Siga nossas redes

Finanças

Além do Ibovespa: ações fora do índice podem ser boas oportunidades?

Especialistas explicam características das companhias que não fazem parte do indicador e se vale a pena investir.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 7 minutos

renda variável
https://youtu.be/qyiwuLK8u0M

Composto por 84 empresas, o Ibovespa é a principal referência quando se fala em bolsa brasileira, mas representa apenas um recorte das mais de 410 companhias listadas na B3. Em setembro, o índice fechou com perda de 6,57% e registrou queda de 6,75% no ano. Neste cenário, empresas fora do indicador podem ser boas oportunidades?

O Ibovespa é visto como um “termômetro” para entender como está o mercado financeiro, já que a sua pontuação acaba refletindo as expectativas de investidores. Por concentrar grandes empresas, com altos volumes de negociação, muitas empresas que compõem o Ibovespa acabam chamando mais atenção, deixando as que estão fora do índice, de certa forma, com menos evidência.

“Não costumamos olhar muito para essas empresas fora do Ibovespa, mas existem diversas oportunidades. Veja quantas empresas temos para lidar no mercado”, avalia Daniela Schulz, especialista em investimentos e head de mercado de capitais da Eu Me Banco.

Por dentro do Ibovespa

O principal indicador de desempenho das ações da B3 reúne ações e units das empresas que atendem a certos critérios, como corresponder a cerca de 85% do volume negociado em bolsa. Além disso, a ação precisa ter tido alguma negociação em pelo menos 95% dos pregões dos últimos três cálculos da carteira teórica.

Ou seja, em sua composição entram os papéis mais líquidos do mercado. A carteira do indicador é reavaliada a cada quatro meses. Desta forma, sua composição tende a variar com o passar do tempo, já que empresas podem entrar ou sair ou ter seu peso alterado na composição.

Cada ação tem um peso diferente na composição do Ibovespa. Portanto, quando um papel como VALE (VALE3) recua, a influência é muito maior sobre o índice, já que sua participação hoje é de 12%.

O Ibovespa passou a operar com uma nova carteira a partir do começo de setembro e que valerá até 30 de dezembro. Sete empresas passaram a integrar o índice nesta atualização: Alpargatas (ALPA4), Banco Inter (BIDI4), Banco Pan (BPAN4), Méliuz (CASH3), Rede D’Or (RDOR3), Dexco (DXCO3) e Petz (PETZ3). Nenhuma ação foi retirada do portfólio e, com isso, o indicador totaliza 91 ativos de 84 empresas.

O analista da Constância Investimentos, Gustavo Akamine, avalia que é interessante observar o Ibovespa como uma composição de vários negócios e que é preciso entender seus respectivos riscos.

“É uma exposição a uma concentração de segmentos, como commodities e setor financeiro. É preciso entender como eles se comportam e ver se é isso que o investidor quer. Não é porque é uma empresa grande e líquida que, necessariamente, será um bom investimento”, aponta o analista.

Schulz alerta para o risco do chamado efeito manada, de acabar investindo em ações somente porque são mais faladas e negociadas. “É preciso pesquisar sobre a empresa. Talvez, as mais populares possam fazer sentido, se a pessoa acredita na companhia e ela está com preço bom. Quando se fala de ações e empresas da bolsa, tem um leque muito grande de oportunidades”, destaca a especialista.

Ações fora do Ibovespa podem ser boas oportunidades?

Com um índice formado por grandes empresas e um alto volume de negociação, isso faz com que, geralmente, estas companhias acabem sendo mais notadas, faladas e, consequentemente, mais consideradas para investir. Mas os papéis fora do índice podem ser oportunidades?

Akamine explica que, geralmente, empresas que não fazem parte do Ibovespa estão mais “fora do radar”. Segundo o analista, o ponto negativo é que o investidor não terá muito informação sobre a companhia, o que vai demandar mais tempo para conhecer dela.

