Siga nossas redes

Finanças

Ibovespa cai, mas acumula alta na semana, a 113 mil pontos; dólar sobe a R$ 5,34

Investidores também criam expectativas de redução de estímulos pelo Federal Reserve em breve.

Publicado

em

B3 Bolsa Ibovespa
Crédito: Shutterstock

O Ibovespa, principal índice da B3, fechou em queda nesta sexta-feira (24), mas conseguiu recuperar as perdas da semana, acumulando valorização. O mercado reagiu ao avanço da prévia da inflação de setembro, divulgada mais cedo, além de temores sobre a dívida da incorporadora chinesa Evergrande e expectativa de redução de estímulos pelo Federal Reserve em breve.

O Ibovespa caiu 0,69%, aos 113.283 pontos. O dólar subiu 0,65%, comercializado a R$ 5,3433.

Na China, a incorporadora Evergrande deixou investidores globais em dúvida se receberão juros que venceram na véspera. A companhia deve 305 bilhões de dólares e investidores temem um colapso sistêmico do sistema financeiro da China que reverbere em todo o mundo.

Por aqui, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA-15, prévia da inflação oficial brasileira teve em setembro o nível mais elevado para o mês em 27 anos, acumulando alta superior a 10% em 12 meses.

A Fundação Getúlio Vargas revelou que confiança dos consumidores brasileiros recuou ao menor patamar em cinco meses em setembro diante de temores inflacionários, risco de crise energética e de incertezas econômicas e políticas.

Destaques da bolsa

Os frigoríficos Minerva (BEEF3) e JBS (JBSS3) dominaram as altas do indicador. A Hapvida (HAPV3), por sua vez, caiu após informar que o Grupo HB Saúde aceitou proposta de compra da empresa de plano de saúde. Fora do Ibovespa, a Vamos (VAMO3) recuou após precificar sua oferta de ações. Veja os destaques da bolsa hoje

Bolsas dos EUA

O índice S&P 500 terminou a sessão em ligeira alta nesta sexta-feira, após uma semana volátil, com ganhos em ações de crescimento como Facebook compensando um mergulho da Nike, depois que a empresa de vestuário esportivo divulgou uma previsão de vendas pessimista.

As ações da Nike foram o maior obstáculo para o Dow Jones e o S&P 500. A companhia também alertou sobre atrasos durante a temporada de compras natalinas, culpando uma crise na cadeia de suprimentos. As ações da varejista de calçados Foot Locker também caíram acentuadamente.

Facebook e Tesla foram os papéis de empresas individuais que mais contribuíram para a alta do S&P 500, enquanto energia liderou os ganhos setoriais.

Segundo dados preliminares:

  • Dow Jones subiu 0,1%, para 34.799,18 pontos
  • S&P 500 teve alta de 0,15%, para 4.455,56 pontos
  • Nasdaq Composite teve oscilação negativa de 0,03%, a 15.048,31 pontos.

Bolsas europeias

As ações europeias caíram nesta sexta-feira, uma vez que preocupações com a endividada incorporadora China Evergrande e dados fracos sobre a confiança empresarial alemã levavam os investidores a realizarem algum lucro após rali visto durante a semana.

As fabricantes europeias de roupas esportivas Adidas, Puma e JD Sports perderam cerca de 3% cada depois que a rival norte-americana Nike cortou suas expectativas de vendas para o ano fiscal de 2022 e previu atrasos durante a temporada de compras natalinas devido a problemas na cadeia de oferta.

Os papéis de varejo apresentaram os maiores declínios na Europa, com queda de 1,7%.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,38%, a 7.051,48 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,72%, a 15.531,75 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,95%, a 6.638,46 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib caiu 0,43%, a 25.968,84 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,04%, a 8.873,10 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,61%, a 5.424,16 pontos.

Veja também

Inclua Amazon, Tesla, Netflix, Apple e Facebook nos seus investimentos sem pagar taxa de corretagem! Conheça os BDRs

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.