Siga nossas redes

Finanças

Ação da Petz subiu quase 100% desde IPO, mas expansão ainda é desafio

Analistas enxergam sólido crescimento e expansão internacional a partir de 2023.

Publicado

em

por

Katherine Rivas
Petz

Em um mercado fragmentado e que cresce em média 11% ao ano, a varejista de produtos para animais de estimação Petz (PETZ3), única do setor pet na bolsa brasileira, viu seus papéis subirem quase 100% desde o IPO. A small cap é vista por analistas como opção para diversificar no longo prazo, dona de um plano sólido de aquisições e internacionalização. No entanto, seus múltiplos elevados tornam a ação “cara”, segundo analistas. O desafio agora é levar adiante seu plano de expansão para não ser penalizada pelo mercado.

Esta matéria faz parte da série Small Caps InvestNews, que a cada semana vai trazer um panorama sobre as ações de empresas com grande potencial de valorização na B3. Veja abaixo as publicações anteriores:

Visão setorial de Petz

A Petz possui concorrentes de peso como a Petlove, apoiada por SoftBank e a Cobasi que, em abril, recebeu um aporte de R$ 300 milhões do private equity da Kinea e, além disso, tem no radar um IPO (oferta pública inicial de ações). Apesar disso, o analista no Nu invest, Murilo Breder, destaca que o setor ainda é fragmentado e há oportunidade de crescimento para todos os players.

Breder cita que, olhando para as 32 mil lojas do segmento pet espalhadas pelo país, pelo menos 26 mil têm até quatro funcionários, o que significa que são lojas de bairro. “Se comparamos com os EUA, as principais empresas do setor detém 33,7% e 15% de participação de mercado respectivamente. No Brasil, se somar a participação de Petz e Cobasi não chega nem a 10%”, afirma.

Com tamanha fragmentação, Breder acredita que há espaço para as grandes companhias como Petz, Cobasi e Petlove continuarem crescendo ao mesmo tempo, apesar da forte concorrência.

Já segundo Fernando Ferrer, analista da Empiricus, o setor pet foi um dos mais resilientes na crise, e nos últimos 4 ou 5 anos apresentou uma média de crescimento de 11% ao ano. A expectativa de crescimento para os próximos cinco anos é animadora, de 17% ao ano, movimentando cerca de R$ 50 bilhões até 2024.

Segundo Ferrer, o mercado pet passa por um boom, que é consequência de alguns fatores. Um deles é a mudança de comportamento das novas gerações, em que os cães deixaram de ser apenas de guarda para se tornarem substitutos de filhos, comenta o analista da Empiricus.

Com a mudança de comportamento, o gasto com pets também aumentou e se tornou tendência no Brasil, embora em países como nos Estados Unidos já fosse muito popular. Ferrer cita como exemplo 2019, quando um norte-americano gastava em média US$ 300 ao ano com seu pet, enquanto os brasileiros gastavam US$ 69.

O segundo fator que impulsionou a popularização do segmento pet no Brasil foi a fragmentação do mercado. Atualmente, mais de 50% do setor está nas mãos de pequenos players como lojas de bairro, clínicas veterinárias e pet shops de pequeno porte. Já grandes lojas, como Petz e Cobasi, têm cerca de 8% de participação neste mercado.

Diferenciais da Petz frente à concorrência

O diferencial da Petz, segundo o analista, é que as grandes lojas funcionam no modelo one-stop-shop, loja com ambiente virtual e físico onde o consumidor pode comprar itens em um único local. No caso da Petz, é possível encontrar brinquedo, ração ou produtos de banho tanto na loja física como no e-commerce, o que favorece a fidelização do cliente. Além disso, estes produtos têm um preço mais acessível que as lojas e pet shops de bairro.

Ferrer destaca ainda que a Petz consegue fazer entregas dos produtos no mesmo dia, o que é um diferencial principalmente em grandes centros como São Paulo.

Já em outros estados ou cidades do interior, o analista destaca que ainda há muito potencial de crescimento, tendo em vista um cenário diferente. “Em cidades do interior, é o supermercado que supre 25% da demanda deste tipo de produtos, os pet shops também têm forte participação”, diz. Mercados inexplorados são oportunidades de crescimento para a companhia, segundo Ferrer.

