Siga nossas redes

Finanças

TRIG11: conheça o novo ETF de micro e small caps

Composto por 91 ativos e 16 setores, ETF reúne empresas como Burger King, Ambipar, Kepler Weber e outras nanicas consideradas promissoras na bolsa.

Publicado

em

Um novo ETF (fundo de índice) focado em ações de empresas menores (microcaps e small caps) iniciou as suas negociações na bolsa brasileira nesta sexta-feira (12).

O ETF Trígono Teva Ações Micro Cap/Small Caps Fundo de Índice foi criado pela gestora Trígono Capital e a Teva Indices. O ativo, que negocia na bolsa com o código TRIG11, fechou seu primeiro pregão em queda de 2,87%, cotado a R$ 45,77.

Considerado o primeiro fundo de cauda longa da bolsa – com cobertura das empresas de menor valor que representam até 5% da capitalização total de mercado em ordem crescente – o ETF TRIG11 tem 91 ativos e 16 setores.

Na carteira teórica dele é possível encontrar companhias ligadas ao setor produtivo e de negócios, entre estas: Kepler Weber (KEPL3), Marcopolo (POMO4), Randon (RAPT4), BrasilAgro (AGRO3), Vulcabras (VULC3).

Além de empresas de consumo mais populares entre o público, como Marisa (AMAR3), Burger King (BKBR3), CVC (CVCB3), entre outros. E IPOs recentes, tais como Ambipar (AMBP3), Espaço Laser (ESPA3), 3Tentos (TTEN3).

Segundo a Trígono, existem boas oportunidades de investimento em empresas de menor porte, mas que nem sempre são contempladas nos índices de mercado, entre estes o índice de Small Caps (SMLL).

O ETF tem como benchmark o índice Teva Ações Micro Caps e possui taxa de administração de 0,60% ao ano.

Até o dia 14 de outubro, o índice Teva Ações Micro Caps teve um retorno de 20,4% para os últimos 12 meses, enquanto o índice Small Cap (SMLL) valorizou 12%.

Critérios de seleção

Para integrar a carteira do ETF TRIG11 conhecido também como “puro sangue”, por ter a sua estratégia focada em micro e small caps, são escolhidas empresas consideradas emergentes e com forte potencial de crescimento.

Entre os critérios de seleção, podem fazer parte da carteira do ETF:

  • Empresas com liquidez mensal superior a R$ 50 milhões.
  • Free float (ações em livre circulação de mercado) superior a 20%.
  • Não ser uma companhia em recuperação judicial.
  • Ter pelo menos 5% da capitalização total do mercado brasileiro.
  • Ter 100% de presença de negociação nos pregões nos últimos 2 meses.
  • Não integrar setores de tabaco ou armamentos.
  • Não apresentar patrimônio líquido negativo e estar em dia com os demonstrativos financeiros.

ETFs na bolsa

Na bolsa de valores é possível encontrar 51 ETFs de renda variável. Destes, quatro já são focados em small caps, entre estes: O BTG Pactual SMLL B3 (SMAB11); o It Now Small Caps (SMAC11) e o iShares BMFBovespa Small Cap (SMAL11), da BlackRock, todos com taxa de administração de 0,50% ao ano.

Além do Trend ETF Small Caps (XMAL11), da XP, com taxa de administração de 0,30% ao ano.

Segundo dados da B3, até setembro, 474 mil investidores pessoa física aplicavam em ETFs.

Confira a carteira teórica do ETF TRIG11:

