Siga nossas redes

Finanças

Vale a pena fazer refinanciamento de veículo? Entenda como funciona

Uma entre várias modalidades de crédito, refinanciar um veículo pode ser uma boa opção para quem busca um empréstimo maior com menores taxas; confira.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 8 minutos

Imagem de wirestock/Freepik

Quando o assunto é financiar um automóvel, surgem muitas dúvidas: como é o processo, vale a pena, onde e como conseguir. Ua modalidade que nem todo mundo conhece e que pode ser útil para quem busca liberação de crédito é saber como funciona o refinanciamento de veículo.

São bem comuns diversas modalidades de crédito no Brasil, como empréstimo pessoal e financiamentos, algumas delas possuem mais vantagens do que outras.

Confira abaixo o compilado preparado pelo InvestNews sobre o que é refinanciamento de veículo, como fazer refinanciamento de veículo, como funciona, quais as vantagens e mais.

Caso prefira, confira o conteúdo abaixo em áudio:

O que é refinanciamento de veículo?

Imagem de standret/Freepik

O refinanciamento de veículo, ou empréstimo com garantia de veículo, é uma modalidade de crédito que consiste, como o próprio nome sugere, na utilização de um automóvel como garantia de pagamento, seja ele carro, moto ou até caminhão.

Na prática, é um empréstimo com um bem atrelado a ele e, em caso de não pagamento, o bem alienado é tomado pela instituição credora. 

“É uma modalidade que pode oferecer juros mais baixos do que em outras modalidades de empréstimos, mas deve-se tomar cuidado com as regras e entender os detalhes com calma para entender se é de fato o tipo de crédito que a pessoa precisa naquele momento”.

Fábio Louzada, economista, planejador financeiro e fundador da Eu me banco.

Apesar de possuir benefícios em vista de outras modalidades, o refinanciamento de veículo possui processos próprios e uma certa burocracia que serão explicados mais abaixo.

Como funciona?

Basicamente, a instituição fornece crédito e, em troca, o veículo fica alienado a ela, independentemente de estar totalmente quitado ou não (a depender da instituição), bastando apenas cumprir alguns critérios. Alguns desses requisitos básicos são:

  • o veículo ter no máximo 10 anos de fabricação até a data da solicitação do refinanciamento;
  • estar com a documentação em dia;
  • estar com a manutenção em dia; e ter o veículo registrado no nome de quem solicitou o empréstimo.

Caso o automóvel não esteja totalmente quitado, parte do crédito concedido pela instituição financeira deverá ser usada para quitar o financiamento.

“A instituição que fará o empréstimo irá determinar uma avaliação do veículo para entender o valor de mercado atual. A partir disso, também será avaliado o perfil do tomador de empréstimo para saber se é elegível para fazer esse empréstimo”, explica Louzada. 

“Com base nessas informações, a instituição que oferece o empréstimo irá determinar o percentual máximo de empréstimo permitido. Os juros e prazo para pagamento podem variar de banco para banco, então é imprescindível pesquisar bem antes de fechar, além de saber mais sobre a reputação da instituição que está oferecendo o empréstimo”, completa.

Você faz a solicitação e apresenta os documentos exigidos, bem como imagens do veículo (no caso de vistoria digital); a instituição analisa o veículo, que passa por uma vistoria, e seu perfil de crédito, e define qual o valor adequado a ser concedido; a depender do resultado da avaliação, a assinatura do contrato é fechada, o crédito é aprovado e o valor liberado.

É possível obter até 90% do valor de mercado do veículo, segundo a tabela Fipe.

O tomador do empréstimo continuará usufruindo do veículo e ainda será responsável por todos os custos dele, incluindo IPVA, multas etc, mas caso não cumpra com o pagamento acordado com a instituição credora, o automóvel será tomado. 

Vantagens do refinanciamento de veículo

Foto de Scott Graham na Unsplash

Juros reduzidos

Segundo Louzada, o refinanciamento de veículo costuma ter taxas melhores, mas tudo vai depender de diversos fatores como o valor de mercado atual do veículo, o histórico de crédito do solicitante do empréstimo, de sua renda, além de outros dados.