Ações da Petz

Segundo dados da Economatica Brasil, o valor de mercado da Petz era de R$ 10,63 bilhões no dia 30 de agosto. De acordo com levantamento da provedora de dados financeiros feito para o InvestNews, desde sua estreia na bolsa, no dia 11 de setembro de 2020, até o fechamento de 30 de agosto deste ano, as ações da Petz (PETZ3) valorizaram 96,86%, enquanto o índice Small Caps (SMLL) avançou 19,08%. No mesmo período, o Ibovespa, principal índice da B3, subiu 21,15%.

Murilo Breder aponta que a Petz conseguiu entregar os resultados com os quais se comprometeu no IPO, o que é perceptível em duas métricas: a primeira é o crescimento forte da receita líquida, de 45,7%, em 2020 frente a 2019.

Em 2021, o analista espera que a companhia apresente um crescimento de receita líquida de 50%, superando os anos anteriores.

A segunda métrica importante do sucesso da companhia, segundo Breder, é a abertura de lojas, que a companhia conseguiu operacionalizar com sucesso. Segundo dados da Petz, até o segundo trimestre, a companhia tinha 143 unidades, com 7 inaugurações feitas apenas no segundo trimestre, e 35 no último ano.

Já em relação a centros veterinários, a Petz apresentava 120 unidades, das quais 10 eram hospitais.

Além do crescimento orgânico, Breder também cita as aquisições, da plataforma Cansei de Ser Gato no mês de junho, focada no mercado felino, e da Zee.Dog em agosto por R$ 700 milhões, ambas com grande sinergia com o modelo de negócios da Petz.

Para Ferrer, da Empiricus, a aquisição da Cansei de Ser Gato deve melhorar o contato com os tutores de felinos, mercado ainda não muito explorado pela companhia. Em relação à Zee.Dog, o analista enxerga potencial de acelerar o modelo digital da Petz, além de somar no seu time uma equipe de criação e tecnologia muito forte.

“As aquisições trazem novas categorias de produto dentro da Petz, expansão para o mercado global”, defende Ferrer. Um exemplo disso, é o Nudog, um brinquedo pet feito à imagem e semelhança do cartão do banco digital para ser destruído pelos cães.

Breder vê na Zee.Dog e seu aplicativo de delivery Zee.Now a oportunidade para a Petz conseguir entregar seus produtos em até 1 hora. O analista destaca que este movimento deve iniciar em 2022, enquanto a internacionalização da Petz com o Zee.Dog deve ficar apenas para 2023. Atualmente, a plataforma Zee.Dog está presente em 42 países.

Oportunidades de crescimento da Petz

Entre as principais oportunidades de crescimento da Petz para os próximos anos, Ferrer destaca novas categorias de produtos, aumentando o sortimento da marca própria, por exemplo, ração. O analista também cita a criação de um programa de fidelidade que permita aos clientes pagar um valor fixo mensal pela entrega, por exemplo, de uma ração, um brinquedo, entre outros itens.

Ferrer também enxerga oportunidade na prestação de serviços que ainda não fazem parte da Petz, como hotel para cães, dog walker (serviços de passeio), treinamento para cães.

Ainda como oportunidade de crescimento, ele cita a expansão de centros clínicos veterinários e hospitais. Atualmente ,a Petz conta com apenas 10 hospitais. “Se eles conseguirem se posicionar como o Einstein dos pets terão um ganho potencial”, destaca.

Já Breder vê como oportunidades a humanização dos pets, em que tutores gastam um ticket maior com produtos. Neste cenário, o Zee.Dog tem uma oferta de acessórios mais sofisticados, com clientes qualificados e recorrência alta pode propiciar fortes ganhos para a companhia.

Outra oportunidade, segundo Breder, seria adaptar o sistema de entregas da Zee.Now dentro da Petz, criando uma espécie de iFood do mercado pet, com entregas em até 1 hora. Atualmente, 96% dos produtos da Petz são entregues em até 1 dia.

O mercado fragmentado também é oportunidade, a expectativa de Breder é que nos próximos cinco anos a Petz consiga abocanhar 20% de participação no mercado brasileiro, sem considerar a expansão internacional em 42 países.

Exposição internacional e nacional

Quando falamos de internacionalização, a cereja do bolo chegou com a aquisição da Zee.Dog que segundo os analistas devem garantir a Petz expandir para 42 países, seja de forma orgânica ou pela venda online. Isso também permitiria ao investidor ter uma certa exposição ao mercado internacional.

Breder destaca que a estratégia só deve se consolidar a partir de 2023. “Até 2022, a Petz ainda deve continuar crescendo apenas no Brasil”, destaca. Com o potencial da Zee.Dog na venda online em diversas nações, a Petz deve pegar carona deste movimento.

