Siga nossas redes

Economia

IPCA tem deflação de 0,31% em abril, menor índice em 22 anos

Puxado pela queda nos combustíveis, resultado foi o menor para um mês desde agosto de 1998, quando o indicador recuou 0,51%.

Publicado

em

gasolina

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, teve variação negativa de 0,31% em abril, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi a menor variação mensal em 22 anos. Em agosto de 1998, o indicador recuou 0,51%.

Segundo o IBGE, o resultado foi puxado pela queda no grupo de transportes, concentrada nos preços dos combustíveis, que caíram 9,59% em abril. Estes, por sua vez, foram puxados pela redução de 9,31% na gasolina.

IPCA

Outros 5 grupos também ajudaram a puxar o IPCA para baixo em abril. Depois de transportes, vieram os artigos de residência (-0,05 p.p.), seguidos por saúde e cuidados pessoais (-0,03 p.p) e habitação (-0,02 p.p.). Este último foi puxado pela queda nos preços da energia elétrica (-0,76%).

Ainda em Habitação, a variação positiva da taxa de água e esgoto (0,21%) decorre do reajuste médio de 6,23% em uma das concessionárias de Porto Alegre (1,94%), em vigor desde 21 de março. Alguns artigos de limpeza (0,10%) também apresentaram alta.

Alimentos ficam mais caros em abril

Por outro lado, o preço dos alimentos avançou 1,79% durante a pandemia. A alimentação em casa passou de 1,40% em março para 2,24% em abril. Em nota, o gerente da pesquisa do IBGE, Pedro Kislanov, afirmou que houve uma restrição de oferta, natural nos primeiros meses do ano, além do aumento da demanda com a pandemia de Covid-19, “com as pessoas indo mais ao mercado e cozinhando em casa”.

De acordo com o IBGE, os alimentos que mais subiram em abril foram:

  • Cebola (+ 34,83%)
  • Batata-inglesa (+ 22,81%)
  • Feijão-carioca (+ 17,29%)
  • Leite longa vida (+ 9,59%)

Já as carnes apresentaram queda de 2,01% nos preços, recuando pelo quarto mês consecutivo, segundo o IBGE.

A última vez que o país teve deflação foi em setembro de 2019, quando o IPCA teve variação negativa de 0,04%. Em março, o IPCA registrou uma taxa 0,07%, já impactado pela paralisação da atividade econômica por causa da pandemia da Covid-19.

O que é deflação?

A deflação acontece quando há uma queda nos preços dos produtos e serviços que circulam na economia. Ela pode acontecer de forma pontual ou por períodos mais longos. Neste último caso, pode ser um sinal de que algo não vai bem na economia. Quando um país entra em deflação, há um desequilíbrio no qual a oferta é maior que a demanda. Alguns países, como o Japão, lutaram por anos contra a deflação, que tem efeitos nocivos. Ela também é um efeito colateral de recessões profundas, como aconteceu após o crash da bolsa em 1929.

Coleta à distância

Em razão da Covid-19, o IBGE suspendeu no dia 18 de março a coleta presencial de preços nos locais de compra. A partir dessa data, os preços passaram a ser coletados por pesquisas realizadas em sites de internet, por telefone ou por e-mail.

*Matéria em atualização

Ganhe dinheiro sem sair de casa. Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente. Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente.

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.