Siga nossas redes

Geral

5 fatos para hoje: Congresso reage a supersalários; Bitcoins da Tesla

Elon Musk deu a entender que a empresa pode se desfazer dos Bitcoins que detém.

Publicado

em

Foto: Reuters/Benoit Tessier

1- Musk dá a entender que Tesla pode se desfazer de Bitcoins que já recebeu

O CEO da Tesla, Elon Musk, deu a entender no domingo, em uma interação no Twitter, que a empresa pode se desfazer dos Bitcoins que detém. Nesta semana, a companhia disse que parou de receber a criptomoeda como forma de pagamento pelos veículos elétricos que fabrica.

“Os Bitcoiners vão se esbofetear no próximo trimestre quando descobrirem que a Tesla se desfez do resto de seus ativos. Com a quantidade de ódio que @elonmusk está recebendo, eu não o culparia …”, escreveu no Twitter o usuário @CryptoWhale. “Certamente”, respondeu Musk na rede social.

Na quarta-feira (12) o fundador da Tesla informou que a empresa não receberá mais Bitcoin como forma de pagamento pelos veículos elétricos que fabrica devido a preocupações ambientais. O executivo, contudo, disse que o uso de criptomoedas é uma “boa ideia” e tem futuro promissor.

“Estamos preocupados com o rápido uso crescente de combustíveis fósseis para mineração e transações com Bitcoin, especialmente carvão, que tem as piores emissões de qualquer combustível”, escreveu Musk em uma nota também divulgada no Twitter.

Na ocasião, o CEO da Tesla disse que a empresa não venderia seus Bitcoins porque pretendia usar a criptomoeda novamente para transações comerciais assim que o processo de mineração se tornasse mais sustentável. Ao ressaltar que o mercado de cripto tem futuro promissor, Musk disse que isso não pode representar um custo grande para o meio ambiente.

2- Reabastecimento começa a reduzir escassez de combustível nos EUA após ataque cibernético

A escassez generalizada de gasolina ao longo da Costa Leste dos Estados Unidos começou a ser aliviada aos poucos no sábado enquanto o principal oleoduto de combustíveis do país intensificou suas operações após o ataque cibernético da semana passada, e navios e caminhões foram destacados para reabastecer os tanques de armazenamento esvaziados na região. 

O fechamento do Colonial Pipeline por seis dias foi o ataque virtual mais disruptivo já registrado, e provocou pânico generalizado entre motoristas norte-americanos, que deixaram os postos de gasolina de toda a região sudeste do país sem combustível

Mais de 13.400 postos de gasolina pesquisados no leste e sul pelo aplicativo de rastreamento de combustíveis GasBuddy estavam sofrendo interrupções neste sábado, mas o número é menor que os 16.200 registrados na sexta-feira. 

Na manhã de sábado, cerca de 81% dos postos de gasolina em Washington estavam sem combustível, uma melhora ante os 88% registrados na noite de sexta-feira, de acordo com o GasBuddy.

A demanda por gasolina nos Estados Unidos, enquanto isso, caiu 12,6% em relação à semana passada, uma queda que provavelmente aconteceu devido a um “surto” de compras após o fechamento do oleoduto, disse Patrick De Haan, diretor de análise de combustível na GasBuddy. 

O Colonial Pipeline começou a retomada de suas atividades na quarta-feira, e anunciou que estava se aproximando do volume normal. 

3- Congresso reage a supersalários da cúpula do governo

Parlamentares e entidades de servidores públicos reagiram à portaria do Ministério da Economia que permitiu que aposentados que continuam na ativa recebam acima do teto de R$ 39 mil. A medida beneficiou diretamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que terá um aumento de R$ 2,3 mil e passará a receber R$ 41.544 por mês e o vice-presidente Hamilton Mourão, que receberá um total de R$ 63.511, R$ 24 mil mensais a mais. No caso do ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, o reajuste, com a incorporação de R$ 27 mil, vai elevar seu salário para R$ 66,4 mil, um acréscimo de 69%.

