Siga nossas redes

Finanças

Ibovespa sobe mais de 2% na semana e fecha acima de 120 mil pontos; dólar cai

Mercado segue à espera de sinais de Fed e Copom sobre juros.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 7 minutos

O Ibovespa fechou em alta nesta sexta-feira (21) e no acumulado da semana, acima dos 120 mil pontos pela primeira vez no mês, em sessão marcada por vencimento de opções sobre ações na bolsa paulista e desempenho robusto principalmente de papéis cíclicos domésticos.

O dólar à vista fechou em queda ante o real no pregão e no acumulado da semana, em meio a um movimento de venda da moeda norte-americana por exportadores e a um fluxo de recursos.

O mercado também acompanhou a piora da projeção de déficit fiscal em 2023, divulgada pelo governo, além das expectativas pela decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed).

No dia, o Ibovespa subiu 1,81%, aos 120.216 pontos. Na semana, o indicador teve alta de 2,16%.

Já o dólar caiu 0,45%, negociado a R$ 4,78, nesta sessão. No acumulado da semana, a moeda norte-americana teve baixa de 0,18%.

Juros lá fora

Prédio do Federal Reserve em Washington

Investidores seguem na expectativa antes das reuniões dos bancos centrais da Europa e dos Estados Unidos na próxima semana, com os investidores analisando dados recentes para avaliar o provável caminho da política monetária.

De acordo com expectativas implícitas em contratos futuros de juros, o Federal Reserve (Fed) deve elevar sua taxa de juros uma última vez em 0,25 ponto percentual na quarta-feira da semana que vem.

Cenário interno

Os ministérios do Planejamento e da Fazenda projetaram nesta sexta-feira que o governo central fechará 2023 com déficit primário de R$ 145,4 bilhões, equivalente a 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB), resultado pior do que o previsto em maio, de rombo de R$ 136,2 bilhões (1,3% do PIB), conforme relatório bimestral de receitas e despesas.

Segundo o relatório, o Orçamento deste ano tem um excesso de despesas de R$ 3,2 bilhões em relação ao limite do teto de gastos, o que indica necessidade de bloqueio de verbas discricionárias nesse montante. Em maio, havia uma restrição estimada em R$ 1,7 bilhão.

Inflação

O mercado também está à espera da divulgação do IPCA-15 na próxima terça-feira, para o qual a XP projeta queda de 0,05% (na comparação mensal).

Um cenário de arrefecimento da inflação no Brasil tem alimentado apostas na queda da Selic já a partir de agosto.

Embora o nível atual dos juros, de 13,75%, seja apontado como um apoio para o real ao atrair investimentos para o mercado de títulos local, alguns especialistas argumentam que eventuais perdas de ingressos na renda fixa após a queda da Selic podem ser compensadas por entradas de dinheiro no país via renda variável, o que continuaria apoiando a moeda brasileira.

Já outros dizem que, mesmo que o BC comece a afrouxar a política monetária, fará isso de forma gradual, de forma que os juros reais continuarão em patamar favorável ao real por algum tempo.

Destaques da B3

Natura

O papel NTCO3 subiu 3,29%, mais uma vez entre os destaques de alta, acumulando em três pregões até o momento valorização de 11,3%. O desempenho das ações acompanhava o viés positivo generalizado em papéis sensíveis à economia brasileira.

Hapvida

A ação HAPV3 valorizou-se 2,4%, quase anulando as perdas no mês que até a véspera alcançavam 5%.

Petrobras

O papel PETR4 teve elevação de 1,89%, endossada pela alta dos preços do petróleo no exterior.

Vale

A ação VALE3 subiu 0,61%, em sessão de fraqueza no setor de mineração e siderurgia. O contrato futuro de minério de ferro mais negociado na Dalian Commodity Exchange, na China, encerrou as negociações diurnas com queda de 0,1%.

Braskem

O papel BRKM5 teve alta de 0,45%, após acordo com Maceió para pagamento de R$ 1,7 bilhão relacionado a indenização, compensação e ressarcimento da cidade por danos causados pelo afundamento de solo ocorrido na capital alagoana desde 2018.

Sinqia

A Sinqia (SQIA3), que não está no Ibovespa, disparou 14,86%, após a fornecedora brasileira de softwares financeiros assinar acordo para venda da companhia à porto-riquenha Evertec, em negócio de cerca de R$ 2,4 bilhões.

Bolsas mundiais

Wall Street

As ações dos Estados Unidos terminaram com resultados mistos nesta sexta-feira, com o índice Dow Jones em seu décimo pregão consecutivo de ganhos após uma alta modesta, seu rali mais longo em quase seis anos.

O índice de blue-chips foi impulsionado por ganhos de mais de 1% cada da Procter & Gamble e Chevron. O índice está agora em alta superior a 6% em 2023, enquanto o índice S&P 500 acumula avanço de 18%.

Operadores na Bolsa de Nova York 30/05/2023. REUTERS/Brendan McDermid

Nvidia e Meta perderam mais de 2% cada em um pregão instável, enquanto o setor de serviços públicos do S&P 500 saltou 1,5%, seguido por um avanço de 1% no índice do setor de saúde.

O Dow Jones subiu 0,01%, para 35.227,69 pontos. O S&P 500 subiu 0,03%, para 4.536,34 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuou 0,22%, para 14.032,81 pontos. Na semana, o S&P 500 subiu 0,7%, o Nasdaq caiu 0,6% e o Dow Jones subiu 2,1%.

O Nasdaq tem alta de cerca de 34% este ano, impulsionado pelo otimismo em relação à inteligência artificial, uma economia norte-americana relativamente resiliente e expectativas de que o ciclo agressivo de aumento de juros do Federal Reserve terminará em breve.

Europa

Os mercados acionários europeus fecharam em alta nesta sexta-feira, com exceção do pregão alemão, depois que a previsão de receita sombria da SAP pesou sobre o setor de tecnologia, que registrou sua maior queda semanal este ano.

O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em alta de 0,32%, a 465,40 pontos, subindo pela quarta sessão consecutiva.

O STOXX 600 subiu 0,9% na semana, a segunda seguida de alta, apoiado em grande parte na alta das ações britânicas, após evidências de desaceleração da inflação doméstica. Mas preocupações com recuperação econômica da China e a fraqueza no setor de tecnologia limitaram os ganhos.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,23%, a 7.663,73 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,17%, a 16.177,22 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,65%, a 7.432,77 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,14%, a 28.855,09 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,55%, a 9.571,50 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,26%, a 6.179,69 pontos.

Ásia e Oceania

As ações da China fecharam estáveis ​​nesta sexta-feira, já que novas medidas destinadas a ajudar os setores automotivo e eletrônico não melhoraram o ânimo, enquanto as ações de Hong Kong subiram.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,57%, a 32.304 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,78%, a 19.075 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,06%, a 3.167 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,05%, a 3.821 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,37%, a 2.609 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,78%, a 17.030 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,12%, a 3.278 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,15%, a 7.313 pontos.

*Com informações da Reuters.

Veja também

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.