Siga nossas redes

Análise

Morning Call: setor de tecnologia puxa as bolsas globais

Os principais fatos que podem impactar os mercados hoje e uma breve análise do índice Bovespa.

Publicado

em

Top view of young woman in casual clothes that sitting at home alone with laptop.

Cenário global e bolsa de valores

Os mercados financeiros globais iniciam esta terça-feira com viés positivo, com o setor de tecnologia se destacando e puxando os índices de ações, após um período não tão positivo para o setor com o aumento da taxa de juros dos treasuries americanos, enquanto o dólar se enfraquece e cai frente às principais divisas globais. As bolsas europeias sobem com ganhos no setor de mineração e com as empresas de tecnologia, que amenizam o impacto das perdas da Ericsson. A companhia reportou balanço considerado ruim, atingida pelos problemas na cadeia de suprimentos durante as fazes mais críticas da pandemia e que ainda não foram restabelecidas, item monitorado pelo investidor na temporada de balanços. Há pouco, Frankfurt subia 0,16%; Londres +0,07%; Paris +0,02%; Madri +0,79%. O índice Stoxx 600 ganha 0,18%, aos 467.92 pontos.

As bolsas asiáticas encerraram o pregão da terça-feira em alta também puxadas pelo avanço de ações de tecnologia que seguiram o comportamento de ontem da Nasdaq em NY. As ações avançaram com os investidores esperando novos balanços corporativos hoje nos EUA. Em Tóquio, o índice Nikkei subiu +0,65% a 29.215,52 pontos e, em Hong Kong, o Hang Seng subiu +1,49% atingindo 25.787,21 pontos. Na China, os mercados também fecharam em alta e o principal deles, o Xangai encerrou o dia com valorização de +0,70% a 3.593,15 pontos. Os negócios na Ásia foram impactados positivamente pela boa perfomance da Nasdaq, com balanços corporativos das empresas de tecnologia reportando números importantes. As ações de empresas de tecnologia asiáticas, como Ali Baba e Samsung, tiveram importantes avanços no pregão de hoje.

Futuros: Dow Jones (+0,25%), S&P 500 (+0,34%), Nasdaq (+0,26%); Petróleo: Brent a US$ 84,96 (+0,75%); Ouro: +0,80%, a US$ 1.779,90 a onça-troy na Comex; Treasuries: T-note de 10 anos a 1,58900 (de 1,59410); Bolsas na Europa: Londres (+0,05%) a 7.207.97; Frankfurt (+0,03%) a 15.579,83; Paris (-0,07%) a 6.668,66; Madrid (+0,63%) a 8.991,50.

Cenário no Brasil

No Brasil, o foco se volta para Brasília, com provável votação da PEC dos precatórios em comissão especial da Câmara que analisa a proposta. Investidores podem repercutir ainda declarações do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Segundo a revista Veja, entre outras coisas, Lira disse que não se pode pensar só em responsabilidade fiscal quando a população está na pobreza. As falas vêm num momento de acirramento das discussões sobre renovação do auxílio emergencial e financiamento do Bolsa Família turbinado, que o governo quer chamar de Auxílio Brasil. O Executivo precisa encontrar fontes de custeio para o novo programa ainda neste ano, já que em 2022 ocorrerá eleição presidencial.

Ibovespa 

O principal índice brasileiro de ações fechou a volátil sessão da segunda-feira em leve baixa, com o pessimismo pelo crescimento econômico decepcionante da China sendo parcialmente compensado pela influência positiva de Wall Street com previsões animadoras para resultados corporativos trimestrais.

O Ibovespa caiu 0,19%, a 114.428 pontos, com volume financeiro abaixo da média, de R$29,6 bilhões. O IBOV entrou em uma tendência de baixa no longo prazo ao cruzar abaixo da média móvel de 200 períodos e formar topos e fundos descendentes. Porém, um movimento de queda no curto prazo foi temporariamente interrompido ao voltar aos níveis de 114 mil pontos, cruzar acima da média móvel curta de 21 períodos e formar um fundo aos 107.500 pontos. 

Indicadores econômicos e eventos
EUA: Balanços de Johnson & Johnson e Procter & Gamble, antes da abertura do mercado, e de Netflix e United Airlines, após o fechamento do mercado
PEC dos Precatórios deve ser votada na comissão especial da Câmara
Vale divulga seus dados de produção referentes ao 3TRI, depois do fechamento
Fipe: IPC da 2ª quadrissemana de outubro (5h)
FGV: 2ª prévia do IGP-M de outubro (8h)
FGV: IPC-S Capitais da 2ª quadrissemana de outubro (8h)
BC faz leilão de venda à vista de US$ 500 milhões (9h30)
EUA/Deptº do Comércio: Construções de moradias iniciadas em setembro (9h30)
BC oferta até 15 mil contratos de swap (US$ 750 milhões), em rolagem (11h30)
EUA/API: estoques de petróleo da semana até 15/10 (17h30)
China/PBoC: taxas de referência para empréstimo de 1 e 5 anos (22h30)

Quer segurança e rentabilidade acima da poupança para seus investimentos? Invista em CDB!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!