Siga nossas redes

Finanças

Vale afunda mais de 6% e lidera perdas do Ibovespa; Petrobras recua mais de 2%

Construtoras MRV e Cyrela também fecharam no vermelho depois de divulgarem prévias operacionais referentes ao segundo trimestre de 2022.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 4 minutos

As companhias que atuam com commodities caíram forte nesta quinta-feira (14), com destaque para a mineradora Vale que liderou as maiores perdas do principal indicador da B3, o Ibovespa, acompanhando o recuo do preço do minério de ferro no exterior. Os papéis da Petrobras também caíram e puxaram o indicador para baixo.

As ações das construtoras MRV e Cyrela fecharam no vermelho depois de divulgarem prévias operacionais referente ao segundo trimestre de 2022, assim como a administradora de shoppings Iguatemi.

A companhia aérea Gol apresentou bom desempenho após reportar avanço na demanda por voos no segundo trimestre. No entanto, até o fim do pregão o ativo virou e encerrou em queda.

A rede de hospitais Mater Dei, que não faz parte do indicador, subiu em meio à divulgação de um programa de recompra de ações. Confira os destaques registrados no dia:

Commodities

As companhias ligadas às commodities registraram recuo no pregão, com destaque para os papéis da mineradora Vale que lideraram as perdas do Ibovespa, depois que os contratos futuros do minério de ferro caíram ao menor nível em oito meses.

As petroleiras também recuaram, repercutindo a queda do petróleo no exterior mais cedo. No entanto, por volta das 18h23, o contrato futuro do petróleo Brent operava quase estável, em queda de apenas 0,02%, enquanto o WTI subia 0,07%.

“Após os dados de inflação nos Estados Unidos no pregão de ontem (13), o mercado aumentou a precificação de que o Fed poderia elevar os juros em 1 ponto percentual e em paralelo vem o receio de que a economia poderia entrar em recessão. Lembrando que essa preocupação de desaceleração econômica tem levado o petróleo a realizar, assim como o minério de ferro, o que mais na frente poderia diminuir a pressão inflacionária. Se o Fed não errar na dosagem e souber transmitir tranquilidade para os mercados o viés otimista poderia retornar”, disse Hugo Carone, analista de investimentos da NuInvest.

TickerCotação em R$Variação em %
USIM37,85-3,09
RRRP329,111,78
USIM58,05-3,59
PRIO320,76-3,84
CMIN33,33-4,58
PETR427,49-2,69
VALE367,97-6,66
PETR329,72-3,19
CSNA313,45-6,4
GGBR422,22-4,47
GGBR317,79-4,3

MRV

A MRV (MRVE3) declinou 3,01%, para R$ 9,01, depois de informar que seus lançamentos caíram 11,6% no segundo trimestre, para R$ 2,12 bilhões, enquanto as vendas totais somaram R$ 2,6 bilhões, aumento de 26,2% ante a mesma etapa de 2021.

Cyrela

Cyrela (CYRE3) caiu 5,95%, para R$ 12,17. A companhia registrou R$ 2,3 bilhões em valor geral de vendas (VGV) de lançamentos no primeiro trimestre, avanço de 20,6% ante o mesmo período do ano passado. As vendas totais contratadas subiram 4% no período, para R$ 1,6 bilhão.

Iguatemi

Iguatemi (IGTI11) teve baixa de 2,08%, para R$ 18,67. A empresa informou que as vendas totais dos shoppings que integram o seu portfólio cresceram 30,2% no segundo trimestre, para R$ 4,3 bilhões, quando comparado ao mesmo período de 2019 (anterior à pandemia). De acordo com a empresa, oito shoppings cresceram mais do que 30% no período.

Gol

A Gol (GOLL4) teve queda de 0,51%, para R$ 7,83, após registrar alta de 54% na demanda total por seus voos medida pelo indicador RPK em junho ante o mesmo período de 2021. A oferta total dos voos da empresa medida pelo ASK subiu 68,6% frente a um ano antes, mostram os dados mensais.

Mater Dei

Hospital Mater Dei (MATD3) fechou em alta de 2,02%, para R$ 8,08, depois de informar que seu conselho de administração aprovou o primeiro programa de recompra de até 5.615.975 ações ordinárias, o que representa 6,94% dos papéis em circulação no mercado.

  • Confira todos os destaques, assista ao Boletim InvestNews:

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.