Já o lado positivo, segundo ele, é que, justamente por ser menos falada e negociada, a empresa fora do índice pode ser uma oportunidade. “Podem existir períodos em que as ações possam ser negociadas com desconto elevado. E, no médio e longo prazo, pode retornar uma performance maior do que as empresas que estão no radar da maioria dos investidores”, diz Akamine.

Schulz também avalia que empresas fora do índice podem ser oportunidade para o investidor. A especialista explica que, diante do cenário econômico, muitas companhias estão com o preço de suas ações descontados, mas que existem boas empresas com bons fundamentos que não estão no índice e que têm estrutura de recuperação no longo prazo.

 “Elas são pequenas, estão em fase de crescimento. Então, no longo prazo, possuem grande potencial de valorização”, diz a head de mercado de capitais da Eu Me Banco.

A especialista alerta, no entanto, que a pessoa precisa se atentar ao seu perfil de investidor e avaliar os fundamentos da companhia, se acredita na empresa e no setor em que está inserida. “Não é porque a empresa está descontada e com boa valorização que o investidor vai comprar os papéis. É preciso acreditar na companhia, na valorização e no crescimento dela, já que o investidor se tornará um sócio”, aponta Schulz.

A head de mercado de capitais da Eu Me Banco ainda destaca a importância de o investidor ter bem definido a sua estratégia de investimento para saber o que vale a pena para a sua carteira.

Schulz explica que, no caso das pequenas empresas da bolsa de valores, o lucro obtido será reinvestido nela mesma. Assim, segundo ela, pode ser que o investidor não receba tantos dividendos como os de empresas sólidas, mas ele vai ganhar na valorização da empresa e de sua ação.

Como encontrar oportunidades fora do Ibovespa?

Como são diversas as empresas de capital aberto fora do Ibovespa, Schulz recomenda que o investidor tenha bem definido quais são seus objetivos para que possa encontrar boas oportunidades fora do índice.

“Quando vai comprar uma ação, o investidor precisa avaliar se será para o longo prazo e se tem ou não estratégia focada em dividendos. Com isso, é seguir para observar o ramo da empresa no cenário macro e microeconômico e se ela está sendo afetada por isso”, diz Schulz.

Akamine reforça ainda que é importante o investidor analisar a empresas antes incluí-las na carteira, independe se ela está dentro ou não do Ibovespa, e que toda a análise feita para saber se uma empresa grande é interessante para a carteira de investimentos, tem que ser realizada para empresa pequena também.

“De maneira alternativa, se o investidor acha interessante investir em empresas fora do Ibovespa, e não tem muito conhecimento, existe a opção dos fundos de investimentos que incluem estas ações na carteira. São os fundos de small caps”, destaca o analista.

O analista da Constância Investimentos lembra, no entanto, alguns pontos de atenção que são necessários ter antes de investir nestas companhias. Ele explica que pouca informação disponível e falta de maturidade das empresas, por estarem em um estágio ainda inicial, podem ser riscos para o investidor. Mas ele lembra que estas características não são para todas as empresas fora do Ibovespa e que, por estarem fora do índice, não, necessariamente, são companhias ruins.

Como mais um ponto de atenção ao investidor, Schulz destaca que estas companhias possuem menos liquidez. E, quanto menor esse volume de negociação, maior é o impacto no fluxo dos investidores. É o que se observa, por exemplo, quando se tem alguma notícia envolvendo determinada empresa e tem reação do mercado, seja positiva ou negativa. Com isso, nos casos destas companhias, a oscilação do papel costuma ser mais forte.

 “Estas empresas têm menor liquidez pelo volume menor de negociação. Então, não é simples o investidor vender a ação, caso queira sair da empresa. Por isso, ele corre este risco de liquidez. Então, tem que saber o apetite ao risco do investidor”, orienta a especialista.

Veja também

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

Investir em Ações é ainda mais fácil com taxa de corretagem ZERO! Aproveite agora

Anúncio Patrocinado Super Week Temporada de balanços Super Week Temporada de balanços
ANÚNCIO PATROCINADO      Conheça a carteira recomenda de dividendos

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Anúncio Patrocinado Carteira Top 10