Siga nossas redes

Finanças

Destaques de janeiro no Ibovespa: quais ações mais ganharam e perderam no mês?

Papéis de empresas de commodities, especialmente atreladas ao petróleo, e bancos estão entre as maiores valorizações do indicador. Por outro lado, varejistas e techs têm fortes perdas.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 6 minutos

5 fatos para hoje: presidente da Petrobras; Conselho da Vale; petróleo da Rússia

Há muitos motivos para o investidor brasileiro comemorar, pelo menos neste início de ano. O principal indicador da B3, o Ibovespa, terminou o mês de janeiro em alta de 6,98%, na contramão de importantes índices norte-americanos, como S&P e Dow Jones, por exemplo, que encerraram o período em queda de 5,85% e de 3,97%, respectivamente.

No acumulado dos últimos 31 dias, as ações das empresas de commodities, especialmente atreladas ao petróleo, e as dos bancos foram as que mais se valorizaram dentre os ativos que compõem o índice financeiro mais badalado do mercado de ações brasileiro.

Para Gustavo Cruz, estrategista da RB Investimentos, o avanço está atrelado à chegada de capital estrangeiro, que, de acordo com o dado mais recente divulgado pela B3, somou R$ 24,847 bilhões no ano até o dia 26 de janeiro, o que equivale a 35,1% do total registrado em 2021.

“Houve um fluxo de investimentos estrangeiros aportando principalmente em grandes empresas, as chamadas blue chips (ações de empresas consolidadas). Como esse dinheiro vem de fora, ele vai para as companhias tradicionais, então vemos bancos, Petrobras e Vale com destaques positivos”, explicou.

Por outro lado, papéis de companhias de setores considerados com alto potencial de crescimento, como varejo e tecnologia, ficaram com as principais perdas, impactadas pelo avanço dos juros que tornam as dívidas existentes e o acesso ao crédito para financiar novos projetos mais caros. Confira abaixo os papéis que mais se destacaram no mês de janeiro:

Destaques positivos das ações do Ibovespa

As ações da própria bolsa brasileira, a B3 (B3BSA3) encerraram o mês janeiro com a maior valorização do período (alta de 31,74%). Para Gustavo Cruz, da RB Investimentos, o desempenho, se deve, principalmente, à entrada de investidores estrangeiros no país. “Há um aumento do volume de negócios, o que acaba beneficiando a bolsa, que também tem reportado bons números nos últimos anos, abrindo os olhos para os investidores estrangeiros”, explicou.

Dentre os bancos, a ação preferencial do Itaú (ITUB4) subiu 20,99% e ficou entre as três principais altas no acumulado de janeiro. Outro papel que também se destacou no segmento financeiro foi o preferencial do Bradesco (BBDC4), com ganhos de 18,79% no mês. Felipe Vella, analista de renda variável da Ativa Investimentos, lembra que as instituições financeiras foram beneficiadas pelo cenário de taxa de juros maiores, a Selic, atualmente em 9,25%, com a expectativa de chegar a 10,75% na reunião do Copom, que começa nesta terça-feira (01). “Desta forma, as empresas do setor financeiro ganham mais spread (diferença entre o custo pago pela instituição financeira para captar recursos e quanto ela cobra quando empresta dinheiro) nas operações financeiras”, explicou.

Vella reiterou que o próprio número crescente de cancelamento de IPOs (oferta publica inicial de ações) contribui para a maior atratividade das ações das instituições financeiras. “Os bancos tendem a emprestar dinheiro para médias e grandes empresas que captariam dinheiro no mercado de ações, mas que agora vão precisar de crédito”, explicou.

Além dos bancos, as empresas de commodities também registraram forte avanço no mês de janeiro, especialmente às ligadas ao petróleo, embaladas pelo avanço no preço da matéria-prima que subiu 14,4% no acumulado do mês. Os papéis ordinários da Petrobras (PETR3) avançaram 14,89%, os preferenciais (PETR4) subiram 13,71%, enquanto os da PetroRio (PRIO3), obtiveram ganhos de 15,72% no período.

“O preço sobe principalmente com a iminência de uma possível invasão da Ucrânia pela Rússia, e isso gera mais um ponto de estresse global, principalmente nas commodities”, falou Vella da Atibva.

De acordo com o especialista, caso a crise entre os países se estenda, analistas preveem que o preço do barril alcance entre US$ 120 e US$ 150 dólares, contra um valor atual na casa dos US$ 91, isso porque um conflito militar impactaria o fornecimento de commodities pela Rússia, por exemplo, elevando o preço de produtos como o petróleo no mundo todo.

Entre as áreas, as ações da Azul (AZUL4) também estão entre as 10 mais valorizadas do mês, o que demonstra um fôlego das companhias ligadas ao turismo para este início de ano. “Quando veio a ômicron todo mundo ficou preocupado se afetaria os negócios do turismo, mas com a variante sendo um pouco mais leve, a empresa conseguiu dar uma respirada boa ao longo do mês e voltar a ser destaque”, explicou Cruz, da RB.

Ações do Ibovespa que mais subiram em janeiro

TickerVariação no acumulado do mês em %
B3SA331,74
HAPV321,97
ITUB420,99
AZUL419,91
BBDC418,79
GNDI317,98
BBDC316,24
BRML315,88
BPAC1115,87
PRIO315,72

Destaques negativos

Locaweb (LWSA3) e Alpargartas (ALPA4) emplacaram as principais desvalorizações do Ibovespa em janeiro ao caírem 26,26% e 21,15%, respectivamente. Essas companhias, chamadas de alto crescimento, em geral, precisam de crédito para crescer e, por isso, são altamente impactadas pela taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 9,25%. “Se os bancos se beneficiam do aumento dos juros, essas companhias sofrem muito com o ciclo de aumento das taxas. Muitas delas são endividadas e os custos de suas dívidas e de captação de dinheiro para novos projetos também sobem”, explica Felipe Vella, analista de renda variável da Ativa Investimentos;

Com a inflação elevada, que diminui o poder de compra dos consumidores, e o aumento de juros, o setor varejista também é outro fortemente penalizado. “O segmento tem enfrentado um consumidor mais apertado no mês, com mais dificuldade em comprar parcelado, porque a parcela pesa mais se tiver juros”, explicou.

As empresas com receitas dolarizadas também tiverem performance ruim no mês de janeiro, como foi o caso da Embraer (EMBR3), que registrou uma queda de 18,17%, devido, especialmente, à queda do dólar, que encerrou janeiro com recuo de 4,83% frente ao real. “Como uma boa parte das receitas da Embraer é dolarizada, a empresa sofre com a diminuição de sua receita futura, porque se a expectativa é que o dólar caía, a receita também deve cair”, explica Felipe Vella, analista de renda variável da Ativa Investimentos.

Ações que mais caíram em janeiro

TickerVariação no acumulado do mês em %
LWSA3-26,29
ALPA4-21,15
IRBR3-18,66
EMBR3-18,17
BRKM5-14,68
POSI3-14,13
RAIL3-12,05
NTCO3-10,74
CASH3-10,19
VIIA3-10,1

Opere com as melhores ferramentas para trader e corretagem ZERO em Ações! Comece já

Anúncio Patrocinado Probabilidades Samy Dana Probabilidades Samy Dana
ANÚNCIO PATROCINADO      Novidade Carteita TOP FII Junho

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Anúncio Patrocinado Cripto no App Nu