Siga nossas redes

Finanças

Gol reduz previsão de receita para o 2º semestre e eleva estimativa de dívida

Receita líquida deverá somar R$ 5,4 bilhões, ante estimativa anterior de R$ 6 bilhões.

Publicado

em

Gol
Boeing 737-800 operado pela Gol pousa no aeroporto de Congonhas (SP). 5/11/2018. REUTERS/Paulo Whitaker

Em relatório de projeções divulgado nesta quinta-feira, a Gol (GOLL4) reduziu a previsão de receita líquida para o segundo semestre deste ano e elevou a estimativa de dívida.

A companhia aérea informou que sua receita líquida deverá somar R$ 5,4 bilhões no segundo semestre de 2021, ante estimativa anterior de R$ 6 bilhões. Ainda assim, a quantia representa um aumento de 85% em relação ao mesmo período de 2020.

A previsão para a dívida líquida ajustada aumentou de R$ 14,8 bilhões para R$ 15,3 bilhões.

A Gol espera ainda encerrar o ano com R$ 4,2 bilhões em liquidez, ante R$ 4,5 bilhões projetado anteriormente.

A projeção para o lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) ficou em R$ 1,7 bilhão, contra estimativa anterior de R$ 2 bilhões.

A companhia informou que a retomada operacional iniciada em meados do segundo trimestre de 2021 “deve seguir em ritmo crescente à medida que a imunização da população se intensifica”, e, com isso, a capacidade planejada para o segundo semestre irá aumentar em 46% em relação ao mesmo intervalo do ano passado.

A Gol comunicou que, para adequar os custos operacionais aos patamares atuais de vendas e demanda, irá operar com 102 aeronaves no final do segundo semestre (versus 110 projetadas anteriormente), o que representará 133% da frota média operada no segundo semestre do ano passado e 56% maior em relação ao primeiro semestre deste ano.

Resultados

A Gol também reportou nesta quinta-feira seu balanço financeiro referente ao segundo trimestre.  A companhia teve lucro líquido de R$ 643 milhões no período, ante prejuízo de quase R$ 2 bilhões em igual período do ano passado. A receita saltou 187,4%, de R$ 357,8 milhões, para R$ 1 bilhão.

Veja também

Seja sócio das maiores empresas do Brasil com corretagem ZERO! Invista em Ações

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!