Siga nossas redes

Finanças

BR Malls tem alta de 7%; Petrobras sobe mais de 3%

Administradora de shoppings rejeitou proposta de aquisição pela concorrente Aliansce Sonae.

Publicado

em

Lavvi
Divulgação/Vitrali Moema

As ações da administradora de shoppings BR Mallls aceleraram os ganhos na tarde desta sexta-feira, após rejeitar proposta de aquisição pela concorrente Aliansce Sonae, que virou e passou a operar em alta.

Com grande peso no índice, os papéis da estatal Petrobras intensificaram os ganhos, enquanto a mineradora Vale, que no dia chegou a recuar 1%, reportou leve avanço.

Dentre os bancos, o Itaú inverteu o viés de valorização e fechou em queda. Mas foi a ação preferencial da Alpargatas (ALPA4) que ficou com a principal queda do indicador (ao recuar 3,31%).

Depois de divulgarem prévia operacional referente ao quarto trimestre, a Lavvi virou e operarou com valorização, enquanto a Cyrela caiu. Confira os destaques registrados por volta das 16h:

BR Malls

BR Malls (BRML3) acelerou os ganhos para 7,01%, negociada a R$ 8,4. A companhia informou nesta sexta-feira (14) que seu conselho rejeitou por unanimidade a proposta de aquisição pela Aliansce Sonae Shopping Centers S.A (ALSO3), que, por sua vez, virou e passou a subir 2,29%, para R$ 120,06. Segundo o comunicado, o conselho recusou a proposta por entender que ela subavalia o valor econômico da BR Malls e, por isso, não atendia aos interesses dos acionistas.

Cyrela

Após registrar R$ 1,575 bilhões em vendas líquidas contratadas no quarto trimestre de 2021, valor 15% inferior ao registrado no mesmo intervalo de 2020, a construtora Cyrela (CYRA3) fechou estável R$ 14,19. A companhia também comunicou o lançamento de 17 empreendimentos no período, que totalizaram um volume de R$ 2,555 bilhões, queda de 11% no comparativo anual.

Em relatório, Ygor Altero e Renan Manda, da XP Investimentos, afirmaram que os dados operacionais resilientes da companhia foram impulsionados por lançamentos sólidos. A dupla reiterou que a companhia encerrou 2021 com um volume de R$ 7,10 bilhões, montante 21,6% superior ao registrado em 2020, que foi de R$ 5,84 bilhões.

Mesmo com a queda nas vendas, a companhia teve um VSO (velocidade de vendas) “saudável” no quarto trimestre, apontaram os analistas da XP, ao atingir 44%, ante fatia de 49,6% reportada no terceiro trimestre.

“Os resultados refletem a demanda sólida no segmento de média a alta renda e para os produtos da Cyrela, apesar das preocupações com a perspectiva da taxa de juros do financiamento imobiliário”, disse a equipe da XP ao manter recomendação de compra para os papéis da empresa e preço-alvo em R$ 33.

Lavvi

No mesmo setor, a Lavvi (LAVVI3), avançou 2,04% . A empresa informou que as vendas líquidas contratadas no quatro trimestre totalizaram R$ 155 milhões, apresentando retração de 56% ante o mesmo intervalo de 2020.

Em relatório, Gustavo Cambauva e Elvis Credendio, analistas do Goldman Sachs, reiteraram que os resultados da companhia no período foram bastante sólidos, com vendas acima das expectativas da casa e forte velocidade, apesar de apenas um lançamento no trimestre, mas que apresentou um bom desempenho de comercialização.

“Apesar do cenário macro difícil (taxas de juros mais altas), continuamos positivos com Lavvi, já que a empresa está entregando seus fortes planos de crescimento e a avaliação é muito atraente, portanto nossa classificação é de compra”, afirmou a equipe do Goldman ao manter o preço-alvo de R$ 12 por ação.

Petrobras e Vale

O papel preferencial da Petrobras (PETR4) fechou com alta de 3,73%, negociado aos R$ 31,45. A alta tem como pano de fundo a redução na meta de produção de 2022, para refletir o efeito do resultado da 2ª Rodada de Licitações do Excedente da Cessão Onerosa. Já a Vale (VALE3), por sua vez, que chegou a cair, virou e fechou com valorização de 0,58%, cotada a R$ 84,69, em meio à queda nos preços do minério de ferro na China.

Bancos

Entre os principais bancos, os papéis de Itaú foram os únicos a registrarem queda:

TickerCotação em R$ Variação em %
BBDC4 20,871,64
BBDC317,441,51
ITUB4 23,50-0,76
ITUB3 20,75-0,05
BBAS330,412,56
SANB1131,861,14

Veja também

  • 2022 é realmente o ano da decolagem?
  • Mais negociadas, porém, descontadas: por que MELI34 segue ‘andando de lado’?
  • inflação vai dar trégua em 2022? Veja o que pensam 4 casas de análise
  • BDRS das big techs: é hora de vender? E ainda, Moura Dubeux sobe mais de 13%

Invista de um jeito simples, sem economês. Aproveite a plataforma mais simples do mercado. Vem pro Nu invest!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!