Siga nossas redes

Guia Financeiro

Poupança: como funciona e quanto rende hoje? Veja simulações

A caderneta é o investimento mais conhecido do brasileiro; apesar da alta segurança e comodidade, ela perde para outras aplicações de renda fixa.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 8 minutos

investimento na poupança

Você já deve ter ouvido falar que a poupança é o investimento mais tradicional do brasileiro. A caderneta  foi criada por meio de um decreto assinado por Dom Pedro II em 1861, que também instituiu a primeira Caixa Econômica do país. A medida pretendia ajudar as camadas mais pobres da população a construírem uma reserva financeira.

Por ser uma política voltada às massas e, à época, a única modalidade de investimento disponível, colocar dinheiro na poupança logo se tornou a regra entre poupadores. Passada de geração em geração, a tradição continua: a poupança ainda é a porta de entrada da maioria dos brasileiros ao mundo dos investimentos, apesar de ter perdido espaço nos últimos anos. 

No entanto, após mudanças na rentabilidade e o surgimento de novos tipos de investimento, a poupança deixou de ser, na maioria dos casos, a aplicação mais vantajosa disponível no mercado. A seguir, descubra como funciona e quanto rende esse tipo de investimento.  

Como funciona a poupança?

A caderneta de poupança é um investimento de renda fixa. Essa categoria de aplicação dá ao investidor a garantia de retornos futuros, mesmo que baixos.

No caso da poupança, o investidor conta com a proteção extra do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), uma espécie de “seguro” que garante o recebimento de até R$ 250 mil por pessoa física em caso de calote ou quebra da instituição financeira.

Taxas e custos da poupança

Por lei, a cobrança de taxas para a abertura ou manutenção da conta poupança é proibida. Portanto, o custo será zero em qualquer instituição financeira.

Além disso, os rendimentos da poupança para pessoa física são isentos de tributos e não pagam Imposto de Renda (IR). No entanto, a poupança deve entrar na declaração do IR caso os rendimentos sejam superiores a R$ 40 mil, ou caso a pessoa se enquadre em outros critérios particulares estabelecidos pela Receita Federal.

Para pessoas jurídicas, a tributação da poupança é de 22,5% sobre os rendimentos.

Liquidez

A liquidez é outra vantagem desse tipo de investimento. Ao contrário da maioria das aplicações de renda fixa, a poupança tem liquidez imediata. Isso significa que o cliente pode retirar o dinheiro depositado ali a qualquer momento – inclusive nos finais de semana.

Rentabilidade da poupança

No entanto, atenção: apesar da liquidez diária, o rendimento da poupança é mensal. O dinheiro depositado só rende após um mês na conta, no chamado “aniversário da poupança”.

Isso significa que, caso o cliente deposite uma quantia no dia 1° de janeiro, os primeiros rendimentos só vão aparecer no dia 1° de fevereiro. Se, desavisado, o investidor retirar a aplicação antes dessa data, perderá o rendimento de um mês inteiro.

Outro ponto de atenção é que o “aniversário da poupança” corresponde à data em que o dinheiro foi depositado, não ao momento em que a conta poupança foi criada. Portanto, se o investidor depositar algumas quantias em datas diferentes, essas aplicações renderão separadamente, e os rendimentos ficarão disponíveis em datas distintas.

Se o dia de aniversário cair em um final de semana ou feriado, o rendimento é creditado apenas no próximo dia útil. Além disso, se o depósito ocorrer nos dias 29, 30 e 31, a data de aniversário é marcada para o dia 1° de cada mês.

poupança regras

Tipos de poupança

Atualmente, todos os principais bancos que atuam no Brasil oferecem a possibilidade de abertura de uma conta poupança. Não há diferenciação entre benefícios de um banco para o outro, já que as regras da poupança são as mesmas para todos – tanto para rendimento quanto para taxas e isenção de impostos.

Rendimento da poupança hoje – 2021

O rendimento da poupança depende do patamar da taxa básica de juros (Selic) no momento. Além disso, ele também sofre variação da Taxa Referencial (TR), calculada pelo Banco Central e usada como referência para o rendimento de alguns investimentos. Desde 2017, a TR está zerada.

A regra do rendimento da poupança é composta por uma remuneração básica e outra adicional. Funciona assim:

  • Com a Selic menor ou igual a 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da Selic + TR.
  • Com a Selic maior que 8,5% ao ano, a poupança rende de 0,5% ao mês + TR.