AçãoEmpresa Peso no ETF
AALR3ALLIAR 0,55%
ABCB4ABC BRASIL1,07%
AGRO3BRASILAGRO 1,32%
ALLD3ALLIED 0,50%
AMAR3LOJAS MARISA0,53%
AMBP3AMBIPAR 1,76%
ANIM3ANIMA 1,99%
APER3ALPER 0,46%
BKBR3BK BRASIL 2,19%
BMOB3BEMOBI TECH 1,21%
BRBI11BR PARTNERS 0,96%
BRPR3BR PROPERT1,36%
BRSR6BANRISUL 2,05%
CAML3CAMIL 1,09%
CARD3CSU CARDSYSTEM0,29%
CASH3MELIUZ 2,15%
CEAB3CEA MODAS 0,78%
CLSA3CLEARSALE 1,01%
CRPG5CRISTAL 0,98%
CSED3CRUZEIRO 0,48%
CSMG3COPASA 2,33%
CURY3CURY S/A0,72%
CVCB3CVC BRASIL3,81%
DESK3DESKTOP 0,55%
DEXP3DEXXOS 0,49%
DIRR3DIRECIONAL 0,78%
ELMD3ELETROMIDIA 0,64%
ENAT3ENAUTA PART 1,04%
ENJU3ENJOEI 0,64%
ESPA3ESPACOLASER 1,70%
EVEN3EVEN1,29%
EZTC3EZTEC 2,04%
FESA4FERBASA1,87%
FIQE3UNIFIQUE 0,62%
FRAS3FRAS-LE 1,05%
GFSA3GAFISA 0,73%
HBOR3HELBOR 0,33%
HBSA3HIDROVIAS 2,36%
IFCM3INFRACOMM 3,22%
JALL3JALLESMACHADON 0,94%
JHSF3JHSF PART 1,60%
JPSA3JEREISSATI 0,97%
KEPL3KEPLER WEBER0,99%
LAVV3LAVVI 0,47%
LEVE3METAL LEVE 1,23%
LIGT3LIGHT 4,30%
LJQQ3QUERO-QUERO 2,12%
LOGG3LOG 1,39%
LOGN3LOG-IN 2,01%
LPSB3LOPES BRASIL0,31%
LVTC3WDC NETWORKS0,33%
MDNE3MOURA DUBEUX0,30%
MEAL3IMC 0,79%
MELK3MELNICK 0,31%
MILS3MILLS 0,63%
MODL11MODALMAIS 1,12%
MOSI3MOSAICO 0,67%
MTRE3MITRE REALTYON 0,36%
MYPK3IOCHP-MAXION2,15%
NGRD3NEOGRID 0,42%
OPCT3OCEANPACT 0,43%
ORVR3ORIZON 0,60%
PARD3IHPARDINI 0,86%
PLPL3PLANO E PLANO 0,21%
PNVL3DIMED 0,93%
POMO4MARCOPOLO 1,50%
POSI3POSITIVO 0,70%
POWE3FOCUS 0,57%
PTBL3PORTOBELLO 0,60%
RANI3IRANI 0,66%
RAPT4RANDON 1,85%
RECV3PETRORECONCAVO3,60%
ROMI3INDS ROMI 0,59%
SEER3SER EDUCACIONAL0,58%
SEQL3SEQUOIA 1,02%
SHOW3TIME FOR FUN0,14%
SOJA3BOA SAFRA 0,63%
SQIA3SINQIA 1,32%
SYNE3SYN PROP TECH0,76%
TCSA3TECNISA 0,21%
TEND3TENDA 1,75%
TFCO4TRACK FIELD 0,68%
TGMA3TEGMA 0,49%
TRAD3TC 0,50%
TRIS3TRISUL 0,53%
TTEN33TENTOS1,00%
TUPY3TUPY 1,41%
VLID3VALID 0,66%
VULC3VULCABRAS 0,69%
WEST3WESTWING 0,39%
WIZS3WIZ 0,74%

Fonte: Teva Indices

Veja também:

  • Ambipar já valorizou mais de 100% em 2021; dá para crescer mais?
  • EspaçoLaser: por que a companhia é a ‘Smart Fit da depilação’
  • Kepler Weber: a small cap conhecida como o celeiro do Brasil
  • Wiz: a small cap que se reinventou após o fim da ‘união’ de 47 anos com a Caixa
  • BrasilAgro: conheça a small cap que lucra recuperando fazendas improdutivas
  • CSU: a small cap que ganhou fama de ‘tesouro ignorado’ na bolsa

Invista com rentabilidade altíssima alavancando seus ganhos! Invista em Índice!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!