Siga nossas redes

Finanças

Frigoríficos dominam altas do Ibovespa; Itaú sobe após notícia de aquisição

Marfrig foi o principal destaque do pregão no dia, com alta de 5,18%.

Publicado

em

marfrig
Frigorífico da Marfrig em Promissão (SP) 07/10/2011 REUTERS/Paulo Whitaker

As ações das produtoras de carne dominaram as altas do principal do Ibovespa nesta quinta-feira (13). Durante o dia, BRF, Marfrig e JBS apresentaram fortes ganhos, mas apenas a Marfrig e Minerva fecharam entre as maiores altas. O Itaú também encerrou em alta em dia de divulgação da aquisição da corretora Ideal.

Varejistas, como GPA, Magalu e Lojas Americanas, recuaram, interrompendo ganhos recentes.

Depois de aprovar um programa de recompra de ações, a fabricante de painéis de madeira, revestimentos e louças sanitárias, Dexco também operou com valorização.

Com grande peso no índice, a petroleira estatal Petrobras operou em alta no pregão, enquanto a mineradora Vale recuou acima de 1%.

Fora do Ibovespa, a construtora Moura decolou depois da divulgação de dados operacionais do quarto trimestre.

Marfrig, Minerva, BRF e JBS

A Marfrig (MRFG3) foi o principal destaque do pregão no dia, os papéis subiram 5,18%, negociados em R$ 22,72. Em terceiro lugar entre as empresas do índice, ficou Minerva (BEEF3), com avanço de 3,06%, negociadas em R$ 10,1.

Os papéis da produtora de carnes BRF (BRFS3) chegaram a avançar mais de 4% nesta quinta-feira, em dia em que a companhia anunciou a criação de uma joint venture de frango na Arábia Saudita. No entanto, os ativos encerraram o pregão com alta de apenas 0,71%, negociados em R$ 24,01,

A JBS (JBSS3) avançou 1,73%, ao preço de R$ 37.06.

Itaú

Após anunciar a aquisição da corretora Ideal, o papel preferencial do Itaú Unibanco (ITUB4) operou e encerrou em alta de 1,85%, cotado a R$ 23,68. O banco informou que pagará cerca de R$ 650 milhões por uma participação de 50,1% na Ideal e terá o direito de adquirir os 49,9% restantes após cinco anos.

Varejistas em queda

Após apresentarem tendência de alta na véspera, as ações das grandes varejistas operaram no vermelho. O papel do GPA (PCAR3) recuou 2,68%, enquanto Magalu (MGLU3) caiu 3,49% e Lojas Americanas (LAME4) perdeu 0,54%.

Dexco

A fabricante de painéis de madeira, revestimentos e louças sanitárias Dexco (DXCO3) saltou 1,47%, para R$ 13,81. A alta ocorre após a companhia comunicar que seu conselho de administração aprovou a recompra de até 20 milhões de ações ordinárias da companhia em até 18 meses.

Petrobras e Vale

O papel preferencial da Petrobras (PETR4) se firmou no positivo, com alta de 2,02%, aos R$ 30,32. Já a Vale (VALE3) apresentou desvalorização de 1,52% perto do mesmo horário, cotada a R$ 84,2.

Moura Dubeux

A construtora e incorporadora Moura Dubeux (MDNE3) registrou alta de 11,94%, para R$ 5,53. A companhia informou que lançou três projetos no quarto trimestre de 2021, totalizando um valor geral de vendas (VGV) líquido de R$ 182 milhões, queda de 59,75% ante o mesmo intervalo do ano passado.

Investir é mais fácil do que você imagina. Aqui tem o investimento ideal para o seu perfil. Vem pro Nu invest!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!