Siga nossas redes

Finanças

Perda de poder aquisitivo na poupança é a maior desde 1991

Já são 11 meses seguidos de perdas na poupança, segundo a Economatica.

Publicado

em

poupança
poupança

Quem deixou dinheiro na poupança até julho de 2021 teve perda de 6,67% do poder aquisitivo em 1 ano. É o que aponta levantamento divulgado nesta terça-feira (8) pela Economatica, considerando o retorno da aplicação com desconto da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). 

Essa é a maior perda registrada pela aplicação da poupança desde outubro de 1991, quando o retorno ficou negativo em 9,72% em 12 meses, ainda segundo a provedora de dados financeiros.

Considerando o acumulado em 12 meses, o investidor que deixa seus recursos na poupança vem perdendo poder aquisitivo consecutivamente desde setembro de 2020. 

Com isso, já são 11 meses seguidos de perdas na poupança. A maior sequência já registrada foi de 20 meses de retorno negativo, entre fevereiro de 2015 e setembro de 2016. 

Quanto rende a poupança?

A rentabilidade da poupança é afetada pela taxa Selic, taxa básica de juros da economia. Pela regra, quando a Selic é maior que 8,5% ao ano, a poupança tem rendimento de 0,5% ao mês, mais a Taxa Referencial  (TR). Quando a Selic é menor ou igual a 8,5% ao ano, a poupança rende o equivalente a 70% da taxa Selic vigente no período.

Atualmente, a Selic está em 5,25% ao ano, e a expectativa do mercado é de que a taxa termine 2021 em 7,25%.

Veja também

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

Invista seu dinheiro no investimento mais seguro do mercado a partir de R$ 36. Invista em Tesouro Direto!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!