Siga nossas redes

Finanças

M. Dias Branco dispara 24% e lidera altas da B3; siderúrgicas e Vale recuam

Empresas de commodities operaram em queda após divulgação de dados econômicos fracos na China.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

Unidade da M. Dias Branco em Fortaleza

As ações da fabricante de biscoitos e massas M.Dias Branco, que fazem parte do índice Small Caps (empresas da bolsa que têm valor menor no mercado), se destacaram positivamente no pregão desta segunda-feira (15) após divulgarem dados trimestrais acima das estimativas dos analistas.

Entre as companhias que fazem parte do principal indicador da B3, o Ibovespa, as varejistas disparavam em meio ao avanço do IBC-Br, que é a prévia do PIB brasileiro.

A empresa de energia Eletrobras também tiveram desempenho positivo depois de reportar balanço trimestral, enquanto a resseguradora IRB desabou após informar que estuda uma nova oferta de ações na B3.

Entre as empresas de commodities, o pregão foi negativo para todos os setores, mas principalmente mais para as siderúrgicas e para a mineradora Vale, impactadas por dados econômicos fracos na China.

Confira os destaques registrados no dia:

M.Dias Branco

A M. Dias Branco (MDIA3) disparou 24,42%, para R$ 40,66, o maior desempenho da B3, após a empresa reportar balanço trimestral acima das expectativas do mercado, mais do que dobrando o resultado operacional. Analistas revisaram estimativas e elevaram o preço-alvo para o papel da companhia. O JPMorgan também melhorou a recomendação das ações para “neutra”.

Varejistas

A Americanas (AMER3) disparou 18,29%, para R$ 15,33, seguida da Via (VIIA3), que teve alta de 14,47%, para R$ 3,64. Depois, veio a Magazine Luiza (MGLU3), com elevação de 12,85%, para R$ 4,04. O desempenho positivo ocorreu após o IBC-Br, sinalizador do PIB no Brasil, crescer acima do esperado em junho.

Eletrobras

A ação preferencial da Eletrobras (ELET6) avançou 3,06%, a R$ 50,55. A companhia informou lucro líquido de R$ 1,4 bilhão no segundo trimestre, queda de 45% ante o mesmo período do ano anterior, devido a efeitos da variação cambial negativa de R$ 625 milhões pela exposição de dívida da empresa em dólar.

IRB

A IRB Brasil (IRBR3) caiu 9,96%, para R$ 2,08, após a companhia informar que estuda a possibilidade de uma oferta pública subsequente de ações (follow-on). A empresa também divulgará balanço após o fechamento do pregão.

Commodities

Entre as companhias que atuam com commodities, o destaque negativo ficou com a Vale, depois que dados mostraram que a economia chinesa (o principal mercado consumidor do minério de ferro) desacelerou inesperadamente em julho, o que levou o banco central do país a cortar suas principais taxas de juros inesperadamente nesta segunda-feira, buscando reanimar a demanda. Os contratos de minério de ferro terminaram o pregão na bolsa de Dalian na China em queda de 1,94%.

O dia também foi ruim para as petroleiras. A única que se salvou foi a Petrobras, que teve variação positiva 0,03%, tendo trocado de sinal algumas vezes durante o pregão e renovado máxima histórica intradia a R$ 32,23. Pela manhã, chegou a cair quase 3,7%, diante da queda do petróleo no exterior. A companhia informou mais cedo uma redução no preço da gasolina para as distribuidoras.

AçãoVariação em %Cotação em R$
PRIO3-2,0925,33
PETR3-0,3434,76
PETR40,0331,72
VALE3-2,1568,30
GGBR3-0,0921,53
GGBR4-1,4225,73
RRRP3-3,5133,58
USIM3-0,778,97
USIM5-2,429,28
CSNA3-4,5515,93
CMIN3-1,273,89

*Com informações de agências.

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.