“A vantagem está nas taxas, que podem ser mais atrativas para o consumidor do que empréstimos pessoais ou de cartão de crédito. Além das taxas mais baixas, é possível negociar um pagamento mensal mais baixo com prazos maiores também, mas tudo vai depender dos termos a serem combinados com a instituição”.

FABIO LOUZADA

A taxa de juros também depende da instituição escolhida e de outros fatores, como score de crédito do solicitante e prazo escolhido.

Em geral, os juros são reduzidos porque a instituição financeira tem a segurança de que o pagamento da dívida será feito, seja pela quitação das parcelas do refinanciamento ou por meio da tomada do automóvel (em caso de inadimplência).

Parcelamento

Louzada também menciona o maior prazo de pagamento como uma vantagem, mas lembra que o tomador do empréstimo deve ter cuidado.

“Embora a extensão do prazo de pagamento possa ser uma vantagem para algumas pessoas, é importante considerar que um prazo mais longo significa pagar juros por um período maior. Isso pode resultar em um custo total do empréstimo mais alto ao longo do tempo”, alerta. 

O Banco Central permite o parcelamento em até 60 vezes, mas o prazo geral costuma ser de 48 a 60 parcelas.

Liberdade de uso

Ao contrário de um financiamento, em que o crédito está atrelado à entrada em algum bem, como imóvel, por exemplo, no refinanciamento de veículo, o valor concedido pela instituição pode ser utilizado como o tomador do empréstimo bem entender.  

Desvantagens do refinanciamento de veículo

Tomada do automóvel 

“Acredito que a principal desvantagem é a possível penhora do veículo, caso, por algum motivo ou imprevisto, o tomador do empréstimo não consiga pagar as parcelas devidas”, opina Louzada. 

Diferentemente de uma dívida comum, nesta modalidade de liberação de crédito, um bem está em jogo.

Algumas instituições podem estar abertas a renegociações dos valores, no entanto, esgotadas as tentativas, o automóvel alienado vai a leilão e o valor obtido é utilizado para quitar as parcelas do refinanciamento.

Como fazer um refinanciamento de veículo?

Foto de Cytonn Photography na Unsplash

Confira abaixo como fazer refinanciamento de veículo:

Primeiramente, você deve escolher uma boa instituição para solicitar o crédito. É possível simular o empréstimo em sites e aplicativos (fique atento a questões de segurança para evitar golpes e opte por instituições que sejam conhecidas).

“O passo a passo deve ser consultado junto a instituição financeira, pois pode haver mudanças na forma como cada uma realiza esses empréstimos. O mesmo vale para o fato de estar negativado. Em geral, estar com o nome sujo inibe a possibilidade de realizar empréstimos, assim como financiamentos, por exemplo, mas tudo de fato vai depender de uma conversa com o responsável da instituição que fará o empréstimo”, esclarece Louzada.

Alguns dos documentos a serem exigidos, possivelmente, são 

  • RG e CPF;
  • Carteira de habilitação (CNH);
  • Comprovante de renda e de residência;
  • Certificado de Registro do Veículo e Registro e Licenciamento do Veículo.

Outras questões como IPVA (Imposto Sobre Propriedade de Veículo Automotor) e multas também devem estar regularizadas. Lembrando que os documentos citados acima podem ter alteração de acordo com cada instituição. 

A partir daí, como mencionamos, será feita a análise do veículo e do solicitante e, em caso positivo, o contrato é assinado e o crédito liberado.

É possível fazer um refinanciamento de veículo estando negativado?

Sim, o refinanciamento de veículo para negativado é possível.

Tendo o veículo registrado em seu nome e atendendo aos critérios básicos já mencionados, é possível obter o refinanciamento, a depender da instituição.

Mas, de maneira geral, mesmo quem tem nome negativado pode recorrer ao refinanciamento de veículo, isso porque mesmo que haja o risco de inadimplência, a instituição ainda poderá tomar o veículo atrelado ao crédito para quitar a dívida, o que pode tornar a análise de perfil do solicitante mais “branda”.

Procurando mais conteúdo sobre crédito? Confira:

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.