Siga nossas redes

Negócios

Lucro líquido da BR Distribuidora dobra para R$ 382 milhões no 2º trimestre

Valor representa alta de 103,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

Publicado

em

por

Reuters
petrobras, vibra
Logo da BR Distribuidora em posto de combustíveis em Natal (RN) 19/11/2018 REUTERS/Paulo Whitaker

A BR Distribuidora (BRDT3) reportou nesta terça-feira (10) lucro líquido de R$ 382 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 103,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a companhia foi impactada pelas medidas restritivas impostas em função da pandemia da covid-19.

A maior distribuidora de combustíveis do país também registrou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado de R$ 1,018 bilhão no trimestre, alta de 24,8% na comparação anual.

Em relação ao primeiro trimestre deste ano, porém, ambos os indicadores apresentaram quedas – o lucro líquido baixou 22,4% nesta base de comparação, enquanto o Ebitda ajustado declinou 13,9%.

Isso ocorre na esteira de uma redução de 5,1% no volume total de vendas da companhia frente ao primeiro trimestre, com quedas de 1,5% na comercialização de produtos do ciclo Otto, de 68,7% no coque e de 22,5% no combustível de aviação.

“(O volume de vendas é) reflexo do efeito da sazonalidade do setor e dos impactos da pandemia da covid-19, principalmente no mês de abril, seguidos de melhoras progressivas nos meses subsequentes”, afirmou a BR Distribuidora em relatório.

A queda geral na variação trimestral foi parcialmente compensada pelo aumento de 3,2% nas vendas de diesel.

Na base anual, a o volume total de vendas da BR Distribuidora apresentou crescimento de 13,2%, a 8,86 milhões de metros cúbicos, dado que o segundo trimestre de 2020 registrou o pico das restrições de mobilidade pela pandemia.

A receita líquida ajustada da empresa atingiu R$ 29,023 bilhões no segundo trimestre, avançando 95% na comparação anual e 11,1% na base trimestral.

Já o endividamento líquido apurou aumento de R$ 1,5 bilhão em relação ao primeiro trimestre deste ano, atingindo R$ 6,6 bilhões, principalmente devido ao pagamento de R$ 1,1 bilhão aos acionistas sob a forma de dividendos e R$ 600 milhões em variação de capital de giro.

Isso resultou, segundo a BR Distribuidora, em alavancagem de 1,4 vez ao final do segundo trimestre.

Veja também

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

Compre Ações em apenas 3 cliques e aproveite taxa ZERO de corretagem! Invista já

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!