Siga nossas redes

Negócios

Dona do Google e Microsoft sobem com resultados fortes, Apple cai

Números de vendas e receita com serviços das big techs superaram previsões de analistas no período.

Publicado

em

28/03/2018. REUTERS/Dado Ruvic

As ações da Alphabet, empresa dona do Google (GOGL34), registravam, por volta das 12h30, alta de 1,09% na Nasdad, em Nova York, cotadas a US$ 2,765.

A Microsoft (MSFT) também tinha ganhos de 0,48%, para US$ 287, 92, enquanto Apple (AAPL34) caia 0,74%, negociada a US$ 145,69.

As chamadas big techs reportaram na véspera seus balanços financeiros. Veja abaixo como foram os resultados:

Dona do Google surpreende com demanda por anúncios

A Alphabet, dona do Google (GOGL34), superou estimativas dos analistas para receita trimestral, com impulso do aumento nos gastos com publicidade puxado por maior demanda de consumidores por compras online.

O mercado de anúncios digitais está crescendo, em parte devido às medidas de isolamento social. A Alphabet disse que a receita de publicidade do Google cresceu quase 70%, para US$ 50,44 bilhões, enquanto a do YouTube subiu 83,7%, a US$ 7 bilhões, no trimestre fechado em junho.

A receita do maior fornecedor de anúncios em serviços de busca e vídeo da internet cresceu 61,6%, para US$ 61,88 bilhões, bem acima das estimativas de Wall Street de 56,16 bilhões, de acordo com dados da Refinitiv.

Microsoft supera previsões com computação em nuvem

A Microsoft (MSFT) superou as expectativas de Wall Street para receita trimestral nesta terça-feira, com aumento da demanda por serviços baseados em computação em nuvem.

A mudança impulsionada pelas medidas de isolamento social tem ajudado empresas como Microsoft, Amazon e Google.

A companhia disse que a receita em seu segmento de “Nuvem Inteligente” cresceu 30%, para US$ 17,4 bilhões, com um crescimento de 51% na divisão de computação em nuvem Azure. Os analistas esperavam crescimento de 43,1% na Azure, de acordo com dados de consenso do Visible Alpha.

A receita da divisão de computação pessoal, que inclui o sistema operacional Windows e o console de videogames Xbox, aumentou 9%, para US$ 14,1 bilhões.

A receita da empresa aumentou 21%, para US$ 46,2 bilhões no trimestre encerrado em 30 de junho, superando a estimativa de consenso dos analistas de US$ 44,24 bilhões, de acordo com dados IBES da Refinitiv.

Apple surpreende com vendas de iPhones, serviços e China

A Apple (AAPL34) divulgou vendas e lucro trimestrais acima das expectativas dos analistas, impulsionados por versões 5G do iPhones e serviços de assinatura da empresa.

Impulsionada pelas vendas do iPhone acima do previsto, a receita atingiu 81,43 bilhões de dólares, alta de 36,4% e acima das expectativas dos analistas, de 73,3 bilhões, de acordo com dados da Refinitiv. O lucro foi de US$ 1,30 por ação, também acima das estimativas de US$ 1,01 por ação.

O maior crescimento das vendas da Apple veio da China, onde o presidente-executivo, Tim Cook, disse à Reuters que os clientes estão comprando acessórios como o Apple Watch. As vendas na China cresceram 58%, para US$ 14,76 bilhões no trimestre fiscal encerrado em 26 de junho. A Apple também parece até agora ter conseguido evitar os efeitos da escassez global de chips.

Os resultados aliviaram temores de que a Apple estivesse muito dependente das vendas do iPhone, e investidores levaram o valor de mercado da companhia para quase US$ 2,5 trilhões, mais do que dobrando em cerca de três anos. A Apple lançou o iPhone 12, que pode se conectar a redes 5G, graças aos chips da Qualcomm. O lançamento ocorreu mais tarde que o costume no ano passado.

Como isso acabou empurrando para frente algumas vendas do aparelho, executivos tinham alertaram investidores para esperarem uma queda mais acentuada nas vendas do iPhone do que o normal no terceiro trimestre, à medida que os consumidores começam a esperar por novos aparelhos da companhia no fim do ano.

Mas a demanda por serviços 5G parece estar levando a um ciclo de compra de iPhones acima do previsto por analistas. A Apple disse que as vendas do iPhone foram de US$ 39,57 bilhões, quase 50% a mais que no ano anterior e acima das expectativas dos analistas de US$ 34 bilhões.

O outro grande impulsionador dos resultados da Apple foi a divisão de serviços, que inclui assinaturas de TV e música, bem como a App Store. A receita de serviços atingiu o recorde de US$ 17,49 bilhões, um terço acima do ano anterior e acima das expectativas dos analistas, de 16,33 bilhões.

As vendas de iPads e Macs foram de 7,37 bilhões e US$ 8,24 bilhões, ante expectativas dos analistas de US$ 7,15 bilhões e US$ 8,07 bilhões, de acordo com dados da Refinitiv.

Leia também:

Invista nas maiores empresas do mundo sem sair de casa e sem pagar taxa de corretagem! Invista em BDR

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!