Siga nossas redes

Finanças

Dólar chega a cair abaixo de R$ 5, mas fecha em alta após Fed; Ibovespa cai

Indicação de alta dos juros nos EUA em 2023 ampliaram queda da bolsa e alta do dólar.

Publicado

em

Notas de dólar e real. 10 de setembro de 2015. REUTERS/Ricardo Moraes

O dólar chegou abaixo de R$ 5 nesta quarta-feira (16), mas ganhou força novamente após comunicado do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). Já o Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, a B3, fechou queda. O dia é marcado por expectativas sobre os anúncios das taxas de juros no Brasil e nos Estados Unidos.

O dólar subiu 0,32%, comercializado a R$ 5,059. Na mínima do dia mais cedo, a moeda chegou a R$ 4,9931. Esta foi a primeira vez desde junho de 2020 que a moeda norte-americana chega abaixo de R$ 5. Nos últimos dias, especialistas já previam que o dólar chegaria abaixo de R$ 5.

Já no mercado de ações, o Ibovespa caiu 0,64%, aos 129.259 pontos. Veja a cotação do Ibovespa hoje.

De olho nos juros

Nos EUA, o Fed manteve as taxas de juros inalteradas, no intervalo entre 0 e 0,25% ao ano. O BC norte-americano apresentou suas projeções para os primeiros aumentos das taxas de juros pós-pandemia em 2023, citando uma melhoria na situação sanitária e deixando de lado uma referência de longa data de que a crise estava pesando sobre a economia.

“O Fed entregou o que o mercado esperava ansioso: uma sinalização da data do aumento da taxa de juros. As expectativas convergem para o fim de 2023. É uma alta antecipada. Na ocasião da última reunião, não havia expectativa de qualquer aumento em 2023″, comentou João Beck, economista e sócio da BRA.

Enquanto isso, no Brasil, o BC deve anunciar o terceiro aumento consecutivo de 0,75 ponto percentual na taxa Selic, para 4,25%. As atenções também se voltam para o comunicado, já que o BC pode indicar um ciclo mais agressivo à frente ao abandonar seu compromisso com uma “normalização parcial” da política monetária, mostrou pesquisa da Reuters.

Destaques da bolsa

Vale (VALE3) caiu 3%, com declínio dos futuros do minério de ferro na China. Além disso, credores da Samarco entraram na Justiça contra financiamento adicional de R$ 1,2 bilhão da Vale e da BHP, sócias na Samarco.

BRF (BRFS3) recuou 2,39%, em meio a ajustes, conforme segue nos holofotes após investida da Marfrig (MRFG3), que se tornou maior acionista individual da empresa, e especulações de que a JBS (JBSS3) poderia entrar na disputa pela companhia.

B3 (B3SA3) subiu 1,44%, engatando mais uma sessão de recuperação, após sofrer recentemente com ruídos envolvendo um eventual novo competidor, bem como alguma acomodação nos volumes de negociação de ações.

Eletrobras ON (ELET3) subiu 0,78%, tendo no radar votação no Senado da medida provisória que abre caminho para a privatização da companhia, prevista para esta quarta-feira. Eletrobras PNB (ELET6) perdeu 0,67%.

Bolsas mundiais

Wall Street

Os três principais índices de Wall Street fecharam em queda nesta quarta-feira depois que o Fed indicou estar projetando aumento das taxas de juros em 2023, um ano mais cedo do que os agentes esperavam.

  • O Dow Jones caiu 0,77%, para 34.033,67 pontos
  • S&P 500 perdeu 0,54%, para 4.223,7 pontos
  • Nasdaq recuou 0,24%, para 14.039,68 pontos

Europa

As ações europeias fecharam em máxima recorde nesta quarta-feira, apesar da cautela antes da reunião do Fed.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,17%, a 7.184 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,12%, a 15.710 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,20%, a 6.652 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,12%, a 25.767 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,31%, a 9.202 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,46%, a 5.225 pontos.

Ásia e Pacífico

As ações da China terminaram em baixa nesta quarta-feira, pressionadas pelas perdas em ações de matérias-primas e saúde, com os investidores preocupados com os altos valores e com o resultado da reunião do Fed, que pode provocar saída de fluxo externo.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,51%, a 29.291 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,70%, a 28.436 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,07%, a 3.518 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,67%, a 5.080 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,62%, a 3.278 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,37%, a 17.307 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 1,11%, a 3.139 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,09%, a 7.386 pontos.

(*Com informações de Reuters)

Leia também:

  • Tesouro Direto: veja as datas dos leilões de títulos no 3º trimestre
  • Clubes de futebol começam a adotar criptomoedas
  • IPOs à vista: o que esperar de Raízen, CSN, SmartFit, Traders Club e Multilaser?

Invista com rentabilidade altíssima alavancando seus ganhos! Invista em Índice!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!