Siga nossas redes

Finanças

Ibovespa fecha em queda de 0,59%, com pessimismo no exterior e fala de Guedes

Dólar sobe repercutindo intenção do ministro da Economia de usar reservas internacionais para solucionar dívida pública

Publicado

em

por

InvestNews
bolsa

Dia ruim para os mercados, o aumento de casos de coronavírus trouxe uma onda de pessimismo nos Estados Unidos. Wall Street sentiu os impactos de um desentendimento entre o secretário do Tesouro Nacional, Steven Mnuchin, e o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell sobre a continuidade dos estímulos fiscais em 2021.

Mnuchin aposta na melhoria da economia com as vacinas enquanto Powell discorda. As bolsas americanas tiveram um dia de queda: Dow Jones caiu 0,76%, o S&P 500 fechou em baixa de 0,69% e Nasdaq recuou 0,42%.

No Brasil, pegou mal a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, que afirmou ontem que pode usar reservas internacionais para abater a dívida pública. O mercado interpretou isso como uma desconfiança de Guedes na reforma fiscal.

Somado ao pessimismo em Wall Street, o Ibovespa fechou em queda de 0,59% aos 106.042 pontos nesta sexta-feira (20). No entanto, o índice da B3 não zerou os ganhos da semana encerrando em alta de 1,26%. Esta é a terceira semana consecutiva de ganhos.

Os juros e o dólar subiram repercutindo a falta de Guedes. O dólar comercial fechou em alta de 1,35%, cotado a R$ 5,3858. Na máxima do dia, a moeda americana chegou a R$ 5,3918.

O ganho desta sexta é o maior desde 28 de outubro, quando a cotação saltou 1,42%. Um clima ainda instável no exterior, em meio a temores sobre disparada de casos de Covid-19 nos Estados Unidos e redução de recursos para empréstimos emergenciais do banco central norte-americano, corroborou o ajuste doméstico, num contexto em que o mercado segue preocupado com o rumo fiscal do Brasil.

LEIA MAIS:

Destaques da Bolsa

O destaque positivo do dia foi do Pão de Açúcar (PCAR3) que fechou em alta de 4,55%. Segundo Murilo Breder, analista da Easynvest, a companhia informou em fato relevante que tem todas as autorizações dos credores para a cisão do Assaí e que isso não deve alterar a alocação de dívida bruta.

A notícia foi bem recebida pelo mercado porque a cisão pode destravar o valor da companhia. “Também interessa aos acionistas de PCAR3 já que a companhia anunciou que após a listagem, quem tiver 1 ação PCAR3 receberá 1 ação do Assaí”, explica.

Subiram também IRB Brasil (IRBR3) e Cielo (CIEL3) que avançaram 4,34% e 3,45%, respectivamente.

No lado oposto do Ibovespa, o destaque negativo foi da PetroRio (PRIO3) que fechou em queda de 6,07% após ter saltado quase 30% na véspera. Este foi o movimento de realização de ganhos.

Nesta quinta-feira (19), a petrolífera disparou com a notícia de que vai adquirir fatias de 35,7% no bloco BM-C-30 (campo de Wahoo) e 60% no bloco BM-C-32 (Itaipu), tornando-se assim operadora de ambos.

Caiu também a Gol (GOLL4) que desvalorizou 3,91%, repercutindo o avanço de casos de coronavírus. Seguida da Ecorodovias (ECOR3) com baixa de 3,44%.

Bolsas Americanas

As ações dos Estados Unidos fecharam em baixa nesta sexta-feira (20), quando os investidores processaram a evolução da discussão sobre estímulo fiscal, preocupações com o processo de implementação de vacinas e um número crescente de bloqueios estaduais para combater a espiral da pandemia de Covid-19.

O desempenho de papéis que se beneficiam do confinamento e que tiveram desempenho superior ao longo da crise de saúde, como da Zoom Communications e Netflix Inc, ajudaram a conter a perda do Nasdaq.

Ao longo da semana, o fluxo e refluxo das notícias sobre vacinas e o aumento das infecções fizeram os investidores oscilarem entre ações sensíveis a ciclos econômicos e líderes de mercado resistentes aos tempos de pandemia.

Dow Jones caiu 0,76%, para 29.263,28 pontos, o S&P 500 perdeu 0,69%, para 3.557,65 pontos e o Nasdaq recuou 0,42%, para 11.854,97 pontos.

Bolsas na Europa

As bolsas da Europa fecharam o pregão desta sexta-feira (20) em alta, impulsionadas por um avanço acima do esperado nas vendas do varejo do Reino Unido, assim como pela expectativa de que um acordo pós-Brexit seja alcançado entre Londres e Bruxelas. O anúncio da farmacêutica Pfizer de que pedirá autorização para uso emergencial de uma vacina contra a covid-19 também ajudou a melhorar o humor no mercado acionário do Velho Continente, embora um impasse entre o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e o Tesouro dos Estados Unidos gera cautela nos mercados em geral. O índice pan-europeu Stoxx-600 subiu 0,47%, a 389,44 pontos, e registrou ganho semanal de 1,11%.

“O novo aumento nas vendas no varejo em outubro significa que elas estão agora 6,8% acima do nível anterior ao coronavírus”, destacam analistas da Capital Economics. No mês passado, o varejo britânico cresceu 5,8%, na comparação anual, acima do esperado por analistas. No entanto, o atual “lockdown” significa que os gastos do consumidor provavelmente cairão em novembro, pondera a consultoria britânica.

O bom humor gerado pelo indicador econômico britânico aumentou após a Pfizer anunciar que enviará hoje à Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA, na sigla em inglês) dos EUA o pedido de uso emergencial de uma vacina contra a covid-19 que apresentou 95% de eficácia nos resultados finais dos testes.

Há também uma expectativa pelo acordo comercial pós-Brexit entre Reino Unido e União Europeia. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, porém, disse que o bloco quer chegar um entendimento, “mas não a qualquer preço”.

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, por sua vez, alertou que o continente enfrentará “muitos desafios” nos próximos anos, com o envelhecimento populacional, o aumento da dívida e as mudanças climáticas.

Nos Estados Unidos, há um impasse entre o Federal Reserve e o Departamento do Tesouro, após o secretário Steven Mnuchin decidir não renovar os programas emergenciais de empréstimos.

O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, avançou 0,27%, a 6.351,45 pontos, com alta de 0,56% na semana. O alemão DAX, de Frankfurt, por sua vez, subiu 0,39%, a 13.137,25 pontos, e acumulou ganho semanal de 0,46%.

O FTSE MIB da Bolsa de Milão registrou alta de 0,79%, a 21.706,96 pontos, com avanço semanal de 3,84%. Em Paris, o CAC 40 ganhou 0,39%, a 5.495,89 pontos. Na semana, o índice acionário francês subiu 2,15%.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX 35 encerrou as negociações em alta de 0,60%, a 7.977,90 pontos, e com ganho semanal de 2,49%. Já em Lisboa, o PSI 20 subiu 1,30%, a 4424,15 pontos, na máxima do dia, e também obteve alta de 1,30% na comparação semanal.

*Com Reuters e Estadão Conteúdo

Ganhar dinheiro com Ações pode ser bem mais fácil que parece. Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado BDR BDR

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.