Siga nossas redes

BDRs: os mitos e verdades antes de investir

Você sabia que, com os BDRs, você vai poder aplicar em empresas como Facebook, Twitter e Disney? Neste vídeo, Dony de Nuccio explica os mitos e verdades sobre os BDRs e conta o que você precisa saber para investir nesses ativos.

Dê o play e confira

O que é BDR?

BDR é a sigla para Brazilian Depositary Receipts. Eles são recibos de ações de empresas estrangeiras negociados na Bolsa aqui do Brasil. Na prática, é um jeito simples de investir no exterior, em empresas como Facebook, Google, Netflix, Disney e muitas outras. 

Antes, os BDRs eram exclusivos para os chamados investidores qualificados, que têm mais de 1 milhão de reais em aplicações financeiras. Mas a regra foi alterada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Agora, investidores comuns pode acessar os BDRs. 

Quais os tipos de BDRs?

Em primeiro lugar, você precisa saber que o processo de emissão das BDRs envolve sempre duas instituições.

A primeira é a Instituição Custodiante. Ela fica lá no país de origem da ação e a sua função é comprar as ações na Bolsa desse país pra elas sirvam de garantia dos BDRs aqui no Brasil. A outra é a Instituição Depositária. Essa fica aqui no Brasil mesmo é a responsável por fazer a emissão e o cancelamento desses investimentos junto a B3, que é a Bolsa de Valores brasileira.

Existem basicamente dois tipos de BDRs. O primeiro é o Patrocinado. Nessa categoria, a empresa estrangeira, por exemplo a Apple ou o Google, quer que as ações dela sejam negociadas aqui no Brasil. 

Essa companhia entra em contato com uma Instituição Depositária, que vai adquirir a custódia dessas ações e oferecer para os investidores por meio de BDRs.

O outro tipo é o Não Patrocinado, quando a empresa estrangeira não participa da emissão do BDR. Nesse caso, é a Instituição Depositária que tem interesse em oferecer essas ações. Ela vai lá fora e abre uma conta em uma Instituição Custodiante para comprar as ações. Depois, oferece aqui no nosso mercado em forma de BDR.

Vantagens dos BDRs

Entre as vantagens dos BDRs podemos citar a diversificação. Isso porque com eles é possível investir em recibos que representam ações de empresas internacionais. E o melhor: de um jeito bem mais simples.

Também não é necessário abrir uma conta em outro país nem enviar remessas de dinheiro para fora. Outra vantagem é não precisar pagar os custos do câmbio. Aí estão incluídos o IOF e outras tarifas que são cobradas na conversão da moeda.

Mas vale lembrar que os BDRs são investimentos de Renda Variável e têm riscos. Por fim, eles podem sofrer alterações de preços. As razões são as várias condições do mercado, inclusive o de países como os Estados Unidos.

Esses ativos também estão sujeitos à variação cambial. Isso quer dizer que, se o preço do dólar cair e o real aumentar, o rendimento do BDR também cairá. Mas, se o se o dólar aumentar o real cair, a rentabilidade do seu investimento sobe.

Outra informação importante é que a liquidez dos BDRs é menor hoje em dia. No entanto, com a liberação desses ativos para o público em geral, o mercado deve se ajustar.

Além disso, todos esses ativos contam com Formadores De Mercado, que são instituições financeiras cadastradas na B3 que garantem preço em tela em um determinado período do pregão.

Ou seja, elas fomentam a liquidez dos BDRs mantendo as ofertas de compra e venda de forma regular durante as negociações.

É importante destacar que o investidor não se torna sócio da empresa estrangeira como acontece quando compra uma ação aqui no Brasil. Isso porque os BDRs representam a ação da empresa, mas não são a empresa em si.

Rende mais que a poupança e com risco menor: invista em Tesouro Direto pela Easynvest!

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.