Siga nossas redes

Finanças

SulAmérica encerra em alta de 15%; Petrobras e PetroRio viram para queda

Dentre outras empresas que reportaram balanço trimestral, a Azul terminou o dia em forte baixa, enquanto a Ambev virou e encerrou com leve avanço.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

Plataforma P-51 da Petrobras em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro
Plataforma P-51 da Petrobras em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro REUTERS/Bruno Domingos

As ações da seguradora SulAmérica encerraram a quinta-feira (24) com as maiores altas do principal indicador da B3, o Ibovespa. O avanço ocorre após o grupo hospitalar Rede D’Or ter informado na noite da véspera a compra da empresa.

Em meio à queda do indicador financeiro, que repercutiu a invasão da Ucrânia pela Rússia, as empresas ligadas ao petróleo chegaram a avançar forte refletindo a aceleração do Brent, que subiu acima de US$ 105 o barril pela primeira vez desde 2014, porém só a 3R Petroleum terminou o dia no positivo

A estatal Petrobras, que mais cedo operava com ganhos, passou a cair, tendo como pano de fundo o balanço financeiro divulgado na véspera.

Quem liderou as perdas do indicador foi a operadora de planos de saúde Qualicorp, seguida da Rede D’Or. Depois de divulgarem balanço trimestral, a companhia aérea Azul encerrou em queda, enquanto a Ambev inverteu as perdas e terminou em alta. Confira os destaques do dia:

SulAmérica

A SulAmérica (SULA11) subiu 15,19%, para R$ 35,64, liderando as altas do pregão. A valorização ocorre após a Rede D’Or (RDOR3) ter acertado a compra da empresa. A operação, toda em ações, avalia a seguradora em cerca de R$ 13 bilhões e é maior aquisição da Rede D’Or desde que a companhia marcou sua estreia na B3 em maio passado com uma oferta inicial de ações (IPO) de R$ 11,5 bilhões. Em compensação, a Rede D’Or cedeu 7,66%, para R$ 51,25. O pior desempenho ficou com a Qualicorp (QUAL3), com declínio de 14,77%, para R$ 13,85.

Petroleiras

A ação preferencial PETR4 da Petrobras, que estava em alta mais cedo, finalizou em queda de 2,43%, para R$ 33,39. A ordinária PETR3 caiu 1,57%, para R$ 35,71. A petroleira informou na noite da véspera que registrou lucro líquido de R$ 31,5 bilhões no quarto trimestre de 2021, o que representa queda de 47,4% ante o valor de R$ 59,9 bilhões reportados no mesmo período de 2020. No acumulado de 2021, entretanto, os ganhos avançaram 1.400% ante o ano de 2020. No setor, os papéis de 3R Petroleum (RRRP3) diminuíram a alta superior a 4%, e terminaram o dia com valorização de 1,52%, a R$ 32,07, e os da PetroRio (PRIO3) inverteram o desempenho positivo, fechando em queda de 0,12%, a R$ 24,86.

Azul

A Azul (AZUL4) desabou 5,85%, para R$ 26,06. A companhia registrou prejuízo líquido de R$ 945,7 milhões no quarto trimestre de 2021, revertendo lucro de R$ 543,4 milhões no mesmo período do ano anterior. Em termos ajustados, o prejuízo líquido recuou 52,5% de outubro a dezembro sobre um ano antes, para R$ 436 milhões.

Ambev

A Ambev (ABEV3), que caía mais cedo, terminou o dia em leve alta de 0,20%, para R$ 14,84. A baixa ocorre após a companhia registrar lucro líquido de R$ 3,747 bilhões no quarto trimestre de 2021, o que representa uma queda de 45,6% ante o reportado em igual trimestre do ano anterior. Já o lucro ajustado foi de R$ 3,885 bilhões, um recuo de 44,6% ante igual etapa de 2020. A queda expressiva no resultado, segundo explicação da Ambev em release de resultados, deve-se à forte base de comparativo de 2020, quando os números foram beneficiados por créditos fiscais não recorrentes.

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.