Já Ferrer cita que a companhia tem o objetivo de se tornar mundialmente reconhecida até 2025, e vai no caminho certo. A Zee.Dog vai facilitar essa consolidação internacional, segundo o analista.

Mas ele também destaca o forte crescimento orgânico em território nacional, com a Petz inaugurando cerca de 40 lojas por ano e fortalecendo sua venda omnichannel “O cliente compra na loja e recebe o produto em casa, ou compra no site e busca na loja”, exemplifica.

Embora as lojas ainda estejam muito concentradas no Sudeste, Ferrer destaca que a Petz já identificou a necessidade de expandir com força para outros estados, se tornando a primeira grande loja em chegar a outras cidades. Essa estratégia tem o objetivo de ganhar mercado em novas cidades, fidelizar clientes, e diminuir as perdas em caso de novos concorrentes.

Segundo Ferrer, com a logística e capacidade de entrega da Zee.Dog, a Petz pode dominar facilmente outras regiões brasileiras.

Prós e contras de investir em Petz

Segundo dados da Economatica Brasil, no acumulado de 2021, as ações da Petz (PETZ3) acumulam valorização de 41,47% até o fechamento de 30 de agosto, enquanto o índice Small Caps avançou 2,27%.

Olhando apenas para os resultados do segundo trimestre de 2021, a companhia já comprova seu potencial, segundo analistas. Ferrer destaca que foi o quarto trimestre consecutivo em que a empresa cresceu mais de 50%. “Olhando para o faturamento dos últimos 12 meses, a Petz superou a marca de R$ 2 bilhões”, destaca.

O crescimento do faturamento na venda online representou 85%, atualmente responsável por 30% das vendas da Petz.

Ferrer também destaca que, apesar do aumento da venda digital, a margem bruta conseguiu se manter forte, com 40%. O analista também cita que no segundo trimestre as despesas foram menores que as receitas.

Tabela ilustrando como petz evoluiu em 2021, com os principais indicadores financeiros

Entre as vantagens de investir na Petz (PETZ3), o analista do Empiricus menciona o fato de ser a única empresa do setor listada na bolsa, o que garante a companhia a oportunidade de captar recursos no mercado de capitais de forma mais barata que os concorrentes, além de ter uma governança corporativa melhor. Segundo Ferrer, estes fatores favorecem a rápida expansão da companhia.

Outra vantagem seria estar presente em um mercado que cresce bastante, com um modelo de negócios de sólida expansão, e uma oferta de serviços melhor que a dos concorrentes.

O analista da Empiricus recomenda a compra da ação PETZ3 com visão de longo prazo, considerando que a companhia está bem-posicionada em um mercado fragmentado, com um modelo de negócios vencedor e fortes avenidas de crescimento.

Murilo Breder, do Nu Invest, também recomenda a compra do papel até o preço de R$ 28. Embora a companhia já negocie perto dos R$ 27, o analista destaca que prefere ser conservador nas suas projeções porque considera que muitas das expectativas do mercado já foram embutidas no preço.

“Por mais que seja uma empresa maravilhosa, é importante que o investidor entenda que é uma empresa que não está descontada, mas se encaixa muito bem na diversificação de portfólio”, defende.

Breder enxerga forte potencial na humanização dos pets nos próximos anos, a venda online e a internacionalização da marca até 2023. Segundo o analista, o investimento é para um horizonte acima de 5 anos e uma estratégia focada 100% em crescimento. “Não é uma empresa que vai pagar dividendos, mas sim com estratégia de forte valorização”, reforça.

Entre os cuidados, Murilo aponta para o investidor não pagar caro demais, considerando que boa parte do crescimento já está embutido no preço de até R$ 28.

Ferrer, da Empiricus, também destaca entre as desvantagens o fato de a companhia ser cara, com múltiplos elevados e que deve continuar cara se conseguir executar sua estratégia de crescimento.

Contudo, o principal risco da Petz seria não conseguir executar sua estratégia de expansão orgânica e inorgânica. “Se ela não entregar um crescimento robusto será penalizada pelo mercado”, diz. Por isso ele aconselha ao investidor ficar de olho nessas novas aquisições da companhia e abertura de lojas nos próximos trimestres.

Gráfico mostrando a valorização das ações da petz (petz3) na bolsa em 2021.

Investir em Ações é ainda mais fácil com taxa de corretagem ZERO! Aproveite agora

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.