Essa regra passou a valer a partir de 2012. Antes, o que valia era o estabelecido ainda nos tempos do Brasil Imperial: 6% ano (0,5% ao mês) para todas as aplicações. Assim, depósitos realizados até maio de 2012 ainda rendem de acordo com a regra antiga (mais a Taxa Referencial).

Como a inflação tem afetado a poupança

A inflação é, a grosso modo, o aumento generalizado dos preços de bens e serviços, que implica na diminuição do poder de compra das famílias. Na prática, a mesma quantidade de dinheiro passa a comprar menos produtos à medida que a inflação aumenta.

Portanto, o objetivo de um investimento deve ser, no mínimo, superar as perdas provocadas pela inflação. No caso da poupança, ultimamente isso não tem acontecido: o retorno real (rendimento menos a inflação do período) da caderneta atualmente é negativo. Em outras palavras, o investidor perde poder de compra ao colocar o dinheiro na poupança.

Veja a comparação entre o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) mensal e a rentabilidade da poupança a partir de 2016:  

E a partir de 2019:

Observe que, desde junho de 2020, a linha referente ao rendimento da poupança fica muito abaixo da linha referente ao IPCA. Além disso, enquanto o IPCA sobe, o rendimento só desce.

Para calcular quanto o investidor saiu ganhando de fato, devemos observar o rendimento real da poupança, que subtrai o valor da inflação do rendimento bruto. Note que o rendimento vem sendo negativo initerruptamente desde junho de 2020:

Quanto rendem R$ 1.000 por mês na poupança

Como vimos, a rentabilidade da poupança depende dos valores da Selic e da Taxa Referencial.

Considerando a Selic em vigor em setembro de 2021 (6,25% ao ano), a poupança rende 4,38% ao ano e 0,36% ao mês, já que a regra aplicada nesse caso é a de 70% do valor da taxa Selic.

Caso uma pessoa decida deixar R$ 1.000 rendendo na poupança por 12 meses, e assumindo que a taxa Selic não variou durante o período, ela terá R$ 1.043,80 ao fim de setembro de 2022. Isso significa que os R$ 1.000 renderiam R$ 43,80 de juros durante um ano na poupança.

Se essa pessoa escolher adicionar mais R$ 1.000 todo mês na caderneta, considerando as condições usadas no exemplo anterior, ela chegaria ao fim de setembro de 2022 acumulando R$ 13.282,84. Da quantia total, R$ 13.000 é o valor poupado pelo próprio investidor, enquanto R$ 282,84 é o valor de juros ganhos.

Vale a pena investir na poupança?

Como em qualquer decisão sobre investimentos, é importante considerar os prós e contras da aplicação.

Segundo o “Raio X do Investidor Brasileiro 2021”, divulgado pela Anbima, 29% dos brasileiros dizem aplicar seu dinheiro na caderneta da poupança – para comparação, apenas 5% afirmam investir em fundos e títulos privados. De acordo com a pesquisa, a poupança perde nas menções quanto a retorno, mas é o tipo de investimento mais bem avaliado nos quesitos facilidade, comodidade e segurança/confiança.

No entanto, em um contexto de rendimento negativo da caderneta, é importante que investidor considere se a comodidade da aplicação compensa o rendimento tão baixo.

Quais investimentos são mais rentáveis que a poupança?

Caso o investidor não queira renunciar à segurança da poupança, existem outros investimentos de renda fixa mais rentáveis e igualmente seguros.

É o caso, por exemplo, dos CDBs (Certificados de Depósito Bancário), empréstimos que o investidor faz ao banco em troca de juros no futuro. Apesar desse tipo de investimento ser sujeito a tributação, ele é, assim como a poupança, assegurado pelo FGC. Portanto, mesmo em caso de falência ou calote, o investidor terá seu retorno garantido (até R$ 250 mil). Além disso, essa modalidade tem liquidez diária (podendo resgatar o dinheiro no mesmo dia) em alguns tipos de CDBs.

Com um CDB que rende 100% do CDI, a rentabilidade é consideravelmente maior que a da poupança. Veja um comparativo:

Se a questão for o pagamento de impostos, outros investimentos – como LCI, LCA, CRI e CRA – também contam com isenção de tributos e não pagam Imposto de Renda. Já em termos de rentabilidade, todos as outras modalidades de renda fixa ganham da poupança.

Leia também

Quer ganhar dinheiro com aluguéis e sem taxa de corretagem? Invista em Fundos de Investimento Imobiliários

Anúncio Patrocinado Cripto no App do Nu! Cripto no App do Nu!

Anúncio Patrocinado Criptonews com Dony De Nuccio

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.