Siga nossas redes

Finanças

Magalu fecha em alta de 10%; Petz avança 6% e PetroRio cai 4,5%

Pregão é positivo para as companhias atreladas ao segmento doméstico.

Publicado

em

Magazine Luiza

As ações do Magazine Luiza lideraram as altas do Ibovespa nesta terça-feira (09) em dia positivo para as varejistas.

A Petz também subiu forte após divulgação dos resultados do terceiro trimestre.

Na outra ponta, os papéis de PetroRio ficaram com a maior desvalorização do pregão, enquanto a Petrobras subiu.

As siderúrgicas Gerdau e Usiminas também tiveram dia positivo, enquanto a Vale recuou depois de encerrar o pregão de ontem em forte alta.

Confira os destaques registrados no dia.

Magazine Luiza

As ações do Magazine Luiza (MGLU3) dispararam 10,06%, para R$ 13,13, em dia positivo para as companhias ligadas ao segmento doméstico e e-commerce. A empresa divulga seus resultados trimestrais na próxima quinta-feira, após o fechamento do mercado.

Petz

Petz (PETZ3) também avançou 6,22%, para R$ 20,83. A companhia teve lucro líquido de R$ 26,6 milhões no terceiro trimestre, alta de 56,1% ante o mesmo período de 2020.

Na visão da equipe de research da Levante os resultados da empresa vieram acima das expectativas nas principais linhas, com destaque para as vendas do digital, mantendo níveis de rentabilidade saudáveis apesar de um cenário macroeconômico mais adverso, com pressão inflacionária e aumento da competição.

“Os resultados da Petz reforçam o crescimento da companhia acima das expectativas, demonstrando a resiliência do setor pet e a capacidade da companhia em alavancar e aproveitar as oportunidades com eficiência. Dessa forma, esperamos um impacto positivo nas ações da Petz no curto prazo. A empresa continuou investindo para acelerar os ganhos de market share, considerando os níveis consistentes e saudáveis de retorno por loja e com a plataforma omnichannel se mostrando bastante escalável, mantendo níveis de serviços diferenciados e rentáveis, deixando a Petz mais confortável para continuar acelerando de forma sustentável a expansão de suas operações”, disse a equipe em relatório.

Yduqs

A companhia de educação Yduqs (YDUQ3) que chegou a subir mais de 2%, encerrou em queda de 0,26%, negociada a R$ 22,78. A empresa registrou lucro líquido ajustado de R$ 146 milhões no terceiro trimestre, queda de 24,9% sobre o mesmo período do ano passado.

O grupo, que tem entre as marcas o Ibmec, teve alta de cerca de 9% no lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês), que somou R$ 361,3 milhões entre julho e o fim de setembro.

Larissa Pérez e Rafael Barros, analistas da XP Investimentos, afirmaram em relatório que a companhia reportou números ajustados acima do previsto. O lucro ajustado, por exemplo, ficou 78% acima das previsões da casa. “Nossa visão sobre os resultados é mista, todavia reiteramos nossa recomendação de compra para a ação, visto que vemos a empresa sendo negociada a um múltiplo P/L (preço sobre lucro) de 10,1 vezes para 2022, que consideramos baixo em comparação à média histórica da companhia (de 12,8 vezes nos últimos 36 meses)”, esclareceu a equipe.

Banco do Brasil

Banco do Brasil (BBAS3) virou e fechou com recuo de 0,14%, para R$ 29,44. O banco registrou lucro recorrente, que exclui eventos extraordinários, de R$ 5,139 bilhões no terceiro trimestre, alta de 47,6% sobre o desempenho de um ano antes. A empresa também anunciou que vai pagar R$ 1,12 bilhão em juros sobre capital próprio no próximo dia 30.

Em relatório, Vitor Pini, Matheus Odaguil e Artur Alves, analistas da XP Investimentos, afirmaram que o banco registrou resultados muito acima do esperado para o terceiro trimestre, com lucro líquido 13% acima das previsões da casa de investimentos, impulsionado principalmente por uma maior margem financeira (MFB), devido ao crescimento de sua carteira de crédito, enquanto as despesas permaneceram estáveis apesar do aumento da massa salarial e da expansão da carteira.

Sobre o novo guidance para o ano divulgado pelo BB, que aumentou sua expectativa para o lucro líquido entre R$ 19 e R$ 21 bilhões, os analistas da XP afirmaram que as projeções ficaram acima das estimativas da casa que é de R$ 18,8 bilhões. A XP reiterou recomendação de compra para os papéis do banco e preço-alvo de R$ 52.

BTG Pactual

As units do BTG Pactual (BPAC11), que avançavam mais de 2% mais cedo, recuaram 4,18%, cotadas a R$ 22,94. O lucro líquido recorrente do banco somou R$ 1,794 bilhão, um aumento de 76,6% em relação ao ano anterior e contra uma estimativa de analistas compilada pela Refinitiv de R$ 1,574 bilhão.

O retorno sobre o patrimônio líquido, um indicador de rentabilidade, foi de 20,1%, uma queda de 1,5 ponto percentual em relação ao segundo trimestre.

Itaúsa

A Itaúsa (ITSA4), holding controladora do Itaú Unibanco, terminou em queda de 1,08%, para R$ 10,04. A companhia teve lucro líquido recorrente de R$ 2,675 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 35,4% ante o mesmo período de 2020.

Petroleiras

As ações da PetroRio (PRIO3) caíram 4,54%, para R$ 26,50, entre as principais altas do Ibovespa. Já os papéis preferenciais da Petrobras (PETR4) subiram 1,99%, para R$ 26,64.

Vale e siderúrgicas

A mineradora Vale (VALE3), que subiu 5,44% no pregão da véspera em meio ao avanço nos preços do minério de ferro, devolveu parte dos ganhos ao registrar queda de 2,46%, para R$ 65,94. Entre as siderúrgicas, a Usiminas (USIM5) subiu 1,27%, para R$ 12,76, enquanto a Gerdau (GGBR4) avançou 0,80%, para R$ 23,99. A CSN (CSNA3), que chegou a avançar mais cedo, caiu 1,75%, para R$ 21,31.

Principais quedas

Ativo Variação em %
GOLL4-3,41
BPAC11-4,18
PRIO3-4,54

Principais altas

AtivoVariação em %
MGLU310,06
AMER37,65
VIIA36,8

*(Com informações das agências)

Veja também

Compre Ações em apenas 3 cliques e aproveite taxa ZERO de corretagem! Invista já

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!