Siga nossas redes

Finanças

Ibovespa vira e fecha em alta, acompanhando o exterior; dólar sobe

Mais cedo, mercado repercutiu a divulgação da ata do Copom.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 5 minutos

B3 ibovespa e dólar

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, a B3, fechou em alta após pregão de sobe e desce nesta terça-feira (8), após acelerar no final do pregão, com o efeito de dia positivo em Wall Street superando o impacto da queda do petróleo e da indicação pelo Banco Central de aperto monetário para além do esperado por parte do mercado.

Ibovespa subiu 0,21%, aos 111.992 pontos. Já o dólar fechou em alta de 0,13%, comercializado a R$ 5,2601.

“Após encerrar a última semana no maior patamar desde outubro passado, o Ibovespa opera sem força nos dois primeiros pregões desta semana. O fluxo que amparou o forte mês de janeiro e as primeiras sessões de fevereiro começa a ter dificuldades para seguir impulsionando o índice diante da renovação de alguns temores, em momento no qual os pares internacionais já não trazem apoio há algum tempo”, comentou Alexsandro Nishimura, economista, head de conteúdo e sócio da BRA.

Ata do Copom

Investidores digeriam a ata do Copom, interpretada por parte do mercado como de tom mais duro quanto à inflação.

Para Caio Megale, economista-chefe da XP, a ata indica um “viés inequívoco de alta” para a Selic terminal, que deve ficar em 11,75%, na avaliação da instituição.

A curva de juros precificava 73% de chance de um aumento na taxa Selic para 11,75% em março, quando ocorre a próxima reunião do Copom.

Segundo a ata, dada a incerteza sobre preços de importantes ativos e commodities, assim como o estágio do ciclo, o Copom decidiu, neste momento, “não sinalizar a magnitude dos seus próximos ajustes”.

Na reunião de política monetária da semana passada, o BC aumentou a taxa básica de juros em 1,5 ponto percentual, ao patamar de 10,75% ao ano, mas indicou uma redução no ritmo de ajuste.

Mais do cenário interno

O mercado também monitora discussões do Executivo e no Congresso sobre um possível corte de tributos que incidem sobre os combustíveis, algo que pode gerar perda fiscal superior a R$ 50 bilhões ao ano.

O Congresso terá sua primeira sessão do ano nesta terça-feira, tendo na pauta a análise de vetos presidenciais.

O mercado reage também a mais uma leva de balanços trimestrais no país, enquanto aguarda dado de inflação a ser divulgado na quinta-feira, que pode trazer pistas sobre o aumento de juros esperado no país para os próximos meses.

Destaques da bolsa

A Petrobras caiu 1% na ação PETR4 e 1,44% na PETR3, com o preço do petróleo estendendo queda. O mercado ainda reage ao avanço das negociações entre EUA e Irã, o que pode culminar em retirada de sanções nortes-americanas sobre o país, incluindo restrições de exportações da commodity. 3R Petroleum (RRRP3) e PetroRio (PRIO3) também caíram.

Entre as altas, o Banco Pan (BPAN4) subiu 7,87%% depois de reportar lucro líquido de R$ 190,4 milhões no 4º trimestre de 2021. Quem também avançou foi Porto Seguro (PSSA3), que registrou lucro de R$ 532,8 milhões no 4º trimestre de 2021. A ação teve ganho de 3,58%.

Veja outros destaques da bolsa.

Bolsas mundiais

Wall Street

Wall Street encerrou em firme alta nesta terça-feira, com impulso de Apple e Microsoft, enquanto um salto nos rendimentos dos títulos do governo norte-americano elevou ações de bancos antes da divulgação de um importante indicador de inflação nesta semana.

O índice S&P 500 fechou em alta de 0,84%, a 4.521,54 pontos. O Dow Jones subiu 1,06%, a 35.462,78 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite avançou 1,28%, a 14.194,46 pontos.

Europa

O mercado acionário europeu terminou estável nesta terça-feira, quando o aumento dos rendimentos dos títulos pressionou as ações de tecnologia, enquanto a forte queda nos preços do petróleo tirou o brilho do resultado positivo da BP. O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em alta de 0,01%, a 465,34 pontos.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,08%, a 7.567,07 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,24%, a 15.242,38 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,27%, a 7.028,41 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,31%, a 26.411,73 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 1,36%, a 8.674,60 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,68%, a 5.643,49 pontos.

Ásia e Pacífico

As ações blue-chips da China fecharam em baixa nesta terça-feira, uma vez que a incerteza sobre o impacto da medida do governo dos Estados Unidos de acrescentar mais entidades chinesas a uma lista de controle de exportações pesou sobre o sentimento.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,13%, a 27.284 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,02%, a 24.329 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,67%, a 3.452 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,55%, a 4.608 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,05%, a 2.746 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,37%, a 17.966 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 1,05%, a 3.401 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 1,07%, a 7.186 pontos.

(* Com informações da Reuters)

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.