Siga nossas redes

Finanças

Ibovespa acumula queda de 3% na semana e fica na casa dos 116 mil pontos

Investidores reagem aos dados do mercado de trabalho dos EUA.

Publicado

em

B3 Bolsa Ibovespa
Crédito: Shutterstock

O Ibovespa, principal índice da b3, encerrou a sexta-feira (03) em alta, após um dia de oscilações e depois recuar mais de 2% na véspera, em meio a contínuas incertezas domésticas e com investidores repercutindo também dados do mercado de trabalho norte- americanos. Por outro lado, o índice desabou no aculumado da semana.

O dólar recuou contra o real com todos os olhares voltados para relatório de emprego dos Estados Unidos, que apontou desaceleração na criação de vagas de trabalho.

O Ibovespa subiu 0,22%, aos 116.933 pontos, após oscilar entre 115.583 pontos e 117.396 mil pontos. Mas na semana acumulou queda de 3,10%. Já o dólar ficou estável, negociado a R$ 5,1835. A moeda oscilou entre R$ 5,1319 e R$ 5,1950 ao longo do dia. No acumulado da semana chegou a uma desvalorização de 0,19%.

Destaques

As ações das companhias do segmento de commodities, como Usiminas (USIM5), CNS (CSNA3) e Vale (VALE3), encerrarm o dia em alta contribuindo para um melhor desempenho do índice em relação ao pregão de ontem.

Cenário

Na quinta-feira (03) , o Ibovespa caiu 2,28% após a Câmara dos Deputados aprovar a reforma do Imposto de Renda, que entre outras medidas estabelece tributação de dividendos e acaba com o mecanismo de juros sobre capital próprio (JCP).

Mais cedo, porém, o Departamento do Trabalho dos EUA divulgou a criação de 235 mil postos de trabalho fora do setor agrícola em agosto, desacelerando ante o mês anterior e bem abaixo das expectativas de economistas.

Na visão do estrategista-chefe do banco digital Modalmais, Felipe Sichel, o dado, combinado com os números sobre auxílio-desemprego conhecidos na véspera, implica uma redução na probabilidade do ‘tapering’ no curto prazo.

“Até a reunião de novembro, o Fed verá somente mais um dado de ‘payroll’ (referente a setembro) divulgado no começo de outubro, o que pode atrasar também o anúncio formal da redução de estímulo”, afirmou, em comentário a clientes.

Dados dos EUA

O Departamento do Trabalho norte-americano informou que foram criadas 235 mil vagas de trabalho na economia norte-americana em agosto, resultado muito abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de abertura de 750 mil, mostrando uma desaceleração maior do que o esperado em meio a uma diminuição da demanda por serviços e a persistente escassez de trabalhadores conforme as infecções por covid-19 aumentam, mas o ritmo foi suficiente para sustentar a expansão econômica.

A notícia elevou as apostas de que o banco central dos EUA — que estabeleceu o alcance do pleno emprego como condição para redução de estímulos — não anunciará corte de suas compras de títulos mais cedo do que o esperado pelos mercados.

“O ‘payroll’ veio bem pior do que o esperado, e vai nessa linha de pensamento do Fed de que a inflação é temporária e o crescimento e o emprego ainda não estão em níveis adequados”, disse à Reuters Marcos Weigt, head de tesouraria do Travelex Bank, acrescentando que acredita que o Fed só vai elevar os juros no final de 2022.

Investidores seguem com atualizações sobre a política monetária dos EUA no radar. Desde que Jerome Powell, chefe do Fed, evitou na última sexta-feira (27) oferecer sinais claros sobre quando irá reduzir os estímulos, assumindo uma postura mais “dovish” para a entidade.

Bolsas Mundiais

Wall Street

Os principais índices de Wall Street caíam neste dia, com uma forte desaceleração no crescimento do emprego no mês passado dando o sinal mais forte até agora de que a recuperação econômica dos Estados Unidos pós-pandemia está perdendo força, enquanto os papéis de bancos, no geral, acompanhavam um salto nos rendimentos dos títulos.

O Dow Jones Industrial Average caiu 0,21%, a 35.369 pontos. O S&P 500 recuou 0,03%, aos 4,535 pontos, enquanto o Nasdaq Composite avançou 0,21%, a 15.363 pontos.

Veja também

Com informações da Reuters

Ganhe dinheiro com hospitais, shoppings e outros empreendimentos, tudo com taxa ZERO de corretagem! Invista em Fundos de Investimento Imobiliários

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!