A medida, publicada no dia 30 de abril, prevê que o teto salarial deve ser calculado separadamente sobre cada remuneração recebida por servidores civis e militares e beneficiários de pensões. Atualmente, quando o somatório das aposentadorias e salários recebidos ultrapassa os R$ 39,2 mil, aplica-se o chamado “abate-teto”, reduzindo o valor final do contracheque. Isso acabou com a publicação da portaria.

O deputado federal Elias Vaz (PSB/GO) apresentou na Câmara dos Deputados um projeto de decreto legislativo para suspender os efeitos da norma. “Em um momento de crise financeira, em plena pandemia que tem deixado várias famílias dependendo de um auxílio emergencial insuficiente de R$250, o governo apresenta uma medida para beneficiar o presidente e o alto escalão e que não teve aprovação prévia do Congresso Nacional. É vergonhoso!”, afirma o deputado.

O deputado disse ainda que o governo não apresentou de onde virão os recursos para custear a medida que, de acordo com o Ministério da Economia, custará R$ R$ 66 milhões neste ano. “Serão beneficiados apenas aqueles que já têm altos salários e podem até dobrar em alguns casos”, explica Elias Vaz.

4- País vê ‘boom’ de gestoras de recursos

Em plena pandemia, a indústria de fundos vive um “boom”, induzido por fatores que envolvem desde o baixo custo de oportunidade até o aumento de reservas de investidores. O cenário favoreceu profissionais que, em meio a questões pessoais, deixaram tesourarias e assets para empreender mesmo diante da piora nas projeções de PIB e confiança dos empresários, além de turbulências políticas. Somente neste ano até março, a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) já registrou 27 novas gestoras, ou quase a metade do resultado de um 2020 bastante profícuo, com 59 novas casas.

“O Brasil está passando por uma revolução na área de investimentos em que as pessoas buscam assets independentes, bancos digitais, e que entendemos como um caminho sem volta”, diz Roberto Reis, ex-Bram, sócio e CIO da Meraki Capital Asset Management. A asset nasceu com R$ 1,3 bilhão sob gestão.

As gestoras independentes crescem de forma acelerada desde 2017. Em três anos, o ranking da Anbima ganhou cem novos nomes, o mesmo número de assets que surgiram em cinco anos, entre 2011 e 2016. Segundo o diretor da associação, Pedro Rudge, a quantidade de investidores em busca de novas de estratégias e diversificação de investimentos, em meio a juros baixos, favorece a expansão.

No meio da pandemia, a migração para plataformas ganhou um impulso, em meio à familiarização com aplicativos e bancos digitais forçada pela exigência do isolamento social contra a covid-19. As restrições, aliás, impediram gastos na mesma proporção que a de costume pela parcela mais endinheirada da sociedade como, por exemplo, serviços. A sobra de dinheiro foi, então, desviada para investimentos, como sugere a captação líquida da indústria de fundos crescente nos primeiros meses deste ano depois do resultado do ano passado, quando a Anbima registrou o terceiro maior saldo líquido (captações menos resgates) da série histórica, iniciada em 2002.

5- Em dez anos, indústrias migram do Sudeste para outras regiões

Em dez anos, a indústria nacional ficou menos concentrada nos estados do Sudeste e ganhou força em outras regiões do país. Estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra como, entre os biênios 2007/2008 e 2017/2018, a produção industrial migrou de São Paulo e do Rio de Janeiro para outros estados.

No período, o Sudeste reduziu a participação no Produto Interno Bruto (PIB) da indústria em 7,66 pontos percentuais. O Nordeste ganhou 2,06 pontos percentuais (pp) em participação e a Região Sul, 2,46 pontos percentuais.

Mesmo assim, o Sudeste continua responsável por 53,9% do PIB industrial, seguido pelo Sul com 19,4%. O Nordeste tem 12,93% de participação; o Norte, 7%; e o Centro-Oeste, 6,7%.

(*Com informações de Reuters, Agência Brasil e Estadão Conteúdo)

Compre Ações em apenas 3 cliques e aproveite taxa ZERO de corretagem! Invista já

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!