Siga nossas redes

Finanças

Robôs de investimentos: como os algorítimos decidem para onde vai seu dinheiro

Já existem empresas de investimentos que contam com a tecnologia para tomar as decisões difíceis por você. Dá para confiar?

Publicado

em

por

Breno Queiroz
bolsa de valores

Quando falamos em robôs, vêm à cabeça máquinas do “Exterminador Do Futuro” ou alguma obra de ficção científica, como livros do escritor Isaac Asimov. Mas já é hora de ressignificar essas referências. Os algorítimos, como alguns preferem chamar, já invadiram há muito tempo nosso mundo, controlando o tráfego aéreo, a timeline das nossas redes sociais e, agora, os nossos investimentos.

LEIA MAIS: Entenda a disputa pelo 5G

No mercado financeiro, as máquinas começaram a substituir os humanos para obter o maior retorno em operações volumosas e rápidas. A velocidade do processamento de dados, mesmo no início, já superava a do day trader mais experiente. Pesquisadores divergem, mas um estudo do Deutsche Bank afirma que entre 2009 e 2010, mais de 60% do volume de trocas no mercado financeiro americano foi realizado por algoritmos de alta frequência.

A tecnologia vem chegando às camadas mais baixas da pirâmide social e, em vez de servir somente aos grandes bancos e fundos, cada vez mais tem chegado ao investidor comum. Você pode agora mesmo usar de graça vários desses serviços. Plataformas como a Magnetis estão entre as empresas de investimentos pioneiras na disseminação dessas tecnologias, com algumas amostras do poder dos algoritmos: desde simuladores de cenários, até calculadoras que fazem uma análise da sua carteira.

Como os algoritmos trabalham?

É mais ou menos assim: somos o maître do cliente”, explica Maria Mattos, da área de operações de investimentos da Magnetis. A metáfora explicar o papel dos robôs de investimentos na hora de ajudar o investidor. Se o desejo do cliente fosse aproveitar o melhor de um prato, o algoritmo escolheria os ingredientes e a melhor forma de cozinhá-los em seu lugar. Entra aqui também a parceria com corretoras de investimentos, como a Easynvest, que funcionam como um “supermercado”, oferecendo os ingredientes disponíveis em suas prateleiras. 

O modelo da Magnetis é de uma gestora de investimentos digital, que usa fundos exclusivos para aumentar a diversificação das carteiras dos clientes. Então é como se o maître passasse a ter ingredientes próprios nesse supermercado, como explica Luigi Galderisi, da área de produtos da Easynvest.

“Com os fundos da Magnetis, temos acesso a ativos mais sofisticados. No nosso fundo multimercado, temos produtos que uma pessoa física só teria com R$ 1 milhão”, esclarece Mattos.

Mas com base em quê são feitas as sugestões para montar o “prato” do investidor? Para responder à pergunta, precisamos entender o processo de suitability, o momento em que o perfil do investidor será traçado por meio de um questionário. Você pode achar que as corretoras já fazem muitas perguntas antes de abrir um cadastro, só porque não conheceu o questionário destas empresas.

Perfil do investidor

Precisamos saber qual a disponibilidade financeira do cliente, quais seus objetivos, qual seu perfil de risco, para conseguir fazer a diversificação da carteira”, esclarece Mattos. Como a fintech irá efetivamente alocar os recursos em nome do investidor, faz até mais sentido que o processo de suitability seja mais longo. Além disso, esses dados vão servir para muitas outras coisas.

Segundo Mattos, os algoritmos da Magnetis adotam análise preditiva e machine learning para ajudar no monitoramento dos investimentos. “Nossa equipe de dados é completa e acompanha a carteira para deixá-la sempre alinhada aos objetivos e perfil de risco do cliente”.

Existe também uma preferência maior pela renda fixa, já que quem escolhe esses serviços são iniciantes que naturalmente não se sentem à vontade de se aventurar por ativos de maior risco. A tendência de migração para renda variável, frente à queda de rentabilidade da renda fixa, é bem acompanhada pela gestora. “Tem clientes conservadores que, do nada, vêem uma notícia ou outra e tentam pegar uma carteira mais agressiva. Nós procuramos orientar, saber o que está por trás dessa decisão, porque muitas vezes ele não sabe onde está se metendo”, conta Mattos.

Vantagens e desvantagens dos robôs

Podemos citar o entrave do valor mínimo inicial para ser cliente destas empresas de investimento. No caso da Magnetis, é de R$ 1 mil. Há também uma taxa de administração sobre o total investido, que pode ser contado como uma desvantagem.

Mas como conta Galderisi, “geralmente, o cliente que opta por um robô de investimentos é alguém que quer fazer parte do mercado financeiro, mas não tem tanto tempo para se dedicar e aprender a operar sozinho”, então essa desvantagem é contraposta pelas vantagens.

“De fato a pessoa não tem obrigação de saber tudo”, concorda Mattos. Pensando no mercado brasileiro, ela se vê atônita em relação à cultura de investimento, que mesmo nas classes médias, entre pessoas com alta formação, os rendimentos e aplicações ainda são vistos como uma coisa mística e complicada. 

Os fundos próprios simplificam ainda mais as coisas. “Você não precisa ficar escolhendo essa ou aquela aplicação. O algoritmo já indica para você quais são as opções mais vantajosas para os seus objetivos”, explica Mattos. A Magnetis conta hoje com três fundos próprios: renda fixa, multimercados e ações. Mais dois estão para sair: o fundo de renda fixa simples, focado em títulos públicos, e o fundo de debêntures incentivadas.

Os robôs de investimento, com a tecnologia usada antes apenas por grandes bancos e fundos, estão possibilitando uma aproximação mais segura dos novatos ao mercado, na medida que tentam tornar mais confiáveis as operações, fazendo o investidor se sentir mais tranquilo de que suas estratégias vão ser respeitadas. Em outras palavras, sem um gerente ou assessor mais esperto que ele. 

Ganhar dinheiro com Ações pode ser bem mais fácil que parece. Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado Invista em empresas estrageiras como Amazon, Disney, Google e muito mais! Invista em empresas estrageiras como Amazon, Disney, Google e muito mais!

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.