têm rendimento de 1 a 40 salários mínimos – o que deve garantir uma cobertura de 90% das que vivem nas áreas urbanas pesquisadas pelo IBGE.

Para isso, o cálculo do IPCA é dividido em grupos, sendo que cada um tem um peso diferente na composição do índice – ou seja, assim como ocorre no orçamento das famílias, no indicador determinados gastos pesam mais que outros. Os maiores pesos são os preços dos transportes, alimentação e habitação. Já os menores são vestuário e artigos de residência.

Segundo o IBGE, a base para a escolha dos produtos e serviços que vão compor a cesta de consumo do IPCA – e que terão seus preços monitorados para o cálculo do índice – é a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF). É ela que apura os itens mais consumidos pela população e quanto do rendimento familiar é gasto em cada um deles. 

A última POF foi realizada pelo IBGE em 2017 e 2018. Para acompanhar as mudanças nos hábitos de consumo da população captadas pela pesquisa, os produtos e serviços usados para medir a inflação oficial do país foram atualizados a partir do índice de janeiro de 2020.

Foram incluídas novas tendências, como transportes por aplicativo e serviços de streaming, passando por tratamento e higiene de animais domésticos. 

Além da divisão do peso, o índice também conta com divisão regional. Alguns locais, como São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, têm peso maior em sua composição.

Para que serve o IPCA?

O objetivo do IBGE ao calcular o IPCA é acompanhar a situação da inflação no país de maneira ampla. Mas o indicador também tem outros usos. Um dos principais é servir de parâmetro para o regime de metas de inflação para o Banco Central. Por isso, é possível dizer que o indicador impacta diretamente a taxa Selic – já que, se a inflação estiver acima da meta, o BC tende a subir os juros para esfriar a demanda dos consumidores e, assim, reduzir a pressão de alta dos preços.

Além disso, o IPCA também é utilizado como índice de reajustes em alguns tipos de contratos, negociações salariais e parâmetro de rentabilidade de investimentos (veja mais abaixo).

Retrospectiva da inflação

O IPCA existe há cerca de 40 anos, e registrou seus picos históricos na época em que o Brasil convivia com um intenso descontrole descontrole de preços – o famoso período da hiperinflação. Em março de 1990, o IPCA mensal ficou em 82,39%, a maior variação já registrada para um mês pelo IBGE. 

Já o pico de baixa, ainda considerando a variação mensal de preços, foi em agosto de 1998, quando o índice ficou negativo em 0,51% (deflação). 

Considerando o período pós-Plano Real (ou seja, depois de julho de 1994), o resultado mensal mais alto do IPCA foi registrado em novembro de 2002, quando o indicador ficou em 3,02%. Naquele período, temores do mercado financeiro fizeram com que o dólar disparasse em relação ao real, o que impacta a inflação ao encarecer produtos e insumos importados.

O que faz a inflação subir e cair

O IPCA é impactado com mais intensidade por mudanças de preços de itens que fazem parte dos grupos com maior peso em sua composição. Logo, um aumento no preço dos combustíveis, por exemplo, entra no cálculo pelo grupo de transportes, que tem participação importante na composição e, por isso, tende a impactar mais fortemente o índice de inflação. 

Outro exemplo: se um fator climático faz com que o preço dos alimentos suba, o IPCA tende a ser puxado para cima porque esse grupo também tem um peso importante em sua composição. 

Por outro lado, se o mercado de videogames registra uma alta de preços, o impacto sobre o índice seria menor. Afinal, esse produto faz parte do grupo de artigos para residência, que tem o menor peso na composição.

 Que dia do mês é divulgado o IPCA?

Não existe data fixa exata, mas o IBGE costuma divulgar na primeira quinzena de cada mês o resultado fechado do mês anterior. 

Qual o valor do IPCA hoje?

É possível ver o valor atualizado no site do IBGE. A página disponibiliza ainda uma ferramenta para que o consumidor possa corrigir valores pela inflação acumulada em determinados períodos.

Por exemplo: uma pessoa que recebia em julho de 2001 um salário de R$ 500 só teria o mesmo poder aquisitivo em julho de 2021 se os ganhos então fossem de R$ 1.680,50, já que o IPCA acumulado nesse período foi de 236,10%.

Relação com outros índices de inflação

O IBGE produz outros índices de inflação ao consumidor. Dois deles são diretamente relacionados ao IPCA. 

  • IPCA-15: A diferença é apenas no período de coleta, que abrange, em geral, do dia 16 do mês anterior ao dia 15 do mês de referência. Por isso, ele funciona como uma “prévia do IPCA daquele mês”.
  • IPCA-E: é o acumulado trimestral do IPCA-15

Outro índice do IBGE que mede os preços para o consumidor é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Ele busca medir a inflação para as pessoas que ganham menos. Para isso, o indicador acompanha a variação do custo de vida médio apenas de famílias com renda mensal de 1 a 5 salários mínimos.

O IBGE explica que esses grupos são mais sensíveis às variações de preços, pois tendem a gastar todo o seu rendimento em itens básicos, como alimentação, medicamentos, transporte etc.

Como o IPCA impacta os investimentos e financiamentos

Existem diversos tipos de investimentos em renda fixa que possuem rentabilidade atrelada ao IPCA (veja mais abaixo). Além disso, o índice é um bom parâmetro para que o investidor avalie seus ganhos. Se ele optar por um investimento que renda menos que a inflação acumulada no mesmo período, na prática ele teve rentabilidade real negativa, o que significa perda do poder de compra.

Os financiamentos também são afetados, já que contratos geralmente utilizam indicadores de inflação como fator de correção de parcelas – e o IPCA pode ser um deles.

Como proteger a carteira da inflação?

Os títulos indexados à inflação estão entre os mais buscados por investidores que querem se proteger da alta de preços, conforme comenta Eduardo Perez, analista de investimentos do Nu invest. O mais conhecido é o NTN-B Principal, conhecido como Tesouro IPCA+

Nesse papel do Tesouro Direto, o investidor que carrega seu título até o vencimento recebe como rentabilidade a variação da inflação medida pelo IPCA no período, mais um percentual pré-determinado.

Também é possível encontrar outros títulos indexados ao IPCA como CDBs, debêntures, CRIs, CRAs, LCIs e LCAs.

Veja também

Invista seu dinheiro no investimento mais seguro do mercado a partir de R$ 36. Invista em Tesouro Direto!

Anúncio Patrocinado Corretagem zero Easynvest Corretagem zero Easynvest

Anúncio Patrocinado Confira a carteira recomendada mensal de Agosto de 